Uncategorized

Tulio Bandeira diz que agora ficou claro quem é imoral

tulio-bandeira-daniel-snege

Diante da indicação de Gleisi Hoffmann na lista dos envolvidos no peculato milionário na Petrobras, denunciada por crime de corrupção passiva e qualificada em inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal, o ex-candidato ao governo do Paraná no ultimo pleito, Tulio Bandeira, lembrou uma das passagens no debate realizado pela TV Bandeirantes, quando foi acusado de “imoral” por Gleisi.

Agora, Tulio Bandeira aproveita a oportunidade para dizer que ficou claro quem é imoral. Na época, a troca de acusações e o bate-boca teve origem quando Bandeira acusou Gleisi de governar em família, referindo-se ao marido dela, o ex-ministro das Comunicações, Paulo Bernardo (PT) também arrolado no inquérito no STF.

Tulio Bandeira diz que agora entende o que a então ministra da Casa Civil da Presidência da Republica queria dizer quando declarou: “gosto de aliar firmeza nas decisões à delicadeza feminina e não deixo de lado a família”.

Após as eleições, a senadora Gleisi Hoffmann ameaçou em nota através de sua assessoria, que seus advogados estudavam “medidas judiciais” contra o Jornal O estado de São Paulo, alegando ser “falsa” a matéria que citou que ela havia recebido doação de R$ 1 milhão de Paulo Roberto Costa ou do doleiro Alberto Yousseff, oriundos do esquema de corrupção na estatal, mesmo tendo apresentando em suas prestações de contas das ultimas duas campanhas, valores maiores em doações de empresas denunciadas nas investigações da Operação Lava-jato.

5 Comentários

  1. Mas só que não foi 1 milhão, mas mais de 13 milhões. E agora Barbie, é fácil dizer que não foi beneficiada, quero ver provar nos autos do processo!
    Imoral é a senhora e sua quadrilha. E o Paulo Bernardo vai escapar ileso, o negócio como disse a Barbie era em família. E do lado do Paulo Bernardo, ninguém vai investigar as negociatas com as telefônicas?

  2. Vigilante do Portão Responder

    É verdade. havia me esquecido da bravata da Gleisinha, dizendo que iria Processar o Jornal – Não seria a Gazeta, fiel escudeira da Senadora -.

    Seria, no caso, o Estadão.
    Era BRAVATA da Senadora.

  3. Mudou minha vida saber a opinião do Tulio Bandeira kkkkk O candidato que fez treze mil votos pra governador, não se elege nem pra vereador de Curitiba kkkk

Comente