Uncategorized

Sucessor de Paulo Roberto Costa afirma que ‘nunca ouviu falar’ de desvios na Petrobras

Foto: Fábio Rossi – Agência O Globo
Cosenza

Do Globo:

O diretor de Abastecimento da Petrobras, José Carlos Cosenza, sucessor de Paulo Roberto Costa no cargo, disse na tarde desta quarta-feira em depoimento à CPI mista da Petrobras que “nunca ouviu falar” de desvios de recursos ou formação de cartel para a realização de obras para a companhia. Cosenza destacou que a empresa realiza apurações internas e acompanha as investigações sobre o tema.

O relator da comissão, Marco Maia (PT-RS), utilizou declarações de Costa em depoimento a Justiça para questionar o sucessor sobre eventual propina de 3% nos contratos, repasses a partidos políticos e formação de cartel das grandes empreiteiras fornecedoras da Petrobras. Para todas elas, a resposta foi semelhante.

— Nunca ouvi falar — repetiu.

Questionado sobre a declaração de Costa de que o pagamento de propina era comum antes de seu período na companhia, Cosenza deu uma negativa mais contundente.

— Em meus 38 anos de empresa não tenho essa informação de que antes ou depois dele havia esse esquema de corrupção. Desconheço totalmente — afirmou.

O atual diretor destacou seu tempo de trabalho na companhia e afirmou ter conseguido bons resultados para a empresa na melhoria dos processos de refino, principal atribuição da área de abastecimento. Iniciou sua exposição lamentando não poder comparecer à comissão na semana passada por problemas de saúde. Na semana passada apresentou um atestado médico que foi questionado pela oposição.

O diretor afirmou que após assumir o cargo trocou três telefonemas e teve dois encontros com Costa. O primeiro encontro foi após assumir o cargo para tratar de assuntos relativos à transição. O segundo foi para receber uma proposta de implantação de minirefinarias para a qual Costa fazia lobby. Cosenza ressalta que a proposta foi considerada inviável pela Petrobras.

Cosenza afirmou ainda que não tinha relação de amizade com Costa, mesmo quando foi seu subordinado. Destacou que não havia nem proximidade física de seu escritório com o do diretor, que ficavam distantes por três andares.

— Minha relação era profissional. Nunca frequentei a casa dele, nem ele a minha.

Afirmou que quando era gerente chegou a reunir-se com empreiteiras, mas apenas para tratar do andamento de obras que estavam sob sua jurisdição.

16 Comentários

  1. esse esta bem orientado pelo ex presidente LULA e pela cambada do PT, não sabe de nada, nunca ouviu falar de corrupção, se ele substituiu, segundo a presidenta DILMA, o diretor afastado por corrupção, deveria no mínimo saber que existia desvios, está querendo encobrir o antecessor e a turma do partidinho corrupto.

  2. AGORA QUE A DILMA GANHOU NORDESTE NORTE E RIO, O RESULTADO É ESSE AI , NUNCA ACONTECEU NADA PETROBRAS. AINDA TEM GENTE QUE ESTA CRETICANDO O AÉCIO QUE VAI FISCALIZAR, FAÇA ISSO AÉCIO , JÁ QUE ESSES TRAIRA TRAIU VOCE AJUDE NOSSO BRASIL.

  3. O Cosenza vai repetir isso até ser preso e então aceitar fazer a delação premiada, quando se lembrará de tudo. Deixa o MPF botar o torniquete nele e tudo mudará num instante.

  4. Esse é o petista 3 em 1. O mizaru, kikazaru e o iwazaru. Deve ser porque nos 38 anos, ficou puxando o saco de alguém e não teve tempo de zelar pela Petrobrás.

  5. CRUZES, ALEM DO LULA, DA DILMA ESTE TAMBEM E CEGO, SURDO E MUDO.
    ACHO QUE FOI TREINADO EM CUBA.

    O CERTO SERIA INVESTIGAR O TAMANHO DO RABO QUE TEM ATRELADO AO PODER VIGENTE.

    TALVES ESTEJA SENDO BEM PAGO PARA MANTER A VENDA NOS OLHOS, A MORDACA NA BOCA E OS OUVIDOS ENTUPIDOS.

    VADE RETRO, SATANAS.

  6. Parreiras Rodrigues Responder

    Fico me perguntando como é o dia da família desses caboclos. Da mulher, das filhas, dos filhos, nos cabeleireiros, nas academias, nas faculdades, escolas, na balada, nas igrejas ou templos…

  7. NA CORDA BAMBA Responder

    Esta bagunça de governo vai continuar ainda com toda a pompa do mun-
    do. Não vi, não ouvi e não sei de nada… e… Vergonha pura. Quem mandou
    votar no PT novamente…

Comente