Uncategorized

Copiloto contou que um dia todos lembrariam de seu nome, diz ex-noiva

Germany-France-Plane-Crash-GBD24OEOG.1

DÜSSELDORF – A ex-noiva de Andreas Lubitz afirmou neste sábado, em entrevista ao tabloide “Bild”, que o copiloto da Germanwings dizia constantemente a ela: “Um dia todos saberão o meu nome”. Identificada como Maria W., de 26 anos, a comissária de bordo chegou a trabalhar com o copiloto por cinco meses no ano passado e disse que rompeu o relacionamento por causa dos problemas pessoais e comportamento errático de Lubitz.

“Ele me dizia ‘Um dia farei algo que vai mudar todo o sistema, e todo mundo vai saber meu nome e lembrar dele’. Não entendia o que ele queria dizer, mas agora faz sentido”, ela contou. Na entrevista, Maria afirma também que ele foi diretamente afetado pelos problemas médicos que tinha, mas sem dar maiores detalhes.

“Andreas era um jovem muito amável e aberto nos voos, e alguém muito doce em privado. Era alguém que precisava de carinho. Terminei com Andreas porque era cada vez mais evidente que ele tinha um problema. Durante discussões, se irritava e gritava comigo. No meio da noite, acordava gritando ‘Estamos caindo!’. Mas ele só me dizia que passava por um tratamento psiquiátrico.”

O problema principal era quando o trabalho entrava na discussão — o que poderia ter provocado a tragédia.

“Sempre falamos muito de trabalho, e ali ele se transformava. Ficava irritado pelas condições: pouco dinheiro, medo pelo contrato, muita pressão. Se Andreas derrubou o avião deliberadamente, é porque entendia que, por conta dos problemas de saúde dele, seu grande sonho de uma carreira na Lufthansa, como capitão e um grande piloto, seria praticamente impossível.”

Outras revelações também vieram à tona. Em entrevista à rede iTélé, um membro de um clube de pilotos de planadores de Sisteron, perto do local do desastre, afirmou que Lubitz e outros membros do clube que frequentava em Montabaur (sua cidade natal) conheciam o lugar desde a infância. O copiloto frequentou o local em 1996 e 2003.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/copiloto-contou-que-um-dia-todos-lembrariam-de-seu-nome-diz-ex-noiva-15724773#ixzz3Vgtf3FIO
© 1996 – 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

2 Comentários

  1. A caixa-preta examinada logo desvendou o trágico acidente ocorrido nos Alpes. No acidente que vitimou Eduardo Campos no ano passado, a caixa-preta foi encontrada, levada a Brasília e aí foi declarado que ela nada continha, estava sem registro algum. Pior ainda, disseram que os registros da caixa-preta não são tão importantes, há outros meios para saber as causas de um acidente, e pla, pla, pla. Até hoje esse acidente em Santos continua um mistério total. Nada está claro.

  2. Paulo Antes, por favor, né! Você não vai querer comparar uma caixa preta encontrada nos Alpes franceses, examinada por autoridadades européias, com uma caixa preta encontrada numa favela santista, e examinada por petistas …É da água, pro vinho parceiro.

Comente