Uncategorized

Chinaglia em Curitiba

chinaglia

Candidato à presidência da Câmara, o deputado federal Arlindo Chinaglia (PT-SP) visitou Curitiba nesta segunda-feira (19). Ele se reuniu com o governador Beto Richa (PSDB), com o prefeito Gustavo Fruet (PDT) e, mais tarde, jantou com deputados do PT e do PCdoB. Durante a visita, ele negou que tenha um acordo com o candidato Julio Delgado (PSB-MG) de apoio mútuo em caso de segundo turno contra Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Ele disse, ainda, que podem haver “novidades” nos próximos dias em relação ao apoio formal de partidos. As informações são da Gazeta do Povo.

Segundo matéria do jornal O Globo, na última sexta-feira, Chinaglia teria declarado apoio a Delgado, que é o candidato da oposição, contra Cunha, em um eventual segundo turno. Em Curitiba, ele negou ter feito essa afirmação. “Eu disse que, se eu não fosse ao segundo turno, não teria dificuldade nenhuma de apoiá-lo. E, se eu for ao segundo turno e ele não, gostaria de ter seu apoio. Mas nós não combinamos, não existe esse acordo, fiz apenas esse registro elogioso”, disse.

Chinaglia disse ainda que as conversas com partidos da base aliada “estão bem” e que está “otimista” com a construção de um “grande bloco”. “Durante esta semana, podemos ter alguma novidade”, disse, sem especificar qual. O deputado falou, entretanto, que, até o momento, conta com o apoio apenas do PT, do PCdoB e do Pros. Questionado sobre a pauta conservadora proposta por Cunha, o petista disse que não tem a candidatura do peemedebista como referência, e que a pauta do Legislativo deve se aproximar dos problemas vividos pela população.

Visita

O petista começou sua visita a Curitiba pelo Palácio Iguaçu. Após se reunir com Richa, ele minimizou os atritos do governador com o PT. “As disputas ficaram para trás, o povo decidiu, e os eleitos tem a legitimidade do mandato. A Câmara tem que ter uma agenda nacional, e o presidente tem que ouvir os partidos de oposição e de apoio ao governo”, afirma. Ao longo dos últimos anos, o tucano acusa o governo petista de perseguição política.

Durante a visita, ele foi acompanhado pelos deputados federais eleitos Ênio Verri (PT), Toninho Wandscheer (PT), Aliel Machado (PCdoB) e Orlando Silva (PCdoB-SP). Uma pequena bancada do PSD, incluindo Evandro Rogério Roman, Pedro Guerra, e o secretário-chefe da Casa Civil Eduardo Sciarra encontraram a comitiva já no Palácio.

Em seguida, o grupo visitou Fruet – que conta com o apoio do PT na administração. À noite, Chinaglia jantou com os deputados federais do PT, do PCdoB e com o ex-deputado Ricardo Gomyde (PCdoB).

Campanha

Os adversários do petista também visitaram Curitiba nos últimos meses.Na semana passada, o deputado Júlio Delgado (PSB) esteve em Curitiba para pedir o apoio de Richa para presidir a Câmara. Chinaglia afirmou que “se sentiria confortável” em apoiar Delgado no segundo turno, mas que não houve nenhuma negociação em relação a isso até o momento.

Em dezembro, o deputado Eduardo Cunha PMDB) também esteve em Curitiba em campanha para a presidência da Câmara. Ele se encontrou com o governador Beto Richa (PSDB), com o prefeito Gustavo Fruet (PDT), com o presidente da Assembleia Legislativa Valdir Rossoni (PSDB) e com os demais deputados paranaenses.

2 Comentários

  1. O GOVERNADOR BETO RICHA DEVERÁ FAZER UM GASTO EXTRA E DESNECESSÁRIO NO PALÁCIO DO GOVERNO. ISTO PORQUE, POR EDUCAÇÃO RECEBEU A VISITA DE UM petista, O PALÁCIO DEVERÁ SER DESINFETADO, DESRATIZADO E DESVERMINADO. SENÃO…

  2. Esse é outro petista, pra variar, que mais dias, menos dias, o que restou da Bancoop, vai cair sobre a cabeça dele ejogá-lo na Papuda. Pelo menos isso, né Dr. Moro.

Comente