Uncategorized

Vereadores sugerem usar verba de novo prédio para diminuir tarifa do ônibus

de Rogério Galindo, Caixa Zero/Gazeta do Povo:

Um grupo de vereadores sugeriu nesta terça-feira que a Câmara de Curitiba destine pelo menos R$ 40 milhões do dinheiro que tem em caixa para ajudar a prefeitura a bancar o transporte coletivo da capital. Hoje, a Câmara tem pouco mais de R$ 41 milhões em caixa. A ideia é gastar boa parte desse dinheiro em uma nova sede para o Legislativo. “Peço que pelo menos R$ 40 milhões do FEC sejam destinados ao Transporte e ao pagamento das horas extras da Saúde”, disse o vereador Valdemir Soares (PRB), que assinou um requerimento sobre o tema junto com outros de seu grupo “independente”. São os mesmos vereadores que no ano passado criaram uma dissidência que votou contra o reajuste do IPTU e do ITBI na cidade e que lançaram uma candidatura contra o atual presidente da câmara, Aílton Araújo (PSC).

Em 2013, o então presidente da Câmara de Curitiba Paulo Salamuni (PV) destinou R$ 10 milhões do fundo para o transporte coletivo, depois das manifestações de rua de junho. Esse foi um dos fatores que permitiram a baixa da tarifa de R$ 2,85 para R$ 2,70 na época. Meses depois, a tarifa voltou a R$ 2,85, valor atual. A prefeitura deve anunciar nesta terça um novo valor da passagem, que pode chegar a R$ 3,15.

O transporte coletivo de Curitiba e região custa por ano cerca de R$ 1 bilhão. Assim, os R$ 40 milhões, caso entrassem no sistema, representariam cerca de 4% do total. Ou seja: aplicado sobre uma tar4ifa técnica de R$ 3,70 (que não é cobrada dos passageiros, mas é o quanto se repassa aos empresários para cada pessoa que passa pelas catracas), isso representa uma redução de R$ 0,14.

Na prática, a prefeitura, caso recebesse os valore, teria duas opções: reduzir a tarifa do usuário, que ficaria então em cerca de R$ 3, ou continuar cobrando algo perto de R$ 3,15 e diminuir o subsídio que terá de encaminhar mensalmente ao sistema.No entanto, é difícil saber se a Câmara aceitará a proposta. O atual presidente, Ailton Araújo, diz que é preciso construir um novo prédio, já que no atual “não dá gosto” nem de receber visitas, devido a um suposto mau estado de conservação.

5 Comentários

  1. Miguel Jorge Rosa Neto Responder

    Ilustre Presidente da Câmara Municipal de Curitiba, Vereador Ailton Araújo:
    Será que V. Exa. ainda não se deu conta que Vereadores não estão aí para receber visitas?
    Estão aí, pasme, para trabalhar.
    E muitíssimo bem pagos.
    Acima de qualquer valor de mercado para profissionais da categoria, para os quais o único pré-requisito é se dar bem.
    Trabalhe, Vereador, e receba suas visitas em qualquer lugar: na sua sala, no corredor, no banheiro ou na garagem.
    Mereça esse monte de dinheiro que recebe mensalmente à título de remuneração, e que em nenhum outro emprego ou atividade receberia.

  2. Está tudo errado, como pode o Legislativo que não tem arrecadação, recebe repasse do Município, manter essa quantia em caixa, ainda mantendo em dia altos salários, estando o executivo com problemas financeiro, tem que se haver reformas amplas e principalmente a reforma ética e moral.

  3. O povo curitibano não necessita de Vereadores que querem somente aparência. Querem que trabalhem para a comunidade, não importando se em um prédio antigo, contanto que façam economia e façam aquilo que o povo necessita, evitando gastos desnecessários como os de PUBLICIDADE. Devia haver uma Lei que restrinja esse absurdo de propaganda publicitária.

  4. Renato Britto Barros Responder

    Parabéns pelas palavras Sr. Francisco F. Freire.
    Realmente o povo de Curitiba quer ver os vereadores trabalhando e nas ruas e não trancados em gabinetes com ar condicionado e cafezinho a toda hora.
    Deveria ter mesmo uma lei para acabar com as famosas verbas de PUBLICIDADE no nosso município.
    Somente a prefeitura de Curitiba gasta por ano mais de 30 milhões em propaganda em jornais ( aqui só existe a gazeta do povo) então o município gasta mais de trinta milhões com a gazeta do povo.
    Temos que acabar com essa mamata dos jornais.

  5. Luis Adolfo Kutax Responder

    Exemplo poderia ser seguido o que ocorreu na Lapa, quando em 2011, o então presidente JOAO RENATO LEAL AFONSO e demais vereadores, abriram mão de construir a sede nova da Câmara, para destinar os recursos para a Maternidade, que passava por sérias dificuldades, inclusive correndo o risco de fechar.
    DEIXARAM UM SONHO DE LADO (CONSTRUIR A NOVA SEDE DA CÂMARA) EM PROL DO INTERESSE MAIOR, O DA COLETIVIDADE, EM PROL DA MANUTENÇÃO DA MATERNIDADE!
    O transporte coletivo passa por sérias dificuldades e os recursos estão aí, … o que aconteceu na Lapa, é só um BOM EXEMPLO!

Comente