Uncategorized

Renan informa: PMDB pode se desvincular do PT no Senado

renan-dilma_1481369

Portador da insatisfação do PMDB no Senado por ter perdido influência na reforma ministerial feita pela presidente Dilma Rousseff, o presidente da Casa, Renan Calheiros (AL), avisou a ministros que o partido não aceitará perder as indicações para o segundo escalão no governo. Em reunião na sexta-feira, 2, na casa do presidente do PMDB e vice de Dilma, Michel Temer, Renan disse aos ministros Aloizio Mercadante (casa Civil), Ricardo Berzoini (Comunicações) e Pepe Vargas (Relações Institucionais) que se isso ocorrer o partido vai declarar independência automática em relação ao Palácio do Planalto.

Dono da maior bancada, com 19 dos 81 senadores, o PMDB do Senado considera que foi “humilhado” por Dilma na reforma, conforme mostrou neste domingo, 4, reportagem do Estado. O partido decidiu não dar mais apoio irrestrito ao governo Dilma.

No primeiro mandato da petista, o partido comandava as pastas de Minas e Energia, do Turismo e da Previdência Social. O partido avaliava que na mudança do primeiro escalão – após ter sido, no final do ano passado, o principal fiador da aprovação do projeto que permitiu ao governo abandonar o cumprimento da meta fiscal de 2014 – seria agraciado com, pelo menos, dois ministérios de peso.

5 Comentários

  1. Cargos no executivo devem ser ocupados por técnicos e não por políticos.
    Querem os ministérios para quê?
    Para roubar em superfaturamentos, obras inexistentes, serviços inexistentes e nomear afilhados políticos analfabetos para cargos com altos salários?
    Que contribuição esses políticos dariam a um ministério?
    Só se criarem o Ministério da Propina e da Trambicagem (MPT). Aí saberiam fazer.

  2. Caro FÁBIO, essa dupla é por demais de perigosa, e possuem antecedentes criminais. Ele acusa o golpe e demonstra insatisfação apenas para melhorar o cachê. Ele aumenta o valor da pedida, ela paga e no final quem pagará por esse CONLUIO será a população brasileira. Eles não perdem nada, pelo contrário. Essa fase de encontros faz parte do processo de acasalamento. Defendo a liberdade de opinião, liberdade de imprensa e liberdade de investigação. Apoio a proposta de ” o sul é o meu país”, e proponho o IMPEACHMENT JÁ da DILMA, agora no poder, para evitar maiores dissabores e VERGONHAS a sociedade brasileira. Atenciosamente.

  3. JOAQUINZÃO DO SUDOESTE Responder

    Isso aí,é jogadinha de malandro do Senhor Renam Calheiros,é jogada ,para barganhar,ganhar mais cargos,mais tetas,para nomear seus puxa sacos e fazer esquemas,semelhante ao que fez na Petrobrás até agora.Se foi o Sarney,mas sobrou esse ca. aí…..

  4. PREZADO FÁBIO,
    SOBRE O RELACIONAMENTO DILMA X RENAN.
    A COOPTAÇÃO DO RENAN, PELA DILMA, ATRAVÉS DE OFERTA DE CARGOS A FILIADOS E REPRESENTANTES DO PMDB CARACTERIZA USO DÁ MÁQUINA PÚBLICA EM BENEFÍCIO PESSOAL.
    SERÁ QUE NINGUÉM AINDA NÃO SE DEU CONTA DISSO. ISSO OFENDE O PRINCÍPIO DA MORALIDADE, ME DESCULPEM SE ESTOU EQUIVOCADO.
    NA VERDADE, O CARGO DE PRESID. DO SENADO E DA CÂMARA DEVERIA SER VEDADO A POLÍTICOS DE PARTIDOS QUE INTEGRAM O PODER EXECUTIVO.
    POIS NÃO OCORRENDO ISSO, FICA COMPROMETIDO O DEVER FISCALIZATÓRIO DO LEGISLATIVO.

Comente