Uncategorized

Crime de responsabilidade

unnamed

Editorial, Estadão

Quando começou a vir à luz o conteúdo das investigações da Operação Lava Jato, lançada pela Polícia Federal (PF) em março deste ano para apurar a corrupção dentro da Petrobrás, houve quem previsse que a dimensão dessa encrenca poderia comprometer a realização das eleições presidenciais. Esse vaticínio catastrófico era obviamente exagerado. Mas os acontecimentos dos últimos dias revelam que esse escândalo sem precedentes não apenas compromete indelevelmente a imagem da maior empresa brasileira e da cúpula do partido que controla o governo federal há 12 anos – inclusive o ex-presidente Lula e a presidente reeleita Dilma Rousseff, como mostramos em editorial de sexta-feira -, mas pode ser só a ponta de um gigantesco iceberg.

Para ficar apenas nos acontecimentos mais importantes dessa semana: a empresa holandesa SBM Offshore, fornecedora da Petrobrás, fez um acordo com o Ministério Público de seu país pelo qual pagará US$ 240 milhões em multas e ressarcimentos para evitar processo judicial por ter feito “pagamentos indevidos” para obter contratos no Brasil e em outros dois países. No Brasil, a CGU iniciou investigações sobre as suspeitas de que cerca de 20 funcionários da Petrobrás teriam aceitado suborno da empresa holandesa.

Na quinta-feira, a auditoria PricewaterhouseCoopers anunciou que não vai assinar o balanço contábil do terceiro trimestre da Petrobrás – cuja divulgação foi por essa razão adiada – enquanto não conhecer as conclusões das investigações internas da empresa sobre o escândalo, por temer o impacto do desvio de recursos sobre os ativos da petroleira. Trata-se de uma precaução raramente adotada por firmas de auditoria – o que demonstra a gravidade da situação da Petrobrás.

Na sexta-feira, a Operação Lava Jato iniciou nova fase, colocando 300 policiais em ação em cinco Estados – São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Pernambuco e Minas Gerais – mais o Distrito Federal, para cumprir 85 mandados de prisão ou de busca contra executivos de empreiteiras e outros investigados por crimes de organização criminosa, formação de cartel, corrupção, fraude à Lei de Licitações e lavagem de dinheiro. Para começar, prenderam no Rio de Janeiro o ex-diretor de Serviços da Petrobrás Renato Duque, indicado para o cargo por José Dirceu.

Enquanto isso, chega a cerca de uma dezena o número de investigados da Lava Jato que reivindicam o benefício da delação premiada, numa demonstração de que quem tem o rabo preso no escândalo já percebeu que a casa caiu e a melhor opção é entregar os anéis para salvar os dedos, como já fizeram o ex-diretor Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef.

Diante das surpreendentes proporções do esquema de corrupção armado dentro da maior estatal brasileira com o objetivo de carrear recursos para o PT e seus aliados, não surpreende que os dois presidentes da República no poder durante o período em que toda essa lambança foi praticada soubessem perfeitamente o que estava ocorrendo. Em 2010 – Lula presidente e Dilma chefe da Casa Civil -, o Palácio do Planalto, por meio de veto aos dispositivos da lei orçamentária que bloqueavam os recursos, liberou mais de R$ 13 bilhões para o pagamento de quatro contratos de obras da Petrobrás, inclusive R$ 6,1 bilhões para a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. O TCU havia chegado à conclusão de que esses custos estavam superfaturados, mas Lula e Dilma entenderam que era preferível tocar as obras. Só essa decisão comprova a responsabilidade desses políticos por um escândalo que deixa o Caso Collor no chinelo.

De fato, está registrada no Diário Oficial da União a prova documental da conivência de dois presidentes da República com a corrupção na Petrobrás. É um escândalo de dimensões mastodônticas que envolve todas as diretorias operacionais da estatal, dezenas de executivos de empreiteiras e outro tanto de políticos de praticamente todos os partidos mais importantes da base governista no desvio de recursos estimados em pelo menos uma dezena de bilhões de reais.

Somente alguém extremamente ingênuo, coisa que Lula definitivamente não é, poderia ignorar de boa-fé o que se passava sob suas barbas. Já Dilma Rousseff de tudo participou, como ministra de Minas e Energia e da Casa Civil e, depois, como presidente da República.

Devem, todos os envolvidos no escândalo, pagar pelo que fizeram – ou não fizeram.

18 Comentários

  1. Parreiras Rodrigues Responder

    Como disse Pedro Simon ontem no Senado, essa senhora fica batendo nas tetas dizendo que mandou a PF, o MP investigar. Mandou porra nenhuma. Pelo contrário, manobrou o quanto pode para não se criar a CPI, para que a composição fosse unipartidária, isso é, exclusivamente por membros da sua base que não atende os pedidos de convocações de políticos – o que vai acontecer daqui prá frente, mas por que se tornou impossível.
    Essa senhora tem que ser responsabilizada criminalmente. Ela tem culpa no cartório, e tem que pagar por isso. Que o seu castigo, além do prescrito em lei, seja também o de reabrir uma loja de 1.99

  2. Mas quando é que vão começar a investigar Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal? Alí também há podridão!

  3. Sherlock Holmes Responder

    Cada enxadada, uma minhoca;
    Onde tem PT, tem corrupção;
    Não existe como escrever corrupto, sem PT;
    O Chefe da maior quadrilha é o Lula;
    A sub-chefe é a Dilma;
    Quem tá na papuda são só os peixinhos;
    Nos próximos dias todos serão liberados,
    pois a quadrilha assumiu o STF;
    Com a palavra Tofolli, Levandoski,etc…
    Acorda Brasil, e cuidem de suas carteiras…

  4. O discurso de “repudio veementemente as acusações feitas a nós”, entenda-se por nós os: partidos políticos, empresas e empresários, lideres governistas e o alto escalão do governo federal e Presidenta e Ex-presidente. Como repudiar, como negar aquilo que está mais do que óbvio? A realidade é colocar todos presos e cada um que responda pelos crimes praticados com direito a ampla defesa e o contraditório. Se punidos, que devolvam o produto do roubo centavo por centavo. O crime praticado por essa quadrilha é o que mais mata no país. O roubo de verbas públicas causa o desabastecimento de alimento escolar, a longa fila de espera no atendimento hospitalar, a falta de segurança e aumento de criminalidade, entre outras. A prova inconteste de que a Presidenta , o Lula e a base governista estão envolvidos em toda as falcatruas está explicita. Falta coragem do judiciário em responsabilizara todos, doa a quem doer.

  5. Doutor Prolegômeno Responder

    Dois editoriais falando sobre o que todo mundo sabe, mas, poucos admitem. Collor foi impichado por muitíssimo menos. Quem está mentindo ? Se o presidente da República mentiu deve ser impichado.

  6. Nao vejo nenhum escandalo na Vale e nem no Itau. Esta provado que as privatizacoes foram acertadas. Privatizem a Petrobras e acabam-se os cabides de empregos para companheiros e a roubalheira. Ai vem a esquerda atrazada e diz, nao, a Petrobras eh nossa. eh nossa ou dos quadrilheiros ?

  7. Alem do Banco do Brasil e Caixa, tem o BNDES, Correios> Não sobra nada , como foi dito a cada enxadada mais minhoca aparece.

  8. Ora, para passar a limpo todos os roubos cometidos por integrantes deste governo, desde o início da era PT/3%, seriam necessários milhares de investigadores e anos de trabalho! Não há uma, uminha, obra sequer sem superfaturamento, lhes asseguro, pelo simples fato de que “eles são incapazes de realizar um negócio lícito”!!

  9. Se a auditoria PricewaterhouseCoopers anunciou que não vai assinar o balanço contábil do terceiro trimestre da Petrobrás, será que assinaram todos os demais, de diversos anos anteriores.
    Caso tenha sido contratada para auditá-los terá que explicar porque deve ter muita linguiça nessa farofa.

  10. Se a polícia federal acaba de apurar que a maracutaia continuou mesmo após a prisão e depoimento do Paulo Roberto Costa e do Alberto Yousseff essa tal presidenta deve ser enquadrada sem dó nem piedade em crime de responsabilidade ou impeachment.

    Ou vamos nos acovardar novamente diante da rapinagem institucionalizada como fizemos com o mensalão?

    Se diante disso tudo que estamos vendo não agirmos como cidadãos deste país o que nos esperará com o país na mão dessa presidenta ligada umbilicalmente e todo esse quadro de degradação pública?

  11. Enquanto isso a Educação, Segurança e Saúde, dever e responsabilidade do Estado está, como está, por falta de investimentos, infra estrutura e míseros salários pagos aos professores, policiais e, principalmente, aos médicos, que após longos e difíceis anos de estudo são trocados por cubanos, exportados pelo regime Castrista, como mercadorias, em troca de R$ 10.000,00, dos quais 8.000,00, vão direto para os cofres Cubanos. Vergonha. Só há uma solução, o povo, pacificamente, ir às ruas e exigir mudanças…já.

  12. Ela sabia de tudo.
    Crime de lesa pátria.
    Perda do mandato e cadeia pra ela e pro chefe da quadrilha lula da Silva.
    IMPEACHMENT DE DILMA JÁ.

  13. Vigilante do Portão Responder

    Ainda não tocaram no assunto PASADENA.

    Estão escondendo o caso.

    Um dos Jornalões, não lembro qual, chegou a falar alguma coisa.

    O medo é que a Severa Comissão da Bolsa Americana investigue a nebulosa transação.

  14. Realmente, não podemos fechar os olhos, cadeia para a Dilma e Lula o quanto antes, pois eles são os culpados dos desmandos e roubos na Petrobrás, e mensalão.

  15. A investigação deve ser total. E cadeia para toda a corja de quadrilheiros, principalmente os que estão “escondidos” sob o poder.

  16. DA EM NADA,SÓ VAI PARAR O DIA EM QUA AS FORÇAS ARMADAS TOMAREM VERGONHA NA CARA E FUZILAR TODA ESSA QUADRILHA DE VAGABUNDOS,A COMEÇAR PELO CHEFE,O LULADRÃO.

Comente