Uncategorized

Presidente da Venezuela ordena ocupação de rede de lojas

venezuela
Maduro também deu instruções para que donos e diretores dos estabelecimentos sejam detidos

CARACAS — No segundo capítulo de uma ofensiva contra o setor empresarial da Venezuela, o presidente Nicolás Maduro ordenou na segunda-feira que uma rede de lojas de alimentos e de produtos domésticos com 36 sucursais, acusada por ele de fazer uma guerra alimentar, seja ocupada por autoridades governamentais e que seus diretores e donos sejam detidos. A medida vem um dia após a detenção de proprietários da Farmatodo — maior rede privada de farmácias do país —, por provocar filas intencionalmente para “irritar o povo venezuelano”, segundo o chefe de Estado.

— Dei ordens precisas ao vice-presidente de segurança e soberania alimentar (para que) estas lojas sejam ocupadas na madrugada (de terça-feira) e o serviço ao povo da Venezuela seja regularizado — disse Maduro na noite de segunda-feira.

O presidente não quis citar o nome da rede e limitou-se a apontar que é de caráter popular, com 36 lojas de produtos alimentícios e de higiene em setores populares de seis cidades do país. Meios de comunicação locais afirmam que se trata da rede Día a Día.

Por determinação do governo, a Farmatodo deverá ser introduzida ao sistema de distribuição Missão Alimentar, no qual prevê uma parceira público-privado. No entanto, de acordo com uma fonte próxima à empresa, os diretores desconhecem detalhes da medida e não sabem se se trata de uma expropriação.

A ofensiva do governo chavista ocorre num momento em que a escassez de alimentos e de produtos básicos se intensifica. É comum ver filas intermináveis e tumultos em estabelecimentos comerciais.

A ocupação será realizada, segundo Maduro, “em fiel cumprimento da Constituição e da lei de segurança alimentar”, mas o presidente não deu detalhes da operação.

Maduro batizou a ocupação como “operação Sucre”, coincidindo com o nascimento do herói independentista venezuelano Antonio José de Sucre, celebrado nesta terça-feira.

13 Comentários

  1. Sergio Silvestre Responder

    Aqui tem também uma guerrinha de algumas redes que elevam os preços aleatoriamente.
    Quem sabe uma intervençãozinha nelas né

  2. A “amizade” que leva Dilma e Lula à Venezuela, Bolívia e Cuba é
    uma afronta ao povo brasileiro. Assim como na reportagem acima quando
    a ditadura violenta entra em ação acabou tudo para o ser humano. O nosso
    governo do PT está no mesmo caminho. Os incentivos que os sem terras
    estão recebendo do governo para invasões ininterruptas às terras produti-
    vas são um belo exemplo das barbaridades deste governo. E os brasileiros
    de bem vão ficar de braços cruzados !?

  3. MANOEL BOCUDO. Responder

    ESSES SÃO OS COMPANHEIROS DO LULA E DILMA, COM RECESSÃO PODEMOS CHEGAR AOS MESMOS NÚMEROS DA VENEZUELA E BOLÌVIA.
    BEM CUBA JÁ ESTAMOS FINANCIANDO TUDO LÁ.

  4. Do Interior..... Responder

    Vote na laia dos cucarachos cubanos que dá nisso. O Brasil, com os marginais do poder vermelhos, pode ir para o mesmo rumo.

    Conseguiram falir a maior empresa de petróleo do mundo. Daí para falir o país é um pulinho.

    Fora PT
    Fora cubanos vermelhos!

  5. Acostumado a uma tradição de impunidade, todos os caminhos do bolivarianismo leva a ruina do país. Nicolau Maduro, é um ser sem princípios morais, vergonha, escrúpulos e decência. Uma massa popular desinformada, garante o poder desse ditador. Que arrasta a população para a sarjeta.

  6. O ditadorzinho venezuelano só está seguindo o que preconiza o Socialismo do Século XXI, estatizando a economia no interesse popular. Quem não quiser vender com prejuízo que baixe as portas. E não as levante mais.

  7. Não é uma graça esta criatura? Simples assim: ocupa e usufrui.

    Pobres venezuelanos.

Comente