Uncategorized

Irã e potências ocidentais anunciam acordo nuclear

Jean-christophe Bott / AP Switzerland-Nuclear-Iran-GBR250TNJ.1

d’O Globo:

Dois dias além do prazo original estipulado para dar prosseguimento às negociações nucleares com o Irã, os chefes diplomáticos dos países envolvidos chegaram a um consenso estabelecendo os parâmetros para o texto final, a ser alcançado até 30 de junho.

Ao lado do chanceler iraniano, Javad Zarif, a a chefe da diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini, apresentou as bases do acordo: a capacidade de produção e enriquecimento do país será consideravelmente reduzida; a usina de Fordo não deverá enriquecer urânio por pelo menos 15 anos, Natanz terá sua produção limitada, e a agência da ONU terá acesso regular a todas as instalações. As sanções americanas e europeias serão liberadas quando a IAEA confirmar a incorporação das medidas pelo Irã, e os bloqueios financeiros estão totalmente liberados.

Mas há pontos ainda a serem acertados. Com um tom cauteloso, em Washington, o presidente Barack Obama ressaltou, advertindo que as sanções podem voltar caso o Irã não cumpra a sua parte:

– Este acordo não é baseado na confiança, mas na verificação.

De acordo com funcionários europeus e americanos, o número de centrífugas do país será cortado de 19 mil para 6.104, todas em um mesmo centro. Dois terços do atual enriquecimento de urânio do país serão suspensos e monitorados por dez anos. Durante 15 anos, o país não criará novas instalações do tipo e não acumulará urânio suficiente para cogitar a possibilidade de uma bomba.

O centro de enriquecimento de Fordo será parcialmente convertido para pesquisa nuclear avançada e produção médica, com observadores internacionais. O reator de Arak, temido por Israel e EUA pela produção de plutônio, funcionará sem energia suficiente para produzir uma bomba.

— Não haverá fim para este acordo se efetivamente chegarmos a ele. Temos uma base sólida para que ele seja implantado — comemorou Kerry.

FESTA EM WASHINGTON E TEERÃ

Obama manteve um tom cauteloso, mas garantiu que o acordo se tratou de uma grande solução para todos os lados envolvidos.

— Comemoramos que o Irã não conseguirá uma bomba com plutônio e nem com urânio. Foi algo histórico, e que estava sendo analisado há tempos. Nos juntamos as maiores forças mundiais e conseguimos — declarou Barack Obama, em coletiva. — O Irã cumpriu todas suas obrigações. As inspeções aumentarão, e chegaremos a um acordo ainda mais compreensivo. Chegamos a um acerto, e um muito bom.

O presidente americano também assegurou que não haverá chance de o país “enganar a comunidade internacional”, e que as preocupações do premier israelense, Benjamin Netanyahu, serão superadas. Os dois conversarão ainda nesta quinta-feira.

— O Irã será o país mais inspecionado do mundo. Se fizer algo duvidoso, o mundo estará de olho. O Irã se verá livre das sanções que tanto afetam a economia. Em caso de descumprimento, as sanções serão novamente impostas.

Em Teerã, o clima era de festa, segundo jornalistas. A TV estatal transmitiu o pronunciamento de Obama, um fato inédito.

4 Comentários

  1. Doutor Prolegômeno Responder

    Menos, menos. As questões fundamentais estão longe de acerto. Esse foguetório é só para massagear o ego de Obama, cuja gestão está pior que a de Dilma em acertos.

  2. Dentro de pouco tempo, infelizmente diremos aqui no Ocidente: Israel estava certíssimos ao repudiar Obama e sua negociata com os persas assassinos. –

  3. Dentro de pouco tempo, infelizmente diremos aqui no Ocidente: Israel estava certíssimo ao repudiar Obama e sua negociata com os persas assassinos. –

  4. Mr. Barack Hussein Obama vai conseguir transformar o oriente médio num oceano de chamas. Churchill exclamou “mais um farrapo de papel”, quando Chamberlain exibiu orgulhoso mais um acordo assinado com Hitler, em 1938, em que este afirmava que não tinha outras pretensões na Europa. B. Hussein Obama é o Chamberlain de nossos dias.

Comente