Uncategorized

Dilma – entre o discurso anticorrupção e a prática

andre_vargas_1

Presidente reeleita esqueceu de combinar o jogo com sua base de apoio. O deputado André Vargas foi expulso pelo PT e pode perder o mandato (Foto: Dida Sampaio / Estadão Conteúdo).

De Gabriel Garcia:

A presidente Dilma Rousseff (PT) perdeu a primeira oportunidade de pôr em prática seu discurso de combate à corrupção. Menos de 24 horas depois de ela declarar que não restará pedra sobre pedra no caso das denúncias que envolvem a Petrobras, a base aliada de Dilma adiou, pela terceira vez, a votação do recurso apresentado pelo deputado federal André Vargas (PR) à Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ) contra sua cassação.

Vargas questiona a condução do processo que resultou no pedido de cassação do mandato no Conselho de Ética da Câmara. Na sessão desta terça-feira (28), apenas 27 deputados registraram presença. Eram necessários 34 para a realização da audiência.

Ex-vice-presidente da Câmara, Vargas era filiado ao PT. É apontado como sócio informal do doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, que investiga esquema de lavagem de dinheiro que teria movimentado R$ 10 bilhões.

Vargas e o PT estão adiando a votação na Comissão de Constituição e Justiça porque aguardam um processo que tramita no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no qual o PT pede a cassação do mandato do deputado por infidelidade partidária. Caso perca o mandato por infidelidade, ele evitaria ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa, que o tornaria inelegível por oito anos.

Em outro processo, o Conselho de Ética da Câmara aprovou hoje, por 13 votos a 4, a cassação do deputado Luiz Argôlo (SD-BA), outro envolvido com Youssef. Ele promete recorrer da decisão.

Em mais de 1.411 mensagens trocadas com Youssef, Argôlo não esconde o sentimento que mantém pelo doleiro. “Eu te amo”, escreveu ao doleiro em uma delas. Votaram contra a cassação: Wladimir Costa (SD-PA), Mauro Lopes (PMDB-MG), Sérgio Brito (PSD-BA) e Roberto Teixeira (PP-PE).

Caso a presidente Dilma realmente esteja interessada em combater a corrupção “doa a quem doer”, ela terá oportunidade de pressionar sua base a aprovar o recurso de Vargas, em nova sessão marcada para a tarde desta quarta-feira (29).

7 Comentários

  1. Doutor Prolegômeno Responder

    No fundo, tudo está isso acontecendo para que expire o mandato da criatura sem uma condenação.Assim, passará tudo em brancas nuvens e ele poderá ser candidato em 2018, alegremente.

  2. Esse Zé Mané do Vargas está brincando com o Congresso e Câmara Nacional, tratando-os como se fossem iguais em tudo, inclusive corruptos, porque os seus pares estão com medo de finalizarem o meliante e mandá-lo para a Papuda. Logo em breve encerra o mandato e o Vargas vai sair dando uma banana para os brasileiros, como fez outro petista, o Pizzolato. Que máfia se transformou o Congresso Nacional.

  3. Do Interior.... Responder

    Eu não acredito no PT, nem na conversa fiada de DiLLma.
    Para mim, tudo é mentiiiiiira!

  4. O Vargas sabe de muito.Estao os governistas de rabo preso. Esta situação em que o QPais se encontra, a Eleita nao terá condicóes de governabilidade!!!! Infelizmente!!

  5. Parreiras Rodrigues Responder

    Lembro-me de Alencar Furtado, época dos anos de chumbo: Usque tandem, Catilina, abusare patientiae nostrae vadis?

Comente