Uncategorized

Caso Vargas é adiado pela quarta vez na CCJ

Andre-Vargas

Por falta de quórum, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados adiou, pela quarta vez, a análise de um recurso do deputado André Vargas (PT-PR), que contesta um parecer do Conselho de Ética pedindo a cassação de seu mandato. Uma nova reunião da CCJ foi marcada para hoje. Vargas é acusado de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, investigado pela Polícia Federal no âmbito da operação Lava Jato, que apura um esquema de lavagem de dinheiro que pode ter movimentado R$ 10 bilhões. As informações são da Agência Estado.

O recurso movido por Vargas tem bloqueado os trabalhos da CCJ há semanas. Na semana passada, ele chegou a ser pautado, mas houve um pedido de vista do deputado José Mentor (PT-SP). Relator do caso na CCJ, deputado Sérgio Zveiter (PSD-RJ) elaborou um parecer propondo que o recurso seja negado.

Mentor, por sua vez, deve apresentar na próxima sessão um voto em separado em favor de Vargas. Ele argumenta que houve erros processuais quando o tema foi discutido no Conselho de Ética, entre eles a substituição de membros no dia da votação para que o quórum mínimo para a votação fosse atingido. “O presidente do Supremo não pode mudar os juízes porque é a favor ou contra o caso”, exemplifica. “(Meu voto) questiona o devido processo legal e o contraditório”.

A ligação de Vargas com o doleiro veio a público quando foi revelado, no início do ano, que ele pegou carona em um jatinho pago por Youssef. Nas investigações, ele é apontado ainda como o responsável por indicar um ex-assessor do Ministério da Saúde para trabalhar no Labogen, laboratório que, de acordo com a Polícia Federal, centralizava o esquema de lavagem de dinheiro de Youssef. Vargas nega ter intermediado essa indicação.

Vargas era vice-presidente da Câmara dos Deputados e renunciou ao posto depois das revelações. Temendo danos eleitorais às campanhas da presidente Dilma Rousseff e dos candidatos petistas no Paraná, Gleisi Hoffmann, e em São Paulo, Alexandre Padilha, a direção do PT pressionou Vargas a também abrir mão do mandato. Ele acabou pedindo desfiliação do partido.

7 Comentários

  1. Segunda-feira Vargas visita sede do PT. Quarta-feira, por coincidência,
    adia-se mais uma vez o julgamento na CCJ…..
    O que será que ele foi negociar????
    Será que sabe muito????

  2. Doutor Prolegômeno Responder

    Está na cara que estão cozinhando o galo até expirar o mandato em curso, preservando seus direitos políticos para engambelar o povo na próxima eleição. Até lá a memória curta do populacho esqueceu tudo. Uma mão lava a outra e as duas metem no jarro.

  3. MENSALEIRO JÚNIOR Responder

    TUDO ISSO É MEDO DELE ABRIR O BICO,OU VCs ACHAM QUE ELE JÁ NÃO AVISOU AOS COMPANHEIROS QUE SE FOR CASSADO VAI JOGAR NO VENTILADOR.

  4. VAI SAIR DE MANSINHO … JÁ ESTÁ TUDO MARCADO.NÃO VAI SER CASSADO E NINGUÉM DA OPOSIÇÃO ESTÃO LEMBRANDO DELE.

  5. Aí se tivesse,pego um pedaço de carne,já estaria nos calabouços,da profundeszas da cadeias cinco estrelas do Brasil,eles os,malandros,políticos,pilantras? Aguardando OK???

  6. OS petistas DA CÂMARA DOS DEPUTADOS ESTÃO TODOS COM O RABO PRESO E COM MUITO MEDO DESTE deputado-vereador. SE ELE ABRIR A BOCA E ENTREGA-LOS, SERÃO CASSADOS PELO MENOS UNS 40 deputados petista. POR ISTO OS ADIAMENTOS.

  7. As leis permitem este “cozinha galo” em todos os níveis. É uma pura
    vergonha para um simples ato de cassação. Os caras faltam para não
    ter quorum e fica por isso mesmo !?

Comente