Uncategorized

Defesa tem ‘meros arroubos retóricos’,
diz Sérgio Moro

sergio moro - pf

Em ofício enviado ao ministro do STF, Teori Zavascki, o juiz Sérgio Moro, que conduz todas ações da Operação Lava Jato, negou haver ‘tortura psicológica’ a empreiteiros presos. Moro atribui versão da defesa a ‘meros arroubos retóricos’. O juiz afirmou ainda que as prisões não tem como objetivo ‘obter confissões involuntárias’. “Já a equiparação da prisão à “tortura psicológica”, não vislumbro sentido nela salvo se então admitido que todos os presos brasileiros sejam também considerados “torturados psicológicos””, afirmou Moro. As informações são do Estadão.

Onze dirigentes das maiores empreiteiras do País foram presos por ordem de Moro. Os empresários estão presos em caráter preventivo na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, base da operação. Eles são réus em ações penais por formação de organização criminosa, corrupção ativa e lavagem de dinheiro. Os executivos podem receber visitas às quartas-­feiras, como os outros presos, alvos de outras missões da PF. Na semana passada, os advogados que os defendem protocolaram respostas às acusações do Ministério Público Federal. Os advogados, criminalistas experientes, refutam os ilícitos atribuídos a seus clientes e alegam que eles estão sofrendo tortura psicológica.

A estratégia adotada pelos advogados dos executivos afirma que as prisões são parte de tortura psicológica, para que os empreiteiros façam acordos de delação premiada. No último dia 15, os criminalistas que defendem o vice­-presidente da Engevix Engenharia, Gerson de Mello Almada, preso em novembro, entraram com um pedido de habeas corpus na Justiça Federal. Segundo eles, ao executivo estava sendo imposto ‘um sofrimento desmedido’ para que ele fizesse um acordo de delação premiada ou confessasse os fatos que lhe foram imputados.

“Tal constatação tem por base empírica essa série de fatos conhecidos da realidade concreta, os quais, observados numa visão do todo, autorizam o processo lógico de natureza indutiva­-dedutiva que leva a reconhecer a prisão do Paciente como forma ilegal de coação para colaborar com a investigação e com o processo criminal”, afirmam os advogados.

O habeas corpus é subscrito pelos criminalistas Antonio Sergio Pitombo e Luciana Louzado. Eles afirmam também que a acusação contra Almada foi exagerada e a denúncia infiel à verdade dos acontecimentos. Para os advogados, Almada está sofrendo constrangimento ilegal há mais de 60 dias.

6 Comentários

  1. Banestado, eu lembro! Responder

    Hum…engracado! Quando no caso Banestado, um dos delatores(não o Youssef) visitou com gravador (ou seja de maneira ilegal), seus ex companheiros de banco, e um deles por raiva e angústia, falou que o juiz era canalha e merecia a morte, mesmo sendo uma gravação criminosa, e o sentimento do réu realmente compreensível (inclusive por ser um dos vários inocentes condenados, conforme a própria receita averiguou pela ausência de evolução patrimonial, conforme a própria falta de tecnologia da época impossibilitar a comunicação a distância), mesmo assim, o magistrado, anti retórica, mandou deter por se sentir ameaçado! Realmente, abomin petistas e afins, e abomino golpe baixo, porém…este juiz não merece, pelo seu passado, pelas injustiças que cometeu, etc, este papel de paladino da justiça! Está na hora de reabrirem o caso Banestado, punir os verdadeiros culpados, e principalmente pedir perdão aos que foram injustamente condenados! Porém, como o processo já prescreveu….a única atitude possível, mas já seria decente, seria reconhecer a inocência dos que merecem, e o País pedir perdão! Fora isso, desconfio deste magistrado, garanto que quem conhece ele, também não morre de amores por ele!

  2. Esses cidadãos presos são bem brasileiros mesmo, fazem cáca e depois ficam chorando, agora eles lembram que existe constituição e direitos humanos, mas quando estavam vivendo na malandragem pouco sabiam desses temas.

  3. Sergio Silvestre Responder

    Gostaria que o Juiz Moro explicasse o por que é tão ligado umbilicalmente ao Yossef e este sempre se safa.Lá no tempo do Jairo Gianoto onde roubaram quase toda a cidade ele atuou,só no caso ama comurb em Londrina eles se apartaram,no caso Banestado onde só foi foguetório e minguem preso nem devolução lá estavam o Moro e o Yossef e olha que eu nunca vi delação ll,isso quer dizer,lá atras o yossef mentiu e conseguiu de novo o beneficio.Isso pode juiz Moro.?

  4. Depois que esse juiz homologou aquele acordo de pai para filho com o Youssef, as informacoes soh poderiam ser do Estadão! Porque serah? Kkkkk

  5. Pau neles, juiz Moro. TUDO QUADRILHEIRO. TUDO AMIGO DE LULLA E DA CHEFA. Só naõ vá esquecer desses dois útimos, hein?
    Eles são os chefes da quadrilha.

  6. Silvestre, isto que você faz, é diarréia opinativa. Toma chá de folha de araçá ou de pitanga que passa.

Comente