Uncategorized

Sobrinho de padre
revela fotos ‘esquecidas’
de Che Guevara

Foto: AFP
che foto - afp

Do G1:

Oito fotos originais tiradas de Ernesto “Che” Guevara logo após a sua morte foram reveladas recentemente, quando se completa quase meio século (47 anos) da morte do revolucionário sul-americano.

Elas foram mantidas em uma casa de família na aldeia Castilistar, na província espanhola de Zaragoza.

Foi Luis Cuartero, missionário espanhol na Bolívia naquela época, que levou as fotos para a Espanha, poucos dias após a morte do guerrilheiro.

Foto: AFP
che foto - afp2

Depois de ter sido fuzilado no vilarejo boliviano de La Higuera, na Bolívia, o corpo de Che foi levado em um helicóptero para o hospital em Vallegrande.

Lá, Che foi exposto na lavanderia do hospital, para que os jornalistas e correspondentes estrangeiros pudessem se certificar de que o revolucionário latino-americano estava efetivamente morto.

“Tinha uma barba negra e rala, cabelos longos e crespos e a sombra de uma cicatriz em seu rosto” descreveu o jornalista britânico Richard Gott, que conhecera Che na vida e conseguiu identificar o corpo.

As fotos guardadas por Luis Cuartero são desses dois dias em que o corpo de Che ficou exposto no local.

“Meu tio chegou a Espanha de barco para casar meus pais entre o fim de outubro e o começo de novembro de 1967”, lembra Imanol Arteaga, sobrinho de Cuartero, à BBC Mundo.

Che Guevara havia sido morto pelo Exército Boliviano alguns dias antes, em 9 de outubro de 1967. Ao chegar, o sacerdote contou à sua irmã que tinha dado as fotos a um jornalista francês.

Investigação

Arteaga disse que a sua família tinha nenhuma simpatia especial por Che ou suas causas, e por isso as imagens acabaram esquecidas por décadas.

“Não demos muita importância”, disse Arteaga.

Anos se passaram até que a morte padre abalou emocionalmente o sobrinho que, pensando em seu tio, lembrou das fotos de Che que ele algumas vezes tinha ouvido falar em discussões familiares.

“Perguntei para minha tia se ela lembrava onde estavam”, relata Arteaga, que é vereador em sua cidade natal.

Arteaga começou a fazer uma pesquisa para descobrir o paradeiro das fotos como uma homenagem ao seu tio.

Ele procurou na Internet e, com um fotógrafo do jornal local “El Heraldo de Aragón”, consultou um especialista em fotografia.

Entre as fotografias, várias são do corpo de Che. Elas parecem ter sido tiradas em momentos diferentes.

Em algumas, ele aparece a jaqueta ainda no corpo sujo e em outras o corpo aparece limpo e parece posicionado para ser exposto.

Há também uma foto de Tamara Bunker, conhecida como Tânia, a companheira de Che na Bolívia.

Arteaga acredita que as fotos que conseguiu sejam de autoria de Marc Hutten, jornalista francês da Agence France Presse (AFP), que morreu em março de 2012.

Ele diz que as fotos têm diferentes texturas e que parece que umas foram feitas com filme colorido, mas foram reveladas em preto e branco.

O espanhol acredita que Hutten pediu a seu tio para tirar essas fotos caso algo acontecesse, já que sabia que ele retornaria a Espanha em breve.

Marc Hutten

Correspondente da AFP, Marc Hutten estava presente quando as autoridades bolivianas mostraram o cadáver de Che em Vallegrande.

Apesar de ser repórter, Hüttel repórter também tirou fotos de Che nesse dia histórico.

Depois de negociar cinco das fotos que estavam com Arteaga, Eric Baradat, editor–chefe de fotografia da AFP contatado pela BBC, disse que essas não são as que a agência têm em arquivo.

Mas Baradat também explica que muitas das fotos que Hutten fez naquele dia foram perdidas.

No total, Hutten teria usado “quatro ou cinco filmes naquele dia”, Baradat explica. Mas a agência de fotografia só mantém um deles.

O repórter enviou todas as fotos para a agência, mas por razões inexplicáveis, a AFP não publicou as fotos de Hutten por décadas.

“Elas estiveram aqui por muitos anos antes de serem distribuídas”, explica Baradat.

“Distribuímos só em 2002”, diz o editor-chefe da AFP. “Hutten tinha suas fotos em cores, enquanto na época fotógrafos profissionais quase sempre usavam o preto e branco.”

Foram fotos coloridas de Che Guevara em que ele aparece com um ar de “mártir” que influenciaram o presidente dos Estados Unidos Barack Obama a decidir não mostrar o corpo de Bin Laden, segundo o que diz o jornal Financial Times no obituário de Hutten.

Arteaga, que diz que falava diariamente por telefone com seu tio, nunca perguntou sobre a origem e autoria de imagens de Che.
“Foi uma das conversas que ficaram faltando”, diz ele, com tristeza.

14 Comentários

  1. O heroi que escondia sua face negra.
    Quem se opunha as suas ideías revolucionárias ou não liam sua cartilha, eram simplesmente assassinados.
    Sua biografia é uma mentira.

  2. Tem muito estudante universitário brasileiro que idolatra o CG, o que é muito triste. Um universitário precisa mostrar a sua capacidade intelectual e jamais aceitar ser o capacho de alguém que apenas sabe promover barulho e maquinar o mal. Se esse ser vivesse nos dias de hoje, ele seria amigo(e cumpanhero) de quem aqui no Brasil? O que ele estaria promovendo(ou implantando) hoje? Então não é preciso dizer mais nada.

  3. Será que tem a foto que êle.. urina nas calças… na hora de sua maravilhosa morte (pelo menos para a democracia)…. O covardão só era macho na traiçoeira… nunca venceu uma peleia… sómente quando estava com o sanguinário.. Fidel.. conseguiram tomar Cuba do Fulgêncio Batista.

  4. Sociedade Responde Responder

    Não acrescentou nada de útil para a melhoria da qualidade de vida da humanidade. Foi, a bem da verdade, um usurpador, boa vida e carrasco de inocentes. Só os que não conhecem a história se iludem com o marketing sobre a figura. Puro folclore.

  5. Sergio Silvestre Responder

    Esses vermes que comentaram acima se tivessem 1% da bravura e do ideal do Fidel e Che já poderiam sair contando historias para os filhos e netos.
    O que eles tem para contar e quando alguém pula sua janela e se escondem no armário quando o distinto chega em casa.Com certesa sua prole não resiste um exame de DNA.

  6. Além de sanguinário, péssimo estrategista, nem um colegial repetente escolheria a Bolívia (sem saída para o mar) para seu QG. Na sua “carreira” solo só fez cacas. Mais um inútil que a mídia produziu para vender mentiras.

  7. Ele se tornou ‘celebridade” pela sua famosa frase, mas muitos que o admiram, NÃO sabem o porquê dela. Mas muitos sabem o verdadeiro significado dela, esse sanguinário do século passado, queria dizer que matava porque tinha o prazer de matar, por isso matava sorrindo, e matava com “ternura”, o sádico.

  8. Será que descobriram que ele dava a ré no quibe? Se descobrirem ele vai virar herói dos gays também.

  9. Esse lixo aí, é um dos maiores assassinos da história. Você Sérgio Silvestre,h´tanto tempo aqui no Blog,e não aprendeu abslutamente nada, continua surdo e cego, porque não quer ouvir nem enxergar, pegue uns trocados, vá até o primeiro Sebo que encontrar, e compre o livro de Juanita Castro, “Fidel e Raul,Meus Irmãos”, ali você vai conhecer quem são teus ídolos, e quem foi esse assassino, Chê Guevara.
    Instrua-se um pouco, cara. Não fale bobagem. Não transmita essa mentira a seus filhos e netos. Teus ídolos cubanos, e esse argentino, são assassinos da por espécie. Não valem nada.
    Ah, e os teus ídolos brasileiros? – Bem, esses, não precisa nem comprar livro. E só ler as páginas policiais todos os dias, que vc encontra um relatório completo de cada um deles. Tudo papa fina. Tudo farinha do mesmo saco; tudo gente boa…

  10. -O maior assassino que Cuba já exportou para o mundo e um covarde sem força moral alguma!!!
    -Foi idealizado como herói por pessoas que nunca conheceram a face selvagem e animalesca desta escória!!!!

  11. vendo o comentário do BigPaul, me despertou a curiosidade, vi alguns comentários da irmã Juanita dos (canalhas) irmãos castro, chocante, traidores com os amigos e principalmente com os irmãos.
    “Como era Fidel Castro em família? Como foi planejada uma das mais marcantes revoluções do Século XX? E como um homem que se dizia anticomunista na juventude transformou seu país na maior ditadura de esquerda depois da União Soviética? Em Fidel e Raúl, meus irmãos – a história secreta, Juanita Castro expõe com impressionante riqueza de detalhes os bastidores da revolução cubana e o lado humano de seus dois irmãos que governam Cuba com braço de ferro há mais de 50 anos.”
    “ela deixa clara sua antipatia por Che Guevara desde o primeiro encontro. De acordo com seu relato, ele não hesitava em mandar para o paredão partidários de Batista, não importava qual participação tivessem tido na Ditadura anterior, incluindo soldados que cumpriam ordens.”
    E a cumpanheira do Brasil de hj, que “combatia” o regime militar no Brasil, hoje idolatram os generais de cuba, até investem lá, claro aqui está tudo a mil maravilhas.

Comente