Uncategorized

Ana Seres recebe APP e pede volta das aulas

ana seres333

Ana Seres (Educação) recebe agora a direção da APP–Sindicato e vai pedir para a volta dos professores às salas de aula. A secretária encaminhou ao governo pedido de suspensão dos descontos das faltas nos salários no contracheque referente ao mês do maio e que eles sejam discutidos a partir da folha de junho.

“Quero contar com a confiança de todos os professores, funcionários, alunos e pais do Paraná. Vamos trabalhar com integração e diálogo para mostrar que é possível executar um ensino de qualidade”, disse. “Faço esse apelo a meus colegas e peço o envolvimento de toda a comunidade, pelo bem de nossos estudantes”, disse.

A secretária explica que o pedido de suspensão dos descontos das faltas no salário referente a maio foi feito porque nem todos os diretores repassaram os relatórios com as ausências aos núcleos regionais de educação. Portanto, acrescenta, alguns educadores teriam descontos já neste contracheque e outros não. O objetivo é evitar um tratamento desigual.

Os descontos serão rediscutidos a partir da folha de junho. “Isso ainda depende do entendimento da Justiça em relação à greve”, esclareceu Ana Seres. “Considerando nosso sistema de folha de pagamento, não seria justo só lançar parte das faltas, uma vez que há uma discussão judicial em torno da questão”, disse.

Em relação ao calendário escolar, a secretária vai ouvir os núcleos regionais para construir alternativas de reposição. Uma das possibilidades é utilizar a semana das férias de julho e talvez os sábados, mas nada está definido. Também serão ouvidos técnicos da Secretaria da Educação e representantes da categoria.

9 Comentários

  1. Meu Deus do céu, o piá de prédio colocou uma pestista como secretária? Enlouqueceu Betinho? Agora só falta convidar os irmãos do senador maluco para fazerem parte deste segundo Desgoverno. Estamos mesmo ferrados, já não temos presidanta e prefeito, e agora o governador vem com mancadas como esta. Para onde correr?

  2. VLemainski - Cascavel Responder

    Começando mal… Não descontar os dias parados desmoraliza o governo… Se a greve é ilegal, falta ao trabalho é passível de não pagamento. Está na hora de acabar com essa esculhambação. Greve deve ser o último recurso…

  3. Discutir o que, Secretária?
    Discutir sobre desconto parece ingrediente de pizza. Vão descontar, ou não?
    Será que tudo isso não vai resultar no pagamento dos dias parados em razão de greve ilegal?
    Menos, Secretária, menos, pois a responsabilidade também é sua.

  4. Era só o que faltava os professores grevistas, baderneiros e anti democratas receberem seus salários, sem que haja o desconto pelos dias parados. A APP e o PT, PSOL, PSTU que façam esse ressarcimento aos professores, pois por culpa destes os mesmos serviram de massa de manobra por eles. Esses partidos querem desviar o foco da Lava Jato e tentar criar fato novo. Mas não se incomodem muito pois virão o BNDsão, Eletrolão, Fundão de Penão e outras estatais. É só questão de dias.

  5. Já começou afinando. Governador, manda embora enquanto antes que levante as bandeiras da CUT e PT.

  6. Me corrijam se estiver errado. Se descontar os dias parados como a própria secretaria prevê discutir posteriormente, então não há o que se repor aulas, correto?

  7. Se o governo descontar as faltas, os professores não terão a obrigação de repor, algo óbvio – o trabalhador não pode ser punido duplamente, ou seja, se trabalha recebe, se não trabalha não recebe. Agora, existe um complicante nesta história: a Lei Federal que obriga os estudantes terem no mínimo 200 dias letivos. Se o governo descontar as faltas, terá obrigatoriamente que contratar profissionais habilitados para repor as aulas não dadas.

  8. Caro FÁBIO, com essa nova secretária, que para começar já vem pedindo abono de faltas. O estado desconta os dias parados no salário do mês em questão. Caso contrário fica como o caso do Deputado NELSON JUSTUS, que roubou descaradamente no mandato anterior, foi reeleito e agora não pode ser penalizado por estar em novo mandato, e no caso dos professores mercenários novo mês. Isso é o fim da picada. Caro governador BETO, a sua corda está esticando e ficando cada vez mais difícil tentar segurar sua posição. É muita asneira juntas e somadas, mesmo os mais apoiadores estão começando a se questionar. Atenciosamente

  9. Decisão sábia e estratégica, ninguém melhor para falar nos mesmos termos que alguém do meio.

Comente