Uncategorized

Richa sanciona lei de Leprevost sobre
Mutismo Seletivo

unnamed

Foi sancionada pelo governador do Paraná, Beto Richa, a Lei 18259/2014 de autoria do deputado Ney Leprevost que institui a “Campanha de conscientização e valorização da pessoa com Mutismo Seletivo”, que será realizada anualmente em outubro, assim como ocorre nos Estados Unidos.

De acordo com Ney a ideia é esclarecer, sensibilizar e conscientizar a população sobre a importância de buscar os serviços de saúde para diagnosticar e tratar a doença. “Durante a campanha serão promovidas atividades como debates, oficinas, audiências públicas, feiras de saúde e atividades culturais de conscientização”, disse o parlamentar.

E continuou: “Precisamos ampliar o conhecimento e dar a oportunidade das crianças terem o tratamento adequado. É importante também fornecer treinamento para os educadores das redes municipais, estaduais e das escolas particulares”, afirmou Ney.

O mutismo seletivo é um distúrbio que impede que a criança consiga falar na frente de pessoas que não conhece. Essa síndrome acomete 7 a cada mil pessoas e é facilmente confundida com timidez. Sabe-se que a condição manifesta-se precocemente e pode ser transitória – mas em casos raros, pode persistir durante toda a vida escolar da criança. Ainda que se comuniquem de maneira não verbal, essas crianças não falam com seus professores e podem até permanecer caladas com seus colegas. Com frequência, a criança não tem qualquer outro problema identificável e conversa livremente em casa e com amigos próximos.

3 Comentários

  1. Enquanto muitos só fazem intrigas e politicagem , o Leprevost trabalha pelos que precisam .

  2. Este projeto do Ney Leprevost é muito importante . Pois o Mutismo Seletivo é pouco conhecido no Brasil e gera grandes problemas ao desenvolvimento educacional das crianças .

  3. Sergio Silvestre Responder

    Olha,até gosto do jeito bonachão do Leveprost,mas para um pouco de fazer tanta lei que no final pouco é aproveitado.
    Nós contribuintes não aguentamos mais leis que levam a lugar nenhum e só beneficial advogados com tantas variantes,

Comente