Uncategorized

Guerra é guerra

pmdb

A cúpula do PMDB, reunida esta semana para evitar candidaturas avulsas no Senado e na Câmara, está convencida da vitória de Renan Calheiros e Eduardo Cunha à presidência das duas Casas. O vice Michel Temer, que acumula a presidência do partido, já tratou de avisar que a legenda não apoiará quaisquer candidatos sem o aval da maioria das bancadas, jogando um balde de água em algumas figuras que tentavam se viabilizar. A cúpula peemedebista segue a campanha de Cunha e acha improvável que ele perca. A eleição será dia 2 de fevereiro e Renan sai em campo às vésperas do pleito. Ele garante ter número suficiente para sua reeleição.

Renan Calheiros, candidato à reeleição para à presidência do Senado, conversou com Lula, reclamando que a presidente Dilma teria designado os novos ministros Cid Gomes (Educação) e Gilberto Kassab (Cidades) para fazer uma articulação-extra no Congresso, contra sua candidatura e de Eduardo Cunha. O ex-presidente acha que esse tipo de ação de ministros que acabam de ser empossados, não dará certo. Renan não hesitou: “Guerra é guerra e não vamos ser humilhados”.

3 Comentários

  1. Não pode ser sério, um partido, nem seus filiados, subservientes,e capachos do petismo canalha, e ainda por cima, lutam pra colocar Renan Calheiros como presidente do Senado. Isso é o fim mesmo.

  2. jose carlos pinto Reply

    O RENAN NÃO LARGA A TETA NEM QUE MORRA, AS SUJEIRAS DO PARLAMENTAR TEM QUE FICAR AMOITADA.

  3. TUDO A MESMA COISA, MUDA BRASIL, CHEGA DESSA TURMA. SRA. DILMA NÃO MUDA MESMO DA LUGAR PARA OUTROS TAMBEM , É SÓ PMDB E PT QUE VERGONHA.

Comente