Uncategorized

Com um a menos, Supremo não conclui julgamento e ministros criticam Dilma

stf-visao-lateral

Incompleto há sete meses, o Supremo Tribunal Federal (STF) enfrentou, ontem, mais um problema gerado pela ausência de um dos integrantes da Corte. O julgamento de uma ação direta de inconstitucionalidade não pôde ser finalizado, pois o placar ficou empatado.

O decano da Corte, ministro Celso de Mello, reclamou da demora na indicação do novo membro do Supremo. “Essa omissão irrazoável e abusiva da presidente da República (…) já está interferindo no resultado no julgamento”, disse o ministro, após o empate.

O julgamento desta quinta ficou com quatro votos a favor da validade de uma lei de Minas Gerais que estabelece normas para a venda de títulos de capitalização no Estado e quatro votos contrários.

“Novamente, adia-se um julgamento, porque nós estamos realmente experimentando essas dificuldades que vão se avolumando. É lamentável que isso esteja ocorrendo”, completou Celso de Mello.

7 Comentários

  1. Calma gente !! vai ser encaminhado hoje o nome de um tal de Jose Dirceu para a vaga do Barbosa !!!!

  2. Ué? A Constituição Federal não diz que os Poderes da República são independentes entre si? Por que os Ministros do STF e o Judiciário não pressionam para que a escolha não seja mais por indicação do Presidente da República? Quem sabe terão uma forcinha desse “Congresso” e do povão. Da OAB caolha nada se espera! Saudades do cavalo “Incitactus” do Imperador Calígula (com i maiúsculo nessa altura do campeonato).

  3. Ilario Caglioni Responder

    Absurdo, acho que tem no regulamento como resolver isto. Me parece que quando é de interesse de uma classe sempre há solução. Então o processo pede ser concluído. E isto não impede que seja exigido a nomeação. Mas vamos concluir por favor!

  4. SE FOR PRA COLOCAR MAIS UM DA QUADRILHA,PRA QUE PRESSA,VAI ENTRAR SÓ PRA GARFAR,DEFENDER OS INTERESSES DA GANG E FAZER NÚMERO.

Comente