Uncategorized

Grevistas vão ter dias parados descontados na folha de pagamento

unname

O Governo do Estado lamenta, mais uma vez, a decisão da APP-Sindicato de manter a greve dos professores estaduais. A manutenção da paralisação desrespeita uma decisão do Tribunal de Justiça, que considerou a greve ilegal. Todos os itens acordados em março com a categoria estão sendo cumpridos pelo governo, como quitações de pagamentos e obediência às normas para cálculo de alunos em sala.

Na segunda-feira (4) foram pagos R$ 6,7 milhões referentes ao quinquênio e ao terço de férias para professores e funcionários da Secretaria da Educação. O governo lamenta que alunos estejam sendo prejudicados pela continuidade da paralisação e buscará na Justiça majoração da multa e a responsabilização criminal dos dirigentes sindicais pelo não cumprimento da determinação judicial de retorno às aulas.

Em 27 de abril, o desembargador Luiz Mateus de Lima, do Tribunal de Justiça do Paraná, determinou, por meio de duas liminares, que os professores estaduais e universitários em greve retornassem imediatamente às aulas. A Justiça considerou a greve ilegal e levou em consideração as liminares emitidas em fevereiro para ampliar o valor da multa diária para caso de descumprimento da decisão.

A multa para a APP-Sindicato foi fixada em R$ 40 mil ao dia. Já a multa diária para onze entidades sindicais que representam o ensino superior ficou em R$ 10 mil. As duas liminares emitidas pela Justiça são 1349670-7 e 1348213-8, do Foro Central da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba.

Conforme já foi determinado, as faltas desde o início da nova paralisação, em 27 de abril, serão descontadas dos salários. Diretores e chefes de núcleo foram orientados a fazer as anotações e encaminhar os dados à Secretaria da Educação.

As faltas injustificadas geram diversos prejuízos à carreira dos professores. Com apenas uma falta, por exemplo, já há prejuízo na progressão na carreira. Com qualquer número de ausências em sala de aula fica comprometida a classificação em concurso para remoção (mudança de escola) e a partir da quinta falta o profissional pode perder o direito à licença especial (a cada de cinco anos).

A Secretaria da Educação destaca que a nova paralisação vai comprometer de forma grave o cronograma de estudos de cerca de um milhão de crianças e adolescentes em todo o Paraná e, consequentemente, o rendimento escolar desses estudantes, já que o calendário escolar teve que ser refeito uma vez por conta da paralisação anterior, que durou 29 dias.

Além do cumprimento do acordo firmado ao fim da primeira greve, o Governo do Estado destaca os avanços concedidos aos profissionais da educação nos últimos quatro anos – aumento de 60% nos salários da categoria; aumento de 75% na hora-atividade; e a aplicação de 37% das receitas estaduais no sistema de ensino do Estado.

13 Comentários

  1. Desconta, e bota no olho da rua. – No dia seguinte, voltam todos, pianinhos, e pedindo desculpa.
    Tome uma iniciativa governador.. O sr. não pode ser massa de manobra desses delinquentes; o sr., como todo o Paraná de bem, somos vítimas dessa cambada de comunas disfarçados de professor.
    Você aí, petistinha ignaro, que aprova essa palhaçada; esse crime contra nossas crianças, mas que trabalha na iniciativa privada: comece lá, uma greve só pra ver onde você vai parar: Primeiro, naquelas lojinhas do centro que fazem “currículo”; depois com o caderno de empregos do gazetão de domingo, que de gazetão, e de empregos não tem mais nada, debaixo do braço, sentado na Pça Tiradentes, e finalmente na fila do Sine, e do seguro desemprego.

  2. Agora a greve tomou um rumo que não deveria. Os dias parados
    precisam ser descontados sim !!!

  3. Carlos Ernandes Responder

    Fabio,
    Peço que seja publicado este fato que considero gravíssimo. A rádio da UEL, publica como se sabe, sendo usada pelos radicais para fazer apologia do caos.
    Ontem um professor de direito radicaloide,- qualquer advogado mediano contesta suas aleivosias juricicas, por cerca de uma hora, usou a rádio para fazer a apologia do caos, culpando tudo e todos, enfim, utilizando espaço público voltado à cultura, para uso político do movimento que perdeu as eleições no Estado. O cara, filiado ao PT, falando em massacre, em condenações, etc.
    O pior disto tudo é a reitora, os responsáveis pela rádio, que deixa a coisa correr solta.
    Os órgãos de fiscalização deveriam abrir um procedimento deste uso indevido.

  4. Duvido que seja descontado um único centavo. A justiça acaba perdoando tudo e os vagabundos recebem para não trabalhar.

  5. Do Interior... Responder

    Vi um cartaz hoje na TV “MENOS BALA, MAIS GIZ”.

    Pois digo “MENOS GREVE, MENOS PT-APP-MST, MAIS INTELIGÊNCIA AOS PROFESSORES E MAIS GIZ”

  6. Quero ver como é que a maioria dos manifestantes vai fazer quando, no fim do mês não pingar nada na conta corrente, será que o sindicato e a APT vai pagar os seus filiados? Vamos ver até onde vai a macheza da “categoria”.

  7. Ele desconta, nao tem problema. Faltou tem que assumir a falta. So que o governdador e seus 31 deputados vem fazer a reposição dos 200 dias letivos e garantir as 800 horas. Porque se nao receber professor nao tem que trabalhar. Todo apoio ao professores.

  8. Sociedade Responde Responder

    É claro que tem que descontar. Essa brincadeira já está custando demais à sociedade que paga imposto e também o salário dos verdadeiros Mestres, e dos amestrados também. ** Se o cidadão tem que trabalhar para receber, porque eles não, já que a greve é ilegal para a Justiça e imoral para a sociedade decente? ** Ou será que eles vão empurrar a greve até às vésperas da próxima eleição para prefeito para eleger os seus politiqueiros falastrões? Então, que até lá, fique a pão e água…

  9. Senhor Governador: Mantenha o desconto a população aprova.

    Os professores passaram do limite

  10. PERGUNTAR NÃO OFENDE Responder

    o judiciário não se manifesta porque os desembargadores aposentados foram dispensados de pagamento da previdência como os demais funcionários públicos?
    gostaria de saber ainda como o recolhimento previdenciário dos desembargadores aposentados reduz significativamente os proventos e nos demais funcionários aposentados isto não acontece.

  11. PERGUNTAR NÃO OFENDE Responder

    SABENDO COMO AFIRMA TER CONHECIMENTO DE INFILTRAÇÃO DE “BADERNEIROS ” NA MANIFESTAÇÃO PORQUE O SECRETARIO BATMAN NÃO UTILIZOU O SERVIÇO DE INTELIGENCIA E NEUTRALIZOU A AÇAO ???

  12. Ficar sem pagamento no final do mês é a menor preocupação dos funcionários públicos. Eles irão perder todos os seus direitos conquistados em 68 anos, direitos e não regalias como muitos costumam dizer……… Eles com certeza vão para tudo ou nada!

  13. A educação tem formado profissionais sem a capacidade de competir. Não sabe que para poder vislumbrar oportunidades de crescimento e encontro do respeito é necessário crescimento moral e intelectual. Não se deixe conduzir pelas rédeas da intimidação, torne histórica sua própria existência. O PT não é um exemplo a ser seguido, pois adora um viés autoritário distante da democracia.

Comente