Uncategorized

Divida bilionária de
Dilma com o Paraná
é prioridade da
bancada no Congresso

reuniao_-

A cobrança da dívida bilionária do governo Dilma Rousseff (PT) com o Paraná nas áreas de saúde, serviços e infraestrutura será prioridade dos deputados e senadores paranaenses no Congresso Nacional, segundo o líder da bancada, deputado João Arruda (PMDB). O tema foi tratado na reunião de Arruda com o governador Beto Richa (PSDB) na última quinta-feira, 2, no Palácio Iguaçu, em Curitiba.

Do montante devido pelo governo federal aos municípios e ao governo paranaense, atualmente em R$ 1,54 bilhão, a maior parte refere-se às despesas nas áreas de saúde (R$ 540 milhões) e infraestrutura nos municípios (R$ 973,2 milhões). “Eu tenho visto muito esta questão da saúde. Vou levantar junto com o governo federal, levar para a bancada, falar com o ministro (Pepe Vargas, das Relações Institucionais) e ver o que está acontecendo”, disse Arruda. “Não é só este impasse. Nós temos também os restos a pagar. Definimos na reunião da bancada que vamos conversar o Palácio do Planalto para que estes pagamentos ocorram o mais rápido possível”, completou.

Na saúde, o governo federal assinou diversos compromissos de parte dos atendimentos realizados pelo Estado. No entanto, tem repassado recursos apenas para Curitiba e a região Norte. Outra queixa é sobre a Rede Cegonha, que já funciona integralmente em todas as cidades de outros estados, mas até agora só chegou a parte do Paraná. O prejuízo seria de R$ 60 milhões. A dívida mais grave, porém, é dos medicamentos especiais, em que R$ 42 milhões já foram cobrados, dos quais só R$ 21 milhões foram pagos. Outros R$ 107 milhões ainda seriam devidos.

Ainda na área da saúde, segundo o deputado João Arruda, os atrasos estão ocorrendo também em convênios com prefeituras, vez que a gestão na área é muitas vezes compartilhada. “Estava conversando sobre isso com o presidente da Associação de Municípios do Paraná e se tem alguns recursos que passam pelo Governo do Estado, que são para hospitais e entidades filantrópicas que estão atrasadas, vamos tentar resolver o mais rápido possível”.

Restos a pagar – Outra grande dívida do governo federal com o Paraná é a de obras e serviços operados pela quase totalidade das 399 prefeituras do estado. São recursos para obras e outros serviços, executados pelas prefeituras, mas que dependem de repasses da União para sua conclusão ou andamento. A dívida do governo federal, de restos a pagar, com 396 municípios do Paraná supera R$ 973,2 milhões. O levantamento é da Confederação Nacional dos Municípios.

As dez maiores dívidas do governo Dilma com os municípios paraenses somam R$ 412,7 milhões. São com as cidades de Curitiba (R$ 228,4 milhões), Londrina (R$ 41,9 milhões), São José dos Pinhais (R$ 30,7 milhões), Cascavel (R$ 19,8 milhões), Ponta Grossa (R$ 18,5 milhões), Guarapuava (R$ 16, 6 milhões), Colombo (R$ 15,3 milhões), Araucária (R$ 14,9 milhões), Rolândia (R$ 14 milhões) e Foz do Iguaçu (12,1 milhões).

Presidente da Associação dos Municípios do Paraná, o prefeito de Nova Olímpia, Luiz Sorvos, lamenta a situação vivida pelos municípios e defende a revisão do pacto federativo. “Os municípios estão passando por uma grave crise. Por isso, defendemos uma urgente revisão do pacto federativo, que permitiria às prefeituras ter mais recursos para honrar seus compromissos e fazer os investimentos necessários à melhoria das condições de vida da população”, declarou.

Agenda – Na próxima semana, o secretário chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra e o secretário do Planejamento, Sílvio Barros, vão à Brasília para apresentar para a bancada os projetos do Estado. “Queremos apresentar aos parlamentares os projetos do Governo do Estado nas áreas de mobilidade urbana, saneamento básico e habitação popular que se encontram em Brasília”, explicou Sciarra. Também está prevista uma reunião do secretário da Fazenda, Mauro Ricardo, com os deputados e senadores em Brasília.

8 Comentários

  1. clarice franze Responder

    oOS RECURSOS DEVIDOS NÃO SÃO DELA. PODE-SE DIZER QUE PERTENCE À UNIÃO, MAS ELA RETÉM, E PORQUE SERÁ?

    PORQUE OS ESTADOS DO SUL NÃO SE SUBMETEM AO PT, MENOS AINDA AOS LOPETISTAS E PIOR AINDA A ELA.

    QUE TAL ELA SE MANCAR E LIBERAR A GRANA QUE É DEVIDA E JUSTA PARA O PARANÁ? NÃO, O PRAZER DELA É PREJUDICAR O GOVERNO PARANAENSE, ATACAR E ATRAPALHAR O GOVERNO EM RESOLVER OS PROBLEMAS QUE ATINGE ATÉ AOS QUE NELA VOTARAM.

    MAS ELA VAI SANGRAR, AH SE VAI.E CADA VEZ MAIS SÓ.

  2. Vigilante do Portão Responder

    Como assim?

    Até outro dia, Requião e sua TROUPE, imbuídos da tarefa de prejudicar o governo Beto Richa, BLOQUEOU os valores destinados ao Paraná.

    Agora, dizem que Dilma DEVE muito ao nosso Estado?

  3. Sergio Silvestre Responder

    Ta bom,agora é a divida bilionária???????????Antes era mesmo o que???Os empréstimos e agora a divida Bilionaria.Nossa esse governo tem que se benzer.

  4. Cajucy Cajuman Responder

    1.- Parabéns pelo que afirmou o deputado João Arruda conforme retratado na matéria acima: “cobrança da dívida milionária do governo Dilma Rousseff com o Paraná”. ** Portanto, o que o nobre deputado está dizendo, e com razão, é o mesmo que o governador Beto Richa vem afirmando desde a sua primeira gestão frente ao governo do Paraná. ** Em outras palavras, que às dificuldades financeiras do Estado em grande escala, está sim, atrelada aos repasses federais, que quando não vem com atraso, deixa de vir, criando um rombo nas contas do Estado que tem que tapar buraco para equilibrar a administração pública. ** A dívida com a rubrica Saúde chega a ser vexatória: R$ 540 milhões; e de infraestrutura mais R$ 973,2 milhões, num total de R$ 1,54 bilhão. Para ficarmos só nessas. Outras existem. ** Vale ressaltar, portanto, que muito das críticas que o governador Beto Richa tem recebido dos paranaenses e da esquerda barulhenta, na verdade, deveriam ser enviadas ao Palácio do Planalto, por represar recursos do estado do Paraná para outros fins, como maquiagem de aparência.

  5. Cajucy Cajuman Responder

    2.- Se houver, realmente, essa união da bancada de deputados e senadores paranaenses em defesa do Paraná – na prática e não apenas no verbo – no Congresso Nacional e no Executivo Federal para cobrar compromissos assumidos pela União e não honrados, aí sim, e dessa forma o Paraná estará vivendo uma nova fase em que seus representantes se unem para prestar serviço de qualidade como, aliás, deveria ter sido sempre, não fossem às picuinhas de uns e outros e, por ora, supostamente superadas. ** Mais do que isso, os ilustres parlamentares lá estão, eleitos que foram, exatamente para fazer esse “tour de força” em prol do Estado de origem, independente de interesses menores que não o dos paranaenses. ** Portanto, louvável essa nova visão e estratégia política. ** Ganham todos e em todos os níveis e muito mais a população que passa a respeitar com mais vigor seus representantes políticos. Simples, assim não? ** Chega de interesses pessoais ultrapassando os limites da coerência e do respeito ao cidadão eleitor. ** Independente de coloração partidária, uma vez eleito para representar o Estado nas várias instâncias do legislativo, deve ser honrado o voto e o retorno é os bons serviços prestados aos municípios e ao Estado como um todo. ** É isso que o cidadão, nessa nova visão de Brasil, frente tanta corrupção, está cobrando nas ruas. O resto é retórica, palavrório, bazófia.

  6. Cajucy Cajuman Responder

    3.- Os prefeitos estão reclamando do governo federal e com justa razão. Estão sufocados pelos compromissos diários, mas cuja recíproca da União vem sempre com atraso cavalar, e quando vem. ** Olhando os números apresentados na reportagem pela Associação dos Municípios do Paraná, dá bem a dimensão do real desespero dos administradores públicos. ** Estão encurralados pelo descaso que o Paraná sempre foi tratado pelo Governo Federal, mesmo quando detinha nada menos do que três ministros paranaenses ao lado de Lula e Dilma Rousseff e, pouco foi o aproveitamento de tamanha força e poder em prol do Paraná e sua gente. ** Agora, pelo menos, existe uma luz no fundo do túnel. ** Ou melhor: uma luz de conscientização entre os nobres parlamentares de que unidos, podem ser imbatíveis em defesa do Estado contra os desmandos – ou seria injustiça? – do Governo Federal com o Paraná.

  7. Cajucy Cajuman Responder

    Obrigado Aline! Verdades precisam ser ditas, sempre, doa a quem doer, não é mesmo?

Comente