Uncategorized

Cinco questões sobre a Previdência

A informação de que o governo vai pegar o dinheiro da previdência dos servidores para pagar dívidas é enganosa. É preciso esclarecer as seguintes questões:

1– Não há absolutamente intenção, ou mesmo possibilidade, de o governo tirar dinheiro da previdência dos servidores para pagar dívidas.

2- Importante: o Fundo Previdenciário se manterá capitalizado, em mais de R$ 8,5 bilhões.

3- Pela proposta o fundo previdenciário assumirá os benefícios de aposentados e pensionistas com 73 anos ou mais. Mas na prática nada mudará no seu dia a dia.

4- Esses aposentados são hoje pagos pelo Fundo Financeiro, bancado com recursos do Estado. Com a migração, vai sobrar dinheiro para o governo investir em outras áreas importantes para o atendimento à população.

5- É isto o que propõe esse projeto de lei, que faz parte do ajuste fiscal que o governo estadual realiza para enfrentar a crise econômica que atinge o País.

11 Comentários

  1. Caberia questionar mais o seguinte:

    – porque não se fala sobre não terem os governadores anteriores e atual repassado a parte do Estado que lhes cabia aportar à ParanáPrevi descumprindo a legislação em vigor?

  2. O problema dessa confusão toda é essa APP sindicato CUT e o caralho…bando de PETEZADA…

  3. jayme de azevedo lima Responder

    Sr Editor
    O estado vai tirar dinheiro da previdência sim senhor! Destarte, já comete um crime porque sinaliza como empréstimo para socorrer o tesouro do Estado, fato proibido por lei.
    O fundo já esta descapitalizado por empréstimos de 600 milhões feitos em fevereiro e marco de 2013 o que é proibido por lei, a lei tapa buraco feita ” a posteriori” nao retroage para beneficiar os gestores da época.
    Os novos beneficiários em n. de 33.500 servidores de mais de 73 anos nunca contribuíram para o Fundo previdenciário, este fato fato causa desequilíbrio econômico financeiro para o Fundo o que é proibido pela constituição brasileira em seu artigo 40.
    Não vai sobrar dinheiro porque o Estado não investiu para obter novas receitas, está paralisado e não se sabe onde foi o orçamento porque o custeio foi inflado com 23 mil novas contratações, que até poderiam ter sido feitas se no ano de 2013 fosse aprovado mais um fundo complementar e os novos ficariam no novo sistema com Fundo previdenciário até o limite do INSS e a diferença em Fundo complementar.
    O Estado do Paraná é contumaz inadimplente e não repassa seus 11 % há 12 anos e seis meses.
    O ataque aos recursos dos servidores e é apenas deles é uma violência, um golpe autoritário, é inconstitucional, ilegal e imoral.
    A lei 17345 de 2012 é perfeita, saneou o a PRPREV e é modelo para todo Brasil via MPAS.
    Tenho a certeza que seu espírito democrático autorizará a publicação desse meu texto.
    Jayme de Azevedo Lima – Ex Presidente da PRPREV 2010 a 2012

  4. Corrigendas: 1. o que é, então, transferir esses inativos senão pagar a conta de pessoas com dinheiro de outras? 2. se você tira dinheiro de sua poupança e não a repõe, pelo menos com o valor que você retirou, o que acontece com seu saldo? E como comprometer dinheiro de orçamento futuro? Isso é crime previsto pela LRF. 3. quem são esses 33 mil que serão pagos com dinheiro dos outros? 4. quem se aposentou antes de 1998 se aposentou pelo Tesouro. Cadê o dinheiro devido para esse fundo? Na mão de cargos em comissão, desenquadrados, aumentos absurdos de procuradores, novas carreiras inconstitucionais, etc. Isso é crime pela LRF. 5. o projeto de lei visa dar legalidade a esse governo incompetente que não sabe nem fazer projeto de lei que preste.

  5. Sergio Silvestre Responder

    Se não vai tirar dinheiro e ainda melhorar,o por que dessa briga,deixa como está e pronto.Pra que ficar então em beligerância com o funcionalismo,até da-se a impressão que professores universitarios,Agentes penitenciários e outros são imbecis.
    Ora gente,alguém está mentido,quem seria hein?????????????

  6. Maria do Bairro Responder

    NOOOSSA Bem esclarecido!! Poderia ir lá agora na manifestação e falar isto com o Professores !

  7. A pouco tempo atrás, o governo lançou mão do FUMPM. O fundo de reequipamento da Polícia Militar, juntamente com outros fundos ligados a área de segurança e aglutinou todos em um único fundo; o Fundo de Segurança do Estado. Esse dinheiro também já não existe mais. Se existisse, 3 (três) anos de horas/aula já teriam sido pagos aos professores Policiais Militares, cuja responsabilidade é formar as gerações futuras de PMs. Não errei a conta. São realmente três anos de atraso. Os Soldados formados na – segundo o discurso – maior contratação de Policiais da história do Paraná, ainda não receberam seus vencimentos de acordo com o que prevê a lei, referente ao encerramento do curso. Progressões relativas ao tempo de serviço são pagas a “conta gotas”.
    Meu caro Fábio Campana. Sabemos de sua predileção pela direita política de nosso estado. Contudo, queremos que entendam que os paranaense, principalmente os funcionários públicos, passam pelo maior dilema que a história deste estado já nos proporcionou. Na esfera Federal, a esquerda nos rouba a cada dia com mensalões, petrolões e outros tantos “ões” que fazem o dinheiro do povo sumir. Na esfera estadual, estamos a mercê da direita que oprime o funcionalismo público e, além de não conceder os direitos que temos, ainda tenta tirar os já conquistados a duras penas.
    O que está ocorrendo hoje é que estamos sem paciência. Pagamos tudo o que temos de diretos fundamentais duas vezes. Pagamos por saúde, educação e segurança através de nossos impostos. Nada contra, pois são eles que fazem com que o estado se mova em favor do povo. Contudo, pagamos ainda mais, pois temos que colocar nossos filhos em escolas particulares, pois as públicas estão falidas; precisamos pagar planos de saúde, pois a saúde pública é uma piada; precisamos morar em condomínios fechados, pagar segurança privada para patrulhar nossas ruas, pois a segurança pública é ineficiente.
    Nós trabalhadores queremos somente ver a cor de nossos impostos revertidos em benefícios para todos os brasileiros.
    E os paranaense, querem ver um governo que arregasse as mangas para realmente trabalhar e não para passear.

  8. O Estado do Paraná é contumaz inadimplente e não repassa seus 11 % há 12 anos e seis meses. (ex-presidente PRPREV), isto não é crime? qual foi a penalidade imposta pelo Tribunal de Contas aos gestores desse período? acho que nenhuma.
    agora vai um prefeito ou presidente de câmara, praticar tal ato, contas reprovadas e o Ministério Público na cola. Que pena Estado do Paraná.
    Obs: nesses 12 anos de inadimplência com o PRPREV, teve alguma manifestação, greves?

  9. Do Interior..... Responder

    O Requião nunca fez um aporte sequer e ninguém nunca falou nada.
    O que ocorre é que, tempos atrás passou o fundo previdenciário para o caixa do Estado e agora está voltando ao estado anterior.

  10. Parabenizo o Sr. Jayme de Azevedo Lima por esclarecer pontos importantes da proposta do governo para a PRPREV. Em previdência se não há poupança não há milagre e não há aposentadoria. Se o Estado não repassa o que lhe eh devido qual será o milagre? Onde estão os cálculos atuariais que demonstram a real situação da PRPREV? Onde está a clareza de intenções do governo? A meu ver o governador Beto não está nem um pouco preocupado com o futuro, pois está armando uma bomba relógio, só está pensando em salvar o seu combalido governo, tarefa impossível…

  11. Para acabar com a Paraná Previdência o governo não precisa retirar os 8,5 bilhões que a mesma possui de patrimônio, basta apenas continuar a não repassar a sua contribuição, coisa que vem de governos anteriores e me parece continua a acontecer no atual. As propostas deveriam ser para sanear o Fundo Previdenciário, e não eh o que estamos vendo. A receita do governo eh simples: aumenta-se os desembolsos em aposentadorias e não se repassa contribuições em valor compatível com as necessidades atuariais do plano de previdência. Ao longo do tempo o Fundo Previdenciário desaparece. Pode levar anos mas alguém lá no futuro pagará essa conta.

Comente