Uncategorized

Jordânia promete retaliação após morte
de piloto pelo Estado Islâmico

islã

Estado Islâmico divulgou vídeo no qual piloto jordaniano Moaz al-Kasasbeh é supostamente queimado vivo

RIO — Após a divulgação do vídeo no qual o Estado Islâmico afirma ter queimado vivo o piloto jordaniano Moaz al-Kassaesbeh, nesta terça-feira, o governo da Jordânia prometeu “punições e vingança” contra os responsáveis.

— As Forças Armadas informam que o heróico piloto Muaz al-Kasasbeh morreu e pedem a Deus que o aceite entre os mártires — afirmou em pronunciamento na TV, o porta-voz do Exército jordaniano, Mamdouh al-Ameri. — Embora chorem a morte de seu mártir, as Forças Armadas enfatizam que seu sangue não foi derramado em vão. Nossa punição e vingança serão tão enormes quanto a perda do povo jordaniano.

Segundo fontes jordanianas à SkyNews Arabia, a mulher-bomba Sajida al-Rishawi, que seria trocada por al-Kassasbeh, e outros cinco extremistas islâmicos serão executados nesta terça-feira. De acordo com a rede CBC, Sadija foi transferida para a prisão na qual as execuções legais são aplicadas.

— Este foi um ato terrorista covarde de um grupo de criminosos sem relação com o Islã — afirmou o rei jordaniano, Abdullah II. — Todos os cidadãos jordanianos devem permanecer unidos.

Em Washington, o presidente americano, Barack Obama, comentou a morte de al-Kassasbeh, e criticou a violência do grupo extremista.

— A dedicação, o valor e o serviço do tenente Al-Kassasbeh a seu país e sua família representam valores humanos universais que ressaltam por contraste a covardia e depravação do Estado Islâmico, que foram rechaçadas ao redor do mundo. Teremos que redobrar a vigilância para ter certeza de que ele sejam grandemente derrotados, independente de sua ideologia — afirmou o presidente americano. — Foi mais uma demonstração da crueldade e da barbárie deste grupo, interessado apenas em morte e destruição.

Usando o mesmo tom, o chefe do Comando Central americano (Centcom), general Lloyd Austin, que lidera a luta contra o grupo radical, qualificou de “selvagem” a execução do piloto em um comunicado, no qual prometeu “combater este inimigo bárbaro até que seja vencido”.

Obama se reuniu no início desta noite com o rei jordaniano Abdullah II, que conversou com o vice-presidente americano Joe Biden e o secretário americano de Estado, John Kerry, durante a tarde.

— Hoje estamos ao lado do povo da Jordânia no lamento pela morte de um de seus cidadãos — afirmou o presidente, reafirmando sua intenção de oferecer US$ 3 bilhões em apoio à segurança do país. — Nesse momento de dor mútua, devemos nos manter unidos em respeito a seu sacrifício para combater essa ameaça.

O secretário-geral da Nações Unidas, Ban Ki-moon condenou o assassinato do piloto, afirmando que o Estado islâmico é “uma organização terrorista sem respeito pela vida humana”, e pedindo a governos que “amplifiquem seus esforços para combater o flagelo do terrorismo e do extremismo religioso”.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse que o assassinato “apenas reafirma a vontade da coalizão em derrotar os jihadistas”, enquanto o presidente francês, François Hollande, condenou “o assassinato bárbaro” e apresentou suas condolências à família e ao povo jordaniano, segundo um comunicado do Palácio do Eliseu.

Em Karak, na Jordânia, parentes do piloto, membro de um clãs que formam o núcleo de apoio ao reinado de Abdullah II, se reuniram com manifestantes que realizavam um protesto, e pediram calma, afirmando que o governo tomará as medidas necessárias para vingar a morte de al-Kassasbeh.

— Quero ver os corpos de Sadija e de todos os outros terroristas nas prisões jordanianas incinerados — afirmou Abdullah al-Majali, um funcionário do governo nacional que participou da manifestação. — Somente então minha sede de vingança estará saciada.

9 Comentários

  1. daqui a pouco eles estão no noroeste do paraná treinado para olimpiadas
    faltam 18 meses

  2. Os últimos acontecimentos de execuções que ocorreram pelo estado
    islamico nada mais é do que a degradação do ser humano. As guerras
    que continuam ocorrendo motivadas por ocupações territoriais e religiões
    nos dão a noção de quanto o ser humano é fútil do ponto de vista mental.
    Do lado de cá observando e do lado de lá matando seres humanos como
    se fossem moscas. Com certeza chegamos no fundo do poço…

  3. Vigilante do Portão Responder

    Não sei não,

    A imagem parece falsa.
    Longe de mim, sem conhecimento técnico, contestar a matéria.

    Entretanto, o vídeo mostra imagens do “antes”.

    As vestes do imolado estavam ENCHARCADAS de líquido.

    Fosse verdade (ser inflamável), o fogo teria sido no corpo inteiro, Nas imagens, como acima, as chamas estão na parte inferior do imolado.

    A expressão facial e os gestos do sujeito, notem, não traduz a atitude de quem se defende.

    Parece MONTAGEM.

  4. O Horror vem aí e, como dizia o cômico, a minha vingança será “maligrina”. Brincadeiras à parte a barbárie será seguida de uma onde de terror digna de filme de horror no Oriente Médio. Não vai ficar pedra sobre pedra. Se a camarada Dilma quer “ajudar” estes terroristas a hora é agora, porque poucos deles vão sobreviver depois deste “holocausto” prometido pela Jordânia.

  5. Sergio Silvestre Responder

    Tive essa mesma impressão,se tivessem molhado as vestes com gasolina ou óleo o fogo não daria tempo a se filmar da cintura para baixo,Foto falsa,os extremistas não matam assim muçulmanos,mas se fossem americanos ou japonês já o teriam decapitado.

Comente