Uncategorized

Suspeito de ataque se entrega à polícia francesa

Kouachi
Hamid Mourad, de 18 anos, se apresentou em delegacia após ver seu nome ligado ao atentado nas rede sociais

PARIS — O mais novo dos três suspeitos no ataque à redação do semanário “Charlie Hebdo” se entregou em uma delegacia de Charleville-Mezieres, e foi detido na noite desta quarta-feira.

Hamid Mourad, de 18 anos, suspeita de ter dirigido o carro no qual os dois atiradores fugiram, se apresentou por volta das 23h, e declarou que se entregou depois de ver seu nome circulando nas redes sociais. Hamid seria cunhado dos irmãos Saïd e Cherif Kouachi, de 34 e 32 anos, apontados como possíveis responsáveis pelo ataque na redação do semanário. Chérif foi preso em 2008 por ligações com a al-Qaeda iraquiana.

“Ele foi interrogado e está preso”, teria informado uma fonte liagada ao caso, acrescentando que outras prisões para interrogatório, de pessoas próximas aos irmaõs Kouachi, também estão em andamento.

O trio é suspeito de ter invadido a redação do semanário, matando 12 pessoas e ferindo uma dezena. Após o massacre, os suspeitos fugiram em um carro preto. O véiculo foi encontrado, mas, de acordo coma polícia, ele foi abandonado e os suspeitos, vestindos com roupas negras e usando máscaras, decidiram seguir em outro veículo.

— Perseguiremos esses criminosos pelo tempo que for necessário para que a justiça seja feita — afirmou o presidente François Hollande, que classificou o ato como “um atentado terrorista”.

O ataques aconteceram após o semanário publicar matérias e charges consideradas anti-islâmicas. O “Charlie Hebdo” já havia sido criticado no passado por publicar charges ironizando o profeta Maomé.

Jornalistas condenam ataque

A Associação Mundial de Jornais (WAN, na sigla em inglês) e o Fórum Mundial de Editores condenaram fortemente o ataque contra o semanário “Charlie Hebdo”, em Paris, que deixou 12 mortos e pelo menos cinco seriamente feridos nesta segunda-feira.

“Nós condenamos da forma mais forte possível esta absurda atrocidade e nos colocamos ao lado do Charlie Hebdo e de toda a comunidade jornalística na França na busca de justiça para as vítimas”, disse em comunicado o CEO da WAN-IFRA, Vincent Peyrègne.

Segundo Peyrègne, trata-se de um ataque à liberdade de imprensa e à sociedade.

“Com 61 jornalistas mortos em 2014 e o ano novo começando sob condições tão terríveis, nós observamos que um ataque desta natureza atinge o coração das liberdades que a imprensa da França defende tão apaixonadamente. Não é apenas um ataque contra a imprensa, mas também contra a sociedade e os valores pelos quais todos lutamos. Isto deve ser um alerta para todos nós nos impormos contra o crescente clima de ódio que ameaça fraturar nossa compreensão de democracia”.

O incidente foi oficialmente declarado ataque terrorista pelo presidente François Hollande, e o país teve seu nível de alerta terrorista elevado ao máximo, com policiais armados vigiando os prédios de veículos de comunicação e outros locais.

Em 2011, um atentado com bomba incendiária destruiu a então sede do semanário. O semanário continuou com sua posição de sátiras críticas, apesar de ameaças subsequentes.

1 Comentário

  1. O FIM DO MUNDO ESTÁ PREVISTO PARA BREVE, ESTAMOS ASSISTINDO AS MAIORES ATROCIDADES, IMPENSADAS ATÉ ENTÃO, QUER ATRAVÉS DE DOENÇAS FATAIS E OUTRAS INCURÁVEIS, AS CORRUPÇÕES NOS PAÍSES EMERGENTES, O TERRORISMO DESENFREADO UE ASSOLA O PLANETA TODO, ESTE COM O ÚNICO E PRINCIPAL OBJETIVO IMPOR O SUA RELIGIÃO À HUMANIDADE, COM ÓDIO E DESRESPEITO À VIDA, ALÉM DAS CATÁSTROFES etc.etc.etc. O MUNDO TEM QUE SER REPENSADO, PRECISAMOS REFLETIR E ENCONTRAR MEIOS SUFICIENTES DE DEFESA, TANTO PREVENTIVAS QUANTO DEFINITIVAS PARA RESOLVER ESSES PROBLEMAS, MUITOS DELES CRIADOS POR NÓS MESMOS.

Comente