Uncategorized

Rossoni diz que agora
vai ser radical

unnamed

André Gonçalves, Gazeta do Povo

Ex-presidente da Assembleia Legislativa e protagonista da política estadual nos últimos quatro anos, o recém-empossado deputado federal Valdir Rossoni admite que não está sendo fácil a adaptação ao cotidiano no Congresso Nacional. O parlamentar confirma que gostaria de ter permanecido no Paraná. Chegou a conversar com o governador, Beto Richa (PSDB), sobre a possibilidade de ser secretário, mas foi preterido.Em entrevista à Gazeta do Povo em seu novo gabinete na Câmara (que tem cerca de um sexto do tamanho do antigo gabinete na Assembleia), Rossoni, que também é presidente estadual do partido criticou a ausência de tucanos em cargos-chave da gestão Richa. Também alfinetou o prefeito Gustavo Fruet (PDT) e o Judiciário. Sobre o futuro, revelou a pretensão de concorrer a prefeito de Curitiba, em 2016.

O sr. revelou que conversou com o governador Beto Richa para ser secretário, mas que não deu certo porque houve má vontade dos deputados estaduais. Como foi isso?
Quando conversei com o governador, logo após o PSDB perder as eleições para a Presidência da República, eu coloquei que seria mais útil neste momento no Paraná. Eu vi que agradou a ideia, até porque eu sou experiente. Mas aí, a questão foi se distanciando e não houve espaço para mim.

O sr. tem dito que, como presidente da Assembleia, atingiu interesses de alguns deputados estaduais e que depois esse grupo promoveu uma retaliação.
Eu até compreendo o governador. O meu estilo de agir é sempre com a verdade. Não tenho dúvida que eu fui muito impopular internamente na Assembleia, enquanto na rua foi o contrário. Na eleição anterior eu fiz 2 mil votos em Curitiba e região metropolitana. Agora eu fiz 50 mil, que é um sinal de que eu agradei a população.

Tem como falar em nomes que trabalharam contra sua nomeação para o secretariado?
Não quero falar em nomes, mas existem alguns que se consideram sangue-azul, entende? Há uma casta política no estado que está pendurada no setor público.

Durante a sua gestão, a Assembleia teve um grande aumento de receitas, muito em função da vinculação do orçamento do Legislativo a uma porcentagem das receitas estaduais (3,1%). As vinculações, têm colaborado para a crise financeira do Executivo. O sr. é a favor de mudanças nesse modelo?
Sou totalmente favorável. Para todos os poderes. O primo pobre é o Executivo. Os primos ricos são o Judiciário, o Ministério Público, o Tribunal de Contas e a Assembleia. Tem gente que critica como eu devolvia dinheiro da Assembleia para o governo. Mas pode ter certeza que é salutar , suscita fiscalização.

Os demais poderes poderiam ajudar o governo a enfrentar a crise financeira cortando despesas?
Não tenho dúvida disso. Não quero discutir se o MP ou o Judiciário merecem ganhar um pouco mais ou um pouco menos. O que não pode é o governo do estado não conseguir honrar a folha de pagamento e os poderes com R$ 200 milhões no caixa. Temos que ter a compreensão que o dinheiro é dos paranaenses. Vou citar um exemplo: você vai numa cidade média do Paraná e vê um fórum maravilhoso, enquanto a escola estadual está caindo aos pedaços.

Para finalizar a história do seu pedido para ser secretário, o sr. não acha que o governador poderia ter bancado a sua nomeação sozinho?
Todas as vezes que o governador precisou e todas as vezes que ele precisar novamente para defender as causas do partido, do Paraná, ele teve e terá o meu apoio. Agora, a resposta para essa pergunta cabe a ele.

O sr. se sentiu traído ou chateado pela decisão?
Falei para o próprio governador que eu estava triste. Porque eu sinto que o PSDB não está contemplado à altura no governo dele. O chefe da Casa Civil é do PSD [Eduardo Sciarra]. O outro nome mais forte do governo é o Ricardo Barros, do PP . Nada contra eles. Mas quem faz o contraponto do PSDB no governo? Nós temos dificuldades de construir o partido no Paraná.

Qual avaliação o sr. faz da gestão Richa?
Um colega deputado goiano me disse que o governo de Goiás teve R$ 9 bilhões do governo federal [em empréstimos]. O Paraná teve R$ 800 milhões, conseguidos na Justiça. Hoje os estados não têm mais capacidade de investimento, se não houver colaboração do governo federal. Por isso se fala tanto em reforma do pacto federativo.

Mas o Paraná foi o estado que registrou o maior aumento de receita corrente líquida nos últimos quatro anos.
É verdade. Também espero que ele encontre condições de fazer uma reforma administrativa ampla. E, além de aumento de impostos, que dê a contrapartida do estado, o sacrifício, que corte na carne.

Como presidente da Assembleia, o sr. tinha um gabinete enorme e muitos recursos. Como deputado federal, a realidade é outra, bem mais modesta. É difícil se adaptar?
Dizer que é fácil, não é não. Mas quantos não querem ser eleitos para deputado federal com quase 180 mil votos? Eu tenho que me dar por feliz. Não sou apegado a tamanho, sou apegado a capricho. Já dei uma volta pelas Casas Bahia para comprar o que preciso.

Qual será a estratégia para não ser só mais um dos 513 deputados federais?
Agora eu me espelho um pouco no que fiz no governo Requião. Quando eu ia para o plenário naquela época, todo mundo queria saber qual seria o assunto do dia. Eu pautava a Assembleia. Claro que aqui é mais difícil. Mas eu vou me dedicar. Daqui a pouco vão começar a me enxergar. Vou fazer oposição radical. Não há como ser meia oposição. Eu vejo o PT hoje como o velho PDS. Vai chegar um momento em que eles não vão nem poder sair na rua.

O sr. há tempos pleiteia ser candidato a uma eleição majoritária. Quais são os planos ?
Eu sou uma pessoa de grupo. Nessas eleições eu tinha todas as condições de sair candidato ao Senado. Mas o Beto Richa e o Aécio conversaram comigo e me pediram que eu entendesse que o acordo com o Alvaro Dias deveria ser garantido. Caso contrário, ele teria saído do PSDB. Eu não posso ser responsável por um quadro do porte do Alvaro sair.

O sr. acha que venceria a disputa, mesmo contra o Alvaro Dias, que fez 77% dos votos válidos?
Não tenha dúvida que o Alvaro não teria feito todos esses votos. Faltou adversário para ele. Sinceramente, tenho visto que a população gosta do meu estilo firme e verdadeiro. Eu vejo no setor público que os governantes não estão preocupados em tomar medidas duras. Desculpe-me por fazer uma crítica ao Gustavo Fruet: ele seria um excelente senador, mas como prefeito deixa muito a desejar. Por quê? Não toma atitude. Eu, se for disputar a eleição para prefeito de Curitiba, primeiro vou apresentar uma proposta de enxugamento da máquina.

O sr. acaba de confirmar que quer ser candidato a prefeito de Curitiba em 2016.
Eu gostaria. Sabe por quê? Eu faria uma revolução. Eu não sou um urbanista. Mas eu sou um gerente. Urbanista eu contrato. Eu nunca falei isso para a imprensa, mas a forma como eu faria a campanha seria inovadora.Vamos mostrar onde estão os desperdícios.

20 Comentários

  1. Rossoni, você foi eleito para ser deputado federal. Se queria ficar no Paraná, não devia ter concorrido. Bem feito para o Senhor, agora compõe o baixo clero e até o final do mandato estará reduzido a traque. Não acha que é cedo para pensara em ser prefeito?

  2. Brilhante a entrevista do ex- presidente. Não conseguiu se viabilizar secretário e acha que vai ter grupo para concorrer à prefeito. Pior foi dizer que abriu mão de sua candidatura para Álvaro Dias. Álvaro estava tremendo de medo de enfrentar o Rossoni no senado. Este senhor sofre de megalomania. Se quiser ser prefeito faça q nem seu filho, contrate 6% do eleitorado como cabo eleitoral e pronto

  3. Rossini fica em Brasília, esta onde merece ! aí para ter poder tem que ser Inteligente e eu tenho certeza que não será ninguém e que merece esta gabinete pequeno mesmo, NUNCA aparecerá em noticiário nacional, só se voltar a praticar Nepotismo, DIÁRIOS Secretos e Avulsos ou colocar piloto do seu avião como funcionário da Câmara , igual fez na ALEP !

  4. CHANCE DE SER PREFEITO EM CURITIBA? kkkkkkkkk MELHOR ENTÃO É FICAR COM O gustavo FRUITinha.

  5. Faltou Rossoni explicar o aumento das receitas na Assembléia e o consequente aumento das despesas mesmo com a demagógica devolução do cheque e o suposto afastamento de inúmeros comissionados.

    Como a gestão de Rossoni com toda gestão profissional conseguiu aumentar os gastos comparando com gestões que tinha BIBINHO como diretor?

    Faltou a própria imprensa explicar porque mostrou isso apenas quando o nobre deputado deixou a Assembléia e se elegeu deputado federal com o falso discurso de economia e gestão eficiente…

  6. SEM CERIMÔNIA Responder

    Parabéns Sr. Deputado !! O Senhor foi um grande Presidente na Assembleia, e torço para os seus objetivos políticos serem atingidos. Boas ideias, e se fosse no primeiro mundo todos estariam ao seu lado, vá em frente, e banana aos invejosos. Falou muito bem. Tem peito !!

  7. Parabéns pela entrevista Rossoni, você incomoda tanta gente, que deveriam ser uns sanguessugas que vem destilar o veneno deles aqui!!!! Você fez um trabalho espetacular na ALEP, fazendo com que muitos vagabundos fizesse algo útil, e isso fez com que esses preguiçosos venham aqui pra te desmoralizar, mas só tenho um sentimento em relação a esses desocupados:PENAAAA!!!!! Enquanto são uns INFELIZES, o senhor está representando nosso estado e HONRANDO O 170 mil votos que obteve. Para esses desocupados, preguiçosos e linguarudos só posso dizer: BEIJO NO OMBRO hahahaaaaa

  8. Gilberto Daros Responder

    Rossoni, quer enganar quem com as pretensas devoluções de numerário? Ao tempo que presidiu a ALEP vc gastou, 25% a mais cada ano. Se fôsse honesto, como apregoa, deveria ter demonstrado a redução dos gastos mas, pelo contrário, gastou muito mais. Devolveu dinheiro virtual. Coisa de quem é demagogo.

  9. Comunidade Organizada. Responder

    Rossoni Prefeito de Curitiba, kkkk…. só se for de uma cidadezinha do interior como Jardim Olinda, …. vá lavar esse cabelo….ou pinte de outra cor.

  10. Menos, deputado, bem menos. Senador? Prefeito de CURITIBA? Nem como secretário o sr. conseguiu uma boquinha. e todo esse povo que lhe deu voto para deputado federal, não merece uma justificativa, pelo seu “escolhido” querer abandonar o cargo para o qual foi eleito? Vai fazer oposição ferrenha até quando? Até quando o governador resolver lhe nomear aqui no PR?

  11. por que não volta a viajar bem acompanhado novamente pra europa acompanhado da beldade pra esfriar a cabeça?? lembra da historia do sapo que ajudou o escorpião a atravessar o rio?? então ele morreu.

  12. ROSSONI MEU GRANDE CANDIDATO !!!

    Você terá o meu apoio, da minha família e de quem eu puder contatar.

    Não ligue para esses comentários maldosos.

    Você foi um excelente Deputado Estadual e com certeza será um exemplar Deputado Federal !!!

    ROSSONI PARA PREFEITO DE CURITIBA 2016.

  13. Rossoni prefeito de Curitiba???
    Prefiro como próximo GOVERNADOR do PARANÁ!!!!
    Terá meu apoio com certeza!!!

    E esses comentários aí??? Filtre!!! Não vale a pena!!
    É inveja!!!

    Para Governador em 2018, VALDIR ROSSONI!!!

  14. JOÃOZINHO DO SUDOESTE Responder

    Sabe quando Curitibano,vai votar em cidadão do interior..De Bituruna….dia de SÃO NUNCA……de repente….talvez…..

  15. Não tenho dúvidas que o Rossoni seria um excelente Prefeito para Curitiba. Existe uma coisa chamada ignorância política, é não saber que políticos não estão presos as suas vontades, mas de um conjunto, de um coletivo chamado partido. E o Rossoni faz parte de um partido e que a vontade dele não depende só dele e sim desse coletivo.Se havia essa possibilidade dele ficar no Estado e o Governador não possibilitou,então já foi mais uma das mancadas dele (Governador), pois como citado acima, não houv e contemplação de cargos importantes ao seu partido, tanto que o Lider do Governo do Beto Richa é o manco Romanelli do PMDB, a protituta politica do Paraná. Faço votos que o Rossoni venha para o Secretário de Estado ou seja eleito Prefeito da nossa capital, pois não existe neste Estado, um parlamentar que trabalhou mais que este deputado nos últimos anos. Conseguiu colocar o Legislativo em ordem, e se tem algum revoltado com isso, é porque levava as vantagens com as bandidagens que havia na Assembleia já comprovado.Rossoni, tem meu apoio e meu voto e se precisar, vamos pra rua pedir voto.Uma grande pena você ficar em Brasília.Lá ninguém consegue prosperar, pois é uma terra de bandidos,coronéis tupiniquins.

  16. Josue de Castro Lima Responder

    Sr. Rossoni: Fique aí em Brasilia pois no Paraná, só a aposentadoria te espera. Lugar de perdulário de dinheiro público, acostumado ao poder e grandes prazeres, realmente não é em Brasília. Daí seu desconforto.

Comente