Uncategorized

À beira de um ataque

Índice
Desde a prisão de João Vaccari Neto, a presidente Dilma Rousseff está à beira de um ataque de nervos (não gosta e sempre desconfiou dele), com direito a algumas explosões de praxe. Ela defendia o afastamento do cargo do tesoureiro do PT. Quem resistia era Rui Falcão, obedecendo determinações de Lula. Dilma achava que o governo estava respirando melhor com a menor adesão aos movimentos de domingo e com a escalação de Michel Temer para a articulação política. A prisão de Vaccari enterrou a cena, aumentando a ira dos brasileiros.

3 Comentários

  1. Sergio Silvestre Responder

    Quem deve também estar a beira de um ataque de nervos é o governador com o Gaeco rondando e agora com esse enlaçamento de órgãos do governo com os negócios do André Vargas.

  2. Querida camarada pre$idanta, você sabe que quem não deve não teme. Se você não deve não tem o que temer. Paz e bem, camarada.

Comente