Uncategorized

Aliados pedem demissão de Ministro do PDT

pdt 1 dias

Concluída a votação da primeira medida do ajuste fiscal, líderes da base governista e assessores presidenciais decidiram pedir a Dilma Rousseff a saída do ministro Manoel Dias (Trabalho), do PDT. As informações são da Folha de S. Paulo.

Na avaliação de aliados e ministros, a posição do ministro ficou insustentável depois que todos os 19 deputados do partido presentes à votação de quarta (6) traíram a presidente e votaram contra o texto básico da medida provisória 665, que restringe o acesso a benefícios trabalhistas.

A insatisfação foi transmitida pelo vice-presidente Michel Temer (PMDB) a Dilma, que ficou de avaliar a questão nos próximos dias. A expectativa no Palácio do Planalto é que a presidente opte pela demissão de Manoel Dias para usar o caso como exemplo.

A decisão só deve ser tomada depois de concluída a votação das demais medidas do ajuste fiscal na Câmara. O governo precisa ainda votar a MP 664, que restringe benefícios previdenciários, e o projeto de lei que reduz as vantagens da política de desoneração da folha de pagamento.

Segundo um assessor palaciano, é admissível que haja traições em alguns partidos, como ocorreu em todas as siglas governistas, mas não é tolerável uma votação em bloco contra o governo, como ocorreu com o PDT.

“Não me cabe dizer qual é o futuro da bancada do PDT. Me cabe dizer o seguinte: base é base, tem que ser base de manhã, de tarde e de noite”, disse o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE).

O PT pretende assumir a pasta do Trabalho se Manoel Dias for demitido. O ministro mandou dizer, por meio de sua assessoria, que o voto contra o governo foi uma decisão da bancada, e não do partido. E que ele continua a favor da aprovação da MP.

Após muita confusão, a Câmara concluiu a votação da MP 665 nesta quinta, rejeitando todas as emendas que tentavam alterar o texto. A vitória governista ocorreu com margem mais folgada do que a de quarta, quando o texto principal da MP 665 foi aprovado por uma diferença de apenas 25 votos e com a ajuda de votos da oposição.

A MP segue agora para o Senado. A principal emenda desta quinta, do DEM, tentava anular o endurecimento das regras do seguro-desemprego. Por 258 votos a 195, o plenário manteve o texto. Assim como na quarta, o DEM registrou oito traições na votação de sua própria emenda.

‘DEPRIMENTE’

Entre as defecções estão dois dos mais enfáticos críticos do PT, o ex-presidente da sigla Rodrigo Maia (RJ) e o ex-líder da bancada José Carlos Aleluia (BA), que votaram novamente a favor do governo.

O senador Ronaldo Caiado (GO), líder do DEM no Senado, divulgou nota pedindo desculpas aos eleitores e classificando a atitude dos deputados como “deprimente” e uma “traição ao sentimento da população brasileira”.

No lado governista, as traições se mantiveram nos padrões da quarta, com leve redução. As maiores defecções, proporcionalmente, ocorreram no PDT, no PP e no PTB.

Dos 67 deputados do PMDB, 17 não votaram a favor do governo. Na bancada do PT, 10 dos 64 deputados não votaram a favor da MP mesmo após a pressão do Palácio do Planalto e dos aliados por fidelidade total.

Questionado por que não votou com o governo, o deputado Padre João (PT-MG) riu e disse: “Prefiro me conter, o governo vai compreender que eu contribuí com o processo. Fico com minha consciência tranquila. Não traí nem trabalhadores nem o governo”.

4 Comentários

  1. Dilma não terá coragem suficiente para defenestrar o MINISTRO DO TRABALHO, pois este é aquele que disse que se fosse demitido iria ATIRAR POR TODOS OS CANTOS e denunciar todos os casos de corrupção, que ainda não são conhecidos pela mídia e por nós. Se demitir vai se dar mal. O rabo preso da Presidente está na berlinda.

  2. JOÃO DO LITORAL DE SC. Responder

    Seu MANECA DIAS,amigo de fé,irmão camarada,da prefeita de Bombinhas/SC, caso perca o emprego,tens na Península mais linda e bela de Santa Catarina….

  3. Caro FÁBIO, a ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA está realmente em situação CAÓTICA, pois possui como líder de partido o elemento que foi pego com PETRODÓLARES na cueca. E esse membro da ORGANIZAÇÃO fez a seguinte declaração: “Não me cabe dizer qual é o futuro da bancada do PDT. Me cabe dizer o seguinte: base é base, tem que ser base de manhã, de tarde e de noite”, disse o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE)”, vejam se um depoimento desse porte pode ser dado por um líder. Ele está numa situação tão frágil, que deseja estar invisível, para que ninguém perceba sua presença. Ele deve ter receio de ser relembrado de que foi pego com os recursos e como explicar. É mais um bandido. Imaginem como deve ser difícil ser liderado por um meliante como esse. Defendo a liberdade de opinião, liberdade de imprensa e liberdade de investigação. Apoio a mobilização dos CAMINHONEIROS e apoio a RENÚNCIA JÁ da DILMA, agora no poder, para evitar que cometa maiores VEXAMES e VERGONHAS, praticadas contra a sociedade brasileira. Atenciosamente. .

  4. Que absurdo, raciocínio mais idiota é este? Se assim for o pe$ti$mo também vai ficar sem um monte dos seus, porque votaram contra o próprio governo. Adoro moralistas, hipócritas e demagogos, sempre querendo enganar a gente de um jeito ou de outro.

Comente