Uncategorized

Sessão da Câmara em Itaperuçu termina em quebra-quebra

Carlos Ohara. Do UOL, em Curiitba

Dois vereadores do município de Itaperuçu, na região metropolitana de Curitiba (PR), viraram mesas e arremessaram cadeiras integrantes da Mesa Diretora durante a sessão do Legislativo realizada na noite de quinta-feira (27).

A fúria dos vereadores Pio Moraes e Derso Pontes –ambos do PP– foi provocada pela nulidade da eleição que definiu a nova Mesa Diretoria para o biênio 2015/2016. Realizada em março deste ano, a eleição foi anulada porque um dos vereadores que votou foi preso pela PF (Polícia Federal) e afastado do cargo em outubro, acusado de falsificar uma edição do “Diário Oficial do Município” para ocupar uma cadeira na Câmara.

Moraes havia sido eleito presidente para o novo mandato e Pontes iria ocupar a primeira secretaria. Durante a leitura da decisão de invalidação da eleição, Moraes se descontrolou, deu um tapa na mesa que ocupava, ao lado de outros vereadores, se levantou e virou a mesa. Do outro lado da sala, Pontes também se levantou e virou a mesa. Moraes jogou um copo de água sobre a mesa e Pontes arremessou duas cadeiras em direção ao diretor da Câmara, Pedro Aparício, que fazia a leitura da decisão.

Enfurecidos, os dois vereadores passaram a gritar com dos demais vereadores. Mais exaltado, Pontes gritava “você não são homens? São sem-vergonha..”, enquanto membros da mesa se refugiavam em uma sala ao lado.

Ele chegou a empurrar o vereador Nelson Adelino Dos Santos (PPS), conhecido como “Cascudo”, que tentou contê-lo. Imagens da fúria dos vereadores foram registradas por Ivo Faria, que mantém um perfil no Facebook com notícias da cidade.

O UOL tentou conversar com os envolvidos na confusão e com vereadores que participaram da sessão. Nenhum deles foi encontrado. A maioria dos celulares estava desligado ou as chamadas eram encaminhadas para a caixa postal. O telefone da Câmara também não foi atendido.
Fraude

Em outubro, a PF prendeu o vereador José Augusto Liberato (SD) por ter fraudado o “Diário Oficial do Município”, que é encartado em um jornal local.

Um encarte adicionado ao jornal, na edição numero 100 do periódico, trazia a publicação de uma emenda aumentando o número de vereadores, que passou de nove para 11 membros. A emenda chegou a ser votada e aprovada no legislativo antes da eleição, em outubro de 2012, mas não foi publicada.

Mesmo falsa, a publicação encartada levou a Câmara de Vereadores, Ministério Público e Justiça Eleitoral a autorizarem o aumento no número de parlamentares, dando posse à Liberato e à José de Freitas (PRB), que ficaram com a primeira e segunda suplência durante a eleição.

Os dois foram empossados em fevereiro de 2013, com salário de R$ 5.5 mil, carro e motorista particular. Em outubro, o dono do jornal disse que o encarte era falso e não havia circulado na edição original, que teria sido impressa em junho de 2012.

Liberato foi preso e a PF concluiu que Freitas não tinha participação na falsificação. Os dois políticos foram destituídos dos cargos pela Justiça Eleitoral.

2 Comentários

  1. Todo dinheiro tirado do erário público, como é o caso presente merece cadeia. Como pode um suplente fazer isso e o outros Vereadores não se darem conta dessa artimanha, ou foram coniventes ou simplesmente omissos? Quero crer que ambos, pois há um Presidente e toda a mesa Diretora para não deixar que isso acontecesse, além, é claro, o restante dos Vereadores. Creio que todos os Vereadores tiveram culpa nesse processado, pois se assim não for, para que servem Vereadores nessa comunidade? Esse é um dos casos mais absurdos que ouvi falar. Uma Câmara Municipal desse quilate, que não fiscaliza seus próprios atos como irá fiscalizar o Executivo.

  2. Pedro conhen conhen Responder

    Eh, Itaperuçu não se endireita mesmo, igual aos demais municípios do Vale do Ribeira que estão numa mmmmm…… só, infelizmente não há vereadores, são na verdade uns paus mandados dos prefeitos e das direções fraudulentas das câmaras de vereadores, corruptos todos, e mais o MP e Judiciário que são coniventes com os desmandos na região do Vale do Ribeira, existe um câncer instalado no Estado do Paraná que corroí os municípios do Vale do Ribeira, Rio Branco, Itaperuçu, Cerro Azul, Doutro Ulysses, Tunas e Bocaiuva do Sul e Almirante Tamandaré, estão todos sob o comando de uma mesma equipes que perdura a uns 20 anos, acho que é uma “mente do mal” por trás disto tudo. Não vou citar nomes aqui porque gostaria muito de ver esta minha publicação neste blog, se citar acho que o blog fica impedido de publicar (não que o blog seja cúmplice da situação, mas pelas nossas Leis que ferram com o jornalismo e o povo). E também porque que abre a boca demais pode engolir mosca ou amanhecer com a boca cheia de formiga. Bom nós do Sul sempre alardeamos que o problema do Brasil seria o Nordeste devido aos desmando dos coronéis e caciques políticos que sempre roubaram o Brasil, agora parece que liderança da roubalheira é o PARANÁ, Curitiba virou ergastulo público para os ladrões do PETROLÃO, Estão o são todos na maioria aqui do Paraná.. Vergonha para nós paranaense.
    Ass. vulgo Pedro Conhen-nhen. Um abço a todos que me conhecem aqui na região.

Comente