Uncategorized

Waldo, o criador do X-Picanha, é encontrado morto em Curitiba

Corpo estava trancado em uma lanchonete. Hipótese investigada pela polícia é que ele tenha cometido suicídio.

de Rodrigo Batista, da Gazeta do Povo:

O comerciante de Curitiba Waldo Vaz, conhecido por criar o Waldo X-Picanha, foi encontrado morto na noite de segunda-feira (12) dentro de um estabelecimento de sua propriedade, localizado no bairro Bigorrilho. Um de seus funcionários encontrou o local trancado e chamou a Polícia Militar. A porta foi arrombada e Vaz estava caído no chão.

A morte é investigada pela Divisão de Homicídios (DHPP). Segundo a Polícia Civil, o funcionário relatou que tinha um encontro com o comerciante naquela noite no estabelecimento, mas encontrou o local trancado e sentiu um forte cheiro de gás vindo do interior da lanchonete.

Ele chamou a polícia e a porta foi arrombada, momento em que Vaz foi encontrado, já morto. A hipótese da Polícia Civil é de que o comerciante tenha cometido suicídio, mas as investigações ainda seguem na DHPP.

Vaz tinha 57 anos e desde 1983 trabalhava com comércio de alimentos e criou o X-Picanha que se tornaria uma marca em Curitiba. O primeiro estabelecimento ficava na Rua Cruz Machado, onde trabalhavam Vaz como chapeiro e um assistente. Atualmente não tinha mais ligação com a rede X-Picanha e dirigia outra lanchonete na cidade.

Amante de música, principalmente de blues, Waldo sempre foi um incentivador e patrocinador de shows e programas de rádio em Curitiba.

9 Comentários

  1. Esse coitado pagou “caro” o seu erro! enquanto esses “políticos” que estão destruindo o “nosso” estado e o “nosso” Brasil, continuam “numa boa” – lembremos o Bamerindus! deu para entender!

  2. Será que o Fábio de Souza Camargo (aquele do Tribunal de Contas) vai no velório e enterro do amigo?

  3. Boatos existe a anos sobre delivery de drogas. Bastou aparecer nome de político e começa aparecer mortos…que coisa hem

  4. Juca voce matou a charada. Talvez haja algum choro no velorio. Até os cegos desvendariam esse mistério.

Comente