Uncategorized

Missionário Ricardo Arruda será relator de denúncia contra Justus

Foto: Pedro de Oliveira missionario - foto pedro de oliveira

O presidente da Comissão de Ética da Assembleia, deputado Edson Praczyk (PRB), anunciou, agora pela manhã, que o relator que analisará a denúncia do Ministério Público contra o deputado Nélson Justus (DEM) será o deputado Missionário Ricardo Arruda (PSC). Praczyk disse que a escolha do relator foi uma decisão pessoal tomada depois de uma consulta aos integrantes da Comissão de Ética. Como ninguém se manifestou nem demonstrou interesse no cargo, Praczyk decidiu indicar o deputado Missionário Ricardo Arruda, que também é o corregedor da Assembleia.

10 Comentários

  1. Kátia Flávia Responder

    Este Dep Nelson Justus vai querer pagar o dízimo pra ver se compra um cantinho no céu pra sair desta ! nunvalenada.

  2. Este Missionário que não tenha a missão de liberta lo , pois MP já foi o denunciou como Formação de Quadrilha e Corrupção !

  3. O palmiteiro de Guaratuba é capaz de se converter para convencer o missionário de sua inocência,liso que é como um jundiá!

  4. Meu Deus colocaram um mané como relator! Agora se isto não der em nada o povo vai ter que se manifestar!

  5. Se a Comissão de Ética da Assembleia, se o seu Presidente deputado Edson Praczyk, se o relator deputado Missionário Ricardo Arruda fizerem seu trabalho com a devida seriedade e isenção, o deputado Nelson Justus se tornará ex-deputado. As denúncias são graves e estão devidamente embasadas. Mas se usarem de subterfúgios como por exemplo “não houve fato novo e em 2010 a Comissão já tinha arquivado o caso”, os membros dessa Comissão de Ética darão um tiro de 12 no pé e então não haverá salvação para ninguém nas próximas eleições. A sociedade já está conseguindo fazer a leitura correta do comportamento dos políticos, não suportando mais a enganação e mentiras a que somos submetidos por essa classe que está na ALEP e nas demais instituições deste país. Não se enganem caros deputados, ninguém mais está conseguindo enganar quem quer que seja e se não conseguirem ler isto, pagarão um preço alto. Tudo que sempre teve por base a mentira está caindo por terra e vocês sabem que a maioria sempre se elegeu pelas falsas promessas, pelas inverdades. Vocês só estão deputados e se enganam e muito, achando que são superiores a alguém. Uma profunda reflexão se faz necessária senhores e os que tiverem a capacidade e humildade de assim agir poderá, talvez, resgatar um naco de credibilidade.

  6. NÃO VAI DAR EM NADA PODE MARCAR A DATA DE HOJE. O CORPORATIVISMO VAI FUNCIONAR A TODO VAPOR PODEM ACREDITAR.

  7. Francisco Carlos Responder

    Se desta vez não cassarem o mandato do Nelson Justus, o povo tem que se reunir e fazer como os professores fizeram, cercar a Assembleia e tirar o ladrão a tapa.

  8. Essa missão do Missionário seria muito simples com base no que lhe cabe regimentalmente (quebra de decoro nesse mandato ou não). Cabe quebra de decoro se houver decisão com transito em julgado, por exemplo. No caso sequer foi recebida a denuncia.

    Estão fazendo do deputado um juiz, coisa que ele não é, não tem competência para tanto e nem foi eleito para isso.

    Para ser juiz tem que passar em concurso público, ser formado em Direito, dentre outros requisitos.

    Avaliar as tais 7 mil páginas do início do processo, sem ser JUIZ, sem produção de provas e contraditório dos réus é o mesmo que admitir regime de exceção. O contraditório na Assembléia é restrito ao fato investigado (quebra de decoro) e não a todo o processo que tem 32 investigados.

    Se a moda pega, estaremos caminhando para uma trilha bem complicada a todos os políticos e pessoas que a imprensa prejulgue sejam necessárias banimento. Seria o fim do judiciário.

    Podemos não concordar com o Judiciário, mas substituí-lo por um político já é demais!!! Só falta deputado julgando lava jato, mensalão, etc…

    Cada macaco no seu galho. É o mínimo para mantermos a ordem na democracia. Se criarmos exceções para um, teremos que utiliza-la para outros.

    Ou seja, o que pode ser bom agora, pode ser terrível para todos nós depois….

    Tem um canal de imprensa que ergueu o missionário a “juiz” o que não é admissível na Lei. Esse mesmo canal esquece de dizer o que o verdadeiro Juiz, no caso o Desembargador disse detalhadamente sobre o caso.

    Puro jogo de interesses.

  9. SE GAZETA DO POVO MANDASSE COMO TENTA MANDAR O JUSTUS E O RICHA TAVAM AFASTADOS.

    Sequer teriam sido eleitos.

  10. Caro FÁBIO, esse deputado possui semblante de HOMEM honesto e idôneo, portanto a sociedade deseja a ele, que seja iluminado, para decidir com imparcialidade, que essa mesma sociedade tão vilipendiada em suas aspirações ainda possa ter esperança. Que ele não caia em tentação e não sossobre aos convites dos parceiros, mantendo-se íntegro. Que siga as palavras que defende. Atenciosamente.

Comente