Uncategorized

TSE gasta R$ 3,6 milhões para incentivar voto obrigatório

De Rogério Galindo, Caixa Zero, Gazeta do Povo:

Para que fazer propaganda para incentivar as pessoas a fazer algo que é obrigatório? Eis a questão que surgiu nas redes sociais nos últimos dias, depois de o Tribunal Superior Eleitoral ter inundado as redes de televisão com a campanha “Vem pra Urna”.

Nos filmes do TSE, gente como Daniela Mercury, Bell Marques e Carlinhos Brown aparece incentivando os eleitores a votar em 5 de outubro. “Foi pra rua? Vem pra urna!”, diz o texto, afirmando que o verdadeiro jeito de fazer as mudanças desejadas pela população é votando.

O blog Caixa Zero entrou em contato com o TSE para saber sobre os custos da campanha. Primeiro: por que é necessário investir tanto em tempo de televisão? “O TSE tem espaço garantido por lei de até 10 minutos diários em todas as emissoras do país em ano eleitoral, sem custo algum para veiculação.”

Quais são os custos de produção do material? E os cachês dos artistas? “Nosso contrato contempla apenas a produção do material exibido, sendo que, mesmo assim, artistas famosos são voluntários e não possuem cachê algum para emprestar sua imagem as campanhas do tribunal.”

Quanto custa no total a exibição dos filmetes? “Nosso contrato de gastos com publicidade tem valor previsto e aprovado anualmente pela diretoria do mesmo, podendo chegar em anos eleitorais até R$ 6 milhões de reais, porém em 2014 até o presente momento não chegou a ser gasto nem 60% da verba estimada.”

Então, fazendo a conta, dá para imaginar que o TSE gastou até R$ 3,6 milhões para exibir os comerciais. Pode não ser muita coisa. Mas ainda continua a dúvida: precisava?

10 Comentários

  1. Doutor Prolegômeno Responder

    O voto obrigatório é um atestado de país com uma democracia de terceira classe. Coisa de república bananeira. Movimenta uma burocracia caríssima, mantém privilégios e ajuda eleger centenas de ineptos, vigaristas e arrivistas.

  2. NÃO É OBRIGADO VOLTAR… SE NÃO PERDE VÁRIOS DIREITOS, EU ACHO É SÓ PARA GASTAR COM ESSA CANTORA AI. ATÉ VOTO PARA OUTRA …ISSO É UMA VERGONHA.

  3. Não precisa, mas como temos raposas cuidando do galinheiro, byby nosso dinheiro.

  4. Já que voto nulo não conta como forma de protesto, é o que dizem. Para fins de cancelar a eleição só contariam os que não foram votar. Bem, eu quero protestar não votando, mas sou obrigado a comparecer. O que aconteceria, por exemplo, se eu fosse até a urna, desse meu primeiro voto, digamos, para deputado estadual e me recusasse a votar para deputado federal, governador e presidente? Votariam por mim? A urna ficaria obstruída? Alguém sabe me responder?

  5. Cláudio Aguiar Responder

    O Voto é obrigatório sim, mas não é de hoje.
    Mas não votar significa o que na realidade, um voto, ou melhor, um a “manifestação” de repúdio a este ou aquele político?

    Não ainda acho que a melhor forma de mudança é através do voto.

    O dia de votação é sempre num domingo, certo? qual a diferença com os demais domingos que temos em nossas vidas?
    Não precisa levantar tão cedo, geralmente não demora mais do que alguns minutos na fila, onde encontramos alguns conhecidos, conversamos etc e tal…se for cedinho, dá pra ir á praia, se o tempo estiver bom, ou ao parque Barigui, ou visitar uns amigos, bater uma bola, jogar sinuca ou vídeo game.
    Não precisa deixar de fazer o churrasquinho, enfim…qual o problema em votar?
    Ahh…a obrigatoriedade…sim…isso pode ser mudado, mas ai…muitos dos políticos eleitos hoje, deputados, senadores, e até governadores e presidentes correm o risco de jamais voltar à vida pública, ou seja, da boca pra fora muitos falam o que o eleitor quer, mas no fundo no fundo, é a obrigatoriedade que garante a cadeira deles. Entendem agora? Não é este governo, federal ou estadual nem o anterior…mas “TODOS” os políticos, jamais vão querer derrubar a obrigatoriedade.
    Por isso, pesquise a vida dos candidatos e tente errar o menos possível. quem sabe assim consigamos daqui há alguns anos, mudar a sistema eleitoral, como também promover uma verdadeira reforma política no Brasil.

  6. Gastar com as campanhas eleitorais é simplesmente vergo-
    nhoso. Usem esta fábula para o povão. Na esteira desta gas-
    tança muitos estão levando vantagem e isto não tem jeito…

  7. OBRAS DO NORDESTE Responder

    Não é perseguição e nem preconceito, mas o Brasil não é a Bahia. Por que somente artistas da Bahia pra uma campanha nacional? Não poderia ter alguem do sudeste, do sul, do centro oeste, do norte? Carlinhos Brown e demais, vivem as custas de projetos da Lei Rouanet, recebendo do governo federal caches imensos nas festas oficiais. Alguém já viu Os Serranos, Os Monarcas, Tche Garotos, Gaucho da Fronteira em campanha nacional do governo? Não, apenas os baianos e seu axé mediocre e seus caches absurdos.

Comente