Uncategorized

Ex-diretor citou 28 políticos envolvidos em esquema da Petrobras

gleisi-h-470x247 e palocci

Gleisi Hoffmann, ex-ministra chefe da Casa Civil, e Antonio Palocci estão entre os apontados por Paulo Roberto Costa.

Do Estadão:

Primeiro delator da Lava Jato, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa citou em 80 depoimentos que se estenderam por duas semanas, entre agosto e setembro, uma lista de 28 políticos – que inclui ministro e ex-ministros do governo Dilma Rousseff, deputados, senadores, governador e ex-governadores.

O jornal O Estado de S. Paulo obteve a lista completa dos citados. A relação inclui diversos parlamentares que integram a base aliada ao Palácio do Planalto no Congresso como supostos beneficiários do esquema de corrupção e caixa 2 que se instalou na petrolífera entre 2004 e 2012. A lista inclui também o ex-ministro Antonio Palocci, que ocupou a Esplanada nos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma. Em sua delação, Costa teria dito que Palocci pediu, em 2010, um repasse de R$ 2 milhões – que seria para a campanha presidencial de Dilma. Na época, o ex-ministro coordenava a campanha da petista.

O ex-diretor citou ainda o atual ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e os ex-ministros Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Mário Negromonte (Cidades). Foram relacionados também por Costa os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

Há nomes que até aqui ainda não haviam sido revelados, como o governador do Acre, Tião Viana (PT), reeleito em 2014, além dos deputados Vander Luiz dos Santos Loubet (PT-MS), Alexandre José dos Santos (PMDB-RJ), Luiz Fernando Faria (PP-MG) e José Otávio Germano (PP-RS). Entre os congressistas, foram mencionados ao todo sete senadores e onze deputados federais.

O perfil da lista reflete o consórcio partidário que mantinha Costa no cargo e contratos bilionários da estatal sob sua tutela – são 8 políticos do PMDB, 10 do PP, 8 do PT, 1 do PSB e 1 do PSDB. Alguns, segundo o ex-diretor, recebiam repasses com frequência ou valores que chegaram a superar R$ 1 milhão – dinheiro que teria sido usado em campanhas eleitorais. Outros receberam esporadicamente – caso, conforme Costa, do ex-senador Sérgio Guerra, que foi presidente nacional do PSDB e em 2009 teria pedido R$ 10 milhões para arquivar uma CPI da Petrobrás no Senado.

Sobre vários políticos, o ex-diretor apenas mencionou o nome. Não revelou valores que teriam sido distribuídos a eles ou a suas agremiações.

Foram citados ainda os ex-governadores do Rio Sérgio Cabral (PMDB), do Maranhão Roseana Sarney (PMDB) e de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) – que morreu em um acidente aéreo em 13 de agosto, durante campanha presidencial.

Os 28 nomes são exclusivamente de políticos que teriam sido beneficiários dos negócios da diretoria de Costa. A Polícia Federal e a Procuradoria da República trabalham com outros nomes de políticos que se relacionavam com os ex-diretores da estatal Renato Duque (Serviços) e Internacional (Nestor Cerveró).

As revelações foram feitas em depoimentos prestados por Costa à força-tarefa da Lava Jato e fazem parte do acordo de delação premiada firmado pelo ex-diretor com o Ministério Público Federal em troca de redução da pena. Desde que sua delação foi aceita pelo Supremo Tribunal Federal, ele cumpre prisão em regime domiciliar, no Rio.

Alguns nomes dessa lista também aparecem na relação fornecida pelo doleiro Alberto Youssef, que firmou acordo semelhante – ainda não homologado pelo ministro Teori Zavascki, do STF. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve denunciar os envolvidos no esquema de desvios da estatal em fevereiro. A delação do ex-diretor da Petrobrás, já homologada pelo Supremo, estava com Janot desde novembro. Ele aguarda o teor do depoimento de Youssef para cruzar os nomes citados, o que deverá ser realizado até o início da próxima legislatura.

Foro. Na troca da composição do Congresso, alguns dos citados perdem foro privilegiado e passam a ser julgados pela Justiça de primeira instância. Por decisão de Zavascki, as investigações permanecem divididas entre a Corte e a Justiça Federal no Paraná, onde serão investigados os acusados que não têm mandato.

A lista de 28 nomes foi revelada por Costa exclusivamente no âmbito da delação premiada. Como são citados políticos, o caso foi parar no STF. Em depoimentos à primeira instância da Justiça Federal, o ex-diretor não falou de políticos, mas citou que o PP, o PMDB e o PT recebiam de 1% a 3% sobre o valor dos contratos da estatal para abastecer caixa de campanha.

A Lava Jato foi desencadeada em março e identificou a parceria de Costa com o doleiro Youssef. Na última fase da operação, deflagrada em 14 de novembro, foram presos executivos e dirigentes das maiores empreiteiras do País, todos réus em ações penais por corrupção ativa, lavagem de dinheiro, crimes de cartel e fraudes a licitações.

delacao-costa Infográfico: Estadão.

14 Comentários

  1. Fábio, quem somos nós do baixo clero para falar sobre estes nomes. Honestamente se a casa não cair agora não vai cair nunca mais e já não terei dúvidas de que teremos sim uma América do Sul bolivariana, como aliás é desejo dos atuais mandatários do país De hoje em diante vou silenciar, definitivamente, até o resultado final.

  2. Pizza sabor Monte Alegre com o Fedor típico de Telêmaco Borba, cidade natal do delator

  3. Em Pindorama a melhor coisa que existe é ser da oposição, ninguém recebe nada de graça, aí o perigo de se comprometer fica bem menor. A princesinha devia fazer uma peregrinação lá na Índia, e ficar um bom tempo por lá, a coisa anda muita feia para o lado dela.

  4. Primeiro deveriam prender todos os citados. Sendo petista, já se tem o pressuposto de que não presta.
    Lá dentro, na masmorra, é só ameaçar que vai pendurar, que eles contam o resto. Petista é tudo frouxo. Muito macho, mas só enquanto tá atrás de uma tribuna, ou de um cargo. Depois vira franguinha chorona. Embora continue ladra e esperta.
    Prende, e diz: “Vou te pendurar, petista safado!” – E você vai ver que essa ultrapassada e medieval prática é realmente coisa do passado.
    O baguio vem na mão, sem qualquer esforço.

  5. Em que país do planeta uma lista dessa não abalaria o pináculo ou a pinácula do poder que acaba de declarar que a “PTbras é maior que a crise” ?

  6. Entederam agora porque a gleise Barbie lutou contra a instalação da CPI e CPMI da Petrobras? A moralista tinha motivos para não investigar a Petrobras mais não contava com a operação Lava Jato e o Juiz (conterraneo) Sergio Moro no caminho dela.

    É Gleise tem ainda o FGTS liberado pela Itaipu, onde pediu pra sair quando ia se candidatar e acertaram para mandarem embora e sacar a grana do fundo de garantia.

    Sem moral em loirinha.

  7. Laerci da Silva Lima Responder

    Eita povo brasileiro. Saber de roubo ja sabemos que na politica não existem santos. Mas depois que o Brasil passar para as mãos dos PeTralias, ai sim, lascou tudo. E olhe, que se mexer mais um pouquinho, sai mais alguém, há sai com certeza. É Greise tá com a barbinha de molho hein?

  8. Perseu Guido 21 Responder

    Ora, ora… eu vejo assim… quanto mais cabos eleitorais na rua… mais caixa 2… não vou citar nomes, nem partidos. Quanto maior a aliança partidária, mais “ixquemaaa…” o povão não aprende mesmo, nem vai aprender tão cedo… que pena… pois é Fabio, o Atlético vai muito bem, obrigado.

  9. Vigilante do Portão Responder

    Perceberam que a Loira está desaparecida?

    Nem a Gazeta, fiel escudeira da Senadora, abre espaço para a moça;

    Sumiu do mapa.

  10. MENSALEIRO JÚNIOR Responder

    E O CHEFÃO DE TODOS OS ESQUEMAS DE CORRUPÇÃO NO PAÍS, QUANDO VAI SER INDICIADO JUNTO COM O “RONALDINHO DOS NEGÓCIOS” ? SE GRITAR PEGA LADRÃO ,,,,,,,,,,,,,,,,,

  11. Caro FÁBIO, essas informações antes das FESTAS NATALINAS e de encerramento de ANO, tem uma função muito específica de anestesiar e de inocular um VÍRUS de ATENUAÇÃO da INDIGNAÇÃO da sociedade contra todos os membros da ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA que está no poder há 12 anos, inclusive os escondidos em outros partidos cooptados parceiros nos roubos praticados pela quadrilha de bandidos. Espero que a sociedade não ESMOREÇA, e continue cobrando atuação correta dos órgãos responsáveis parabenizando-os pelas conquistas obtidas até agora. Por outro lado essa mesma sociedade tenha dignidade de nesses momentos de férias ESCANDALIZAR e demonstrar por MEIO DE EXECRAÇÃO pública desses elementos meliantes, quando os encontrarem nos salões e nas praias usufruindo do nosso dinheiro literalmente roubado. Esse é apenas o começo. Eles tem conhecimento dos CRIMES PRATICADOS. Defendo a liberdade de opinião, liberdade de imprensa e liberdade de investigação. Apoio a proposta de ” o sul é o meu país”, e proponho o IMPEACHMENT JÁ da DILMA, antes da posse, para evitar maiores constrangimentos e vergonhas para a sociedade brasileira. Atenciosamente.

Comente