Uncategorized

Vereadores aprovam contas de Beto Richa
em primeiro turno

Via Assessoria de Comunicação – CMC:

Dando continuidade ao “desarquivamento” das prestações de contas de 2003 a 2008, a Câmara Municipal aprovou, nesta segunda-feira (22), o documento referente ao primeiro ano de mandato do ex-prefeito Beto Richa. Votado em primeiro turno, o decreto legislativo 093.00004.2014, referente a 2005, recebeu 23 votos favoráveis. Nova votação ocorrerá na próxima segunda-feira (27), para análise em segundo turno.

Com a aprovação preliminar, os vereadores de Curitiba confirmaram a análise feita pelos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) no acórdão 985/2008 – cujo parecer foi positivo com ressalvas. Trechos do documento foram lidos pelos vereadores Professor Galdino (PSDB) e Chico do Uberaba (PMN), que elogiaram a gestão do ex-prefeito.

“Li o relatório que foi apresentado pelo TCE e concluí que Beto Richa tem o dom para governar. Não é à toa que foi reeleito prefeito e reeleito governador. Tem um dom para acertar as contas públicas”, elogiou Galdino, citando dados contidos no documento, como a obtenção de resultado primário positivo de R$ 64,9 milhões em 2005.

Chico do Uberaba, ao comparar a gestão do ex-prefeito com o mandato de Gustavo Fruet, disse que o de Richa era melhor. “Aquilo tudo que foi feito em 2005 é o que está faltando nesta administração”, disse o parlamentar. Para Toninho da Farmácia, que também votou a favor do projeto, “foi a época em que a periferia de Curitiba viveu uma revolução em termos de obras”. “É desse período o crescimento do CIC, Sítio Cercado, Pinheirinho e Tatuquara”, afirmou.

O vereador Pedro Paulo (PT) criticou o fato de essa análise das contas de 2005 ocorrer dez anos depois do fim do exercício, “pois isso requer instrumentos técnicos que não possuímos”. “Apesar disso, é importante que os parlamentares atentem ao parecer do TCE, que pontuou irregularidades. Essas ressalvas abrem um caminho de investigação para entendermos de onde veio o deficit deixado para a atual gestão”, criticou.

“O TCE disse que a situação financeira de Curitiba era positiva e que falhas pontuais não representaram danos às contas públicas. Diz que a prefeitura observou as regras de responsabilidade fiscal”, disse Chico do Uberaba, citando o acórdão do Tribunal de Contas. Referindo-se às contas dos anos seguintes, que ainda serão votadas pela Câmara Municipal, Pedro Paulo afirmou que “as ressalvas se transformaram num deficit gigantesco”.

Nesta votação, Pedro Paulo, Mestre Pop (PSC), Jonny Stica (PT) e Carla Pimentel (PSC) se abstiveram. Jorge Bernardi (PDT) votou pela desaprovação das contas.

Contas de 2004
No início da sessão plenária, a proposição que trata das contas de 2004 (093.00005.2014), foi analisada em segundo turno (leia mais). Salamuni (PV), Pier Petruzziello (PTB) e Cacá Pereira (PSDC) optaram pela abstenção. Pedro Paulo, Stica, Professora Josete (PT) e Carla Pimentel foram contra.

4 Comentários

  1. Parabéns ao vereador professor Galdino que além de inteligente, defende o Governador Beto Richa como um FIÉL escudeiro, este sim é o verdadeiro PSDB que queremos!
    Parabéns Professor!
    Ganhou meu respeito!

  2. Na falta do que fazer e do que oportunamente não fizeram (sabe-se perfeitamente as razões) acendem vela para defunto morto para dizer que estão vivos, embora para a população os edis pareçam não existir, e bem que poderiam, seria um boa economia para Curitiba.

  3. Curitiba, está com divida, muitas obras paradas segundo se sabe por falta de gerenciamento anterior…

Comente