Uncategorized

Se greve terminar este mês, todos os sábados
do ano terão aula para cumprir calendário

greve_professores

Por Felipe Ribeiro da Banda B

Com o calendário comprometido após 20 dias letivos de greve entre os meses de fevereiro e março e pelo menos mais 16 entre os meses de abril e maio, praticamente todos os sábados do ano precisariam ser de aulas para que a carga horária de 200 dias possa ser cumprida. Considerados que tivemos até o momento 29 dias letivos entre as duas paralisações dos professores da rede estadual, ainda seriam necessários 171 para cumprir as datas, dias esses que não caberiam apenas entre segundas a sextas-feiras.

Conta realizada pela equipe da Banda B em que foram desconsiderados os feriados, mas incluídos os possíveis recessos, mostra que faltariam 16 dias letivos para cumprir os 200 até 30 de dezembro. As alternativas seriam estender para os sábados até meados do mês de outubro ou utilizar o mês de janeiro para as reposições.

Em entrevista à Banda B no último dia 6, a secretária da Educação, professora Ana Seres Trento Comin, disse que os sábados não são viáveis para as reposições, mas que a alternativa ainda precisaria ser estudada. “Sempre que há uma greve, é inevitável o comprometimento no ano letivo, mas precisamos recuperar o tempo perdido”, explicou a secretaria.

Os 16 dias desta paralisação são contados em uma paralisação até o próximo dia 20, um dia após a próxima reunião marcada entre o governo do estado e APP-Sindicato. Foram desconsiderados ainda da conta os dias 24 e 31 de dezembro, além dos feriados.

Richa pede retorno

Em Brasília na tarde desta terça-feira (12), o governador Beto Richa disse que o governo está dialogando com o sindicato dos professores para a retomada imediata das aulas nas escolas estaduais do Paraná. “Nós continuamos com o diálogo, estamos confiantes que o sindicato possa encerrar a greve, porque não dá mais para suportar esta situação”, comentou.

O governador voltou a reprovar o incidente ocorrido no Centro Cívico que deixou pessoas feridas durante a manifestação. “Foram cenas que todos nós repudiamos. Temos tolerância, respeito às pessoas e sabemos conviver bem com as opiniões contrárias. O mais machucado neste episódio sou eu, ferido na alma pelo que vi ali e pelo desgaste que hoje me traz”, disse.

Desgaste

O professor Hermes Brandão, presidente da APP-Sindicato, afirmou nesta terça que o desgaste da greve acontece, mas se faz necessário. “A greve é desgastante para todos e principalmente aos educadores. É um período que cansa muito mais que o trabalho normal, mas é um instrumento de luta que precisa ser usado contra o desgoverno do Estado do Paraná”, afirmou.

Notícia Relacionada:

Reunião não tem acordo e greve dos professores continua pelo menos até dia 19

12 Comentários

  1. É hora dos Pais e Mães irem até o Ministério Público e solicitar a volta imediata das aulas. Os Pais que participam das Associações de Pais, Mestres e Funcionários (APMFS) deveriam entrar com mandato para que as aulas voltassem. Quem vai pagar a nota baixa no ENEM e nos vestibulares??? A APP SINDICATO??? A CUT??? VAMOS PAIS E MÃES ACABAR COM ESTA FESTA!!!

  2. Estamos no dia 13 de maio, e o governo nem sequer apresentou o índice do reajuste da data base dos servidores paranaenses (previsto em Lei Estadual, todo mês de maio). O MEC determinou para janeiro de 2015 um reajuste de 13%, dando continuidade ao maior avanço ocorrido no magistério brasileiro (A LEI DO PISO NACIONAL) e, até o momento nosso governo não apresentou um índice de reposição. Diante da situação (um estado quebrado financeiramente), os funcionários públicos não falam em ganho salarial, esperam o índice da inflação dos últimos 12 meses, porém, nosso governador só pensa em aumento de impostos, aumento na tarifa dos serviços públicos e, confiscar a poupança previdenciária dos servidores.
    A inflação dos últimos 12 meses segundo o IPCA, foi 8,17%.

  3. fabiano golveia Responder

    Ta demorando muito para cair a ficha desses professores e caírem fora desse sindicato. Tem professores que já se desfilaram. Tão sendo literalmente usados como boi de piranha por essa gente

  4. Quer dizer, por causa destes grevistas nossos filhos não podem ter mais um final de semana de lazer, sem falar da qualidade das aulas que vai deixar a desejar.

  5. Só quero ver se o Governador vai descontar os dias parados destes grevistas. Somo de familia adventista e os sábados dedicamos a orações. Meus filhos não poderão receber falta se forem convocados a estudarem aos sábados. Se preciso entro na Justiça contra estes vermelhos.

  6. Ah fala sério que os pais dos alunos etão defendendo o Beto Pinóquio. Conta outra. Meus amigos, quer dizer que todas as universidades estaduais e todas as escolas estaduais de ensino médio estão paradas porque a minoria quer ou porque o PT mandou? Vocês estão parecendo o Beto Pinóquio, ficam escrevendo besteira e acho que acabam acreditando nelas.

    Colegas, o cara precisa rever a besteira que fez quando aprovou, abaixo de pancada, o projeto pra desviar sua responsabilidade no pagamento de aposentadorias de funcionários que contribuíram para o estado. O valor que ele quer que os funcionários da ativa paguem pra ele não é legal, qualquer pessoa entende isso.
    Não precisa ser do PT, basta ser pai de um aluno que terá um professor desvalorizado pelo próprio Estado, ao qual ele paga seus impostos para que seu filho tenha uma educação de qualidade.

  7. Os caras ficam em casa, sem fazer nada, mas ganhando; ou fazendo arruaças pelas ruas, quando deveriam estar nas salas de aula ensinando e justificando o próprio salário, que já é muito bom, e quem paga o pato, são as pobres crianças e seus pais.
    Maldito país petista, sem lei, e sem punição.
    Maldita classe política, ordinária, que primeiro manda manda descer o cacete, e depois, pede desculpas, e ainda pune aqueles que apenas cumpriram suas ordens.
    Bem disse a esposa do Francischini: “Não honram nem as calças que vestem”.

  8. Estudei nesse Colégio, quando a estrela vermelha não imperava nas escolas. Fiz aí,o Ginásio, e o Científico.
    Foi no CEP que fui apresentado ao inglês; ao francês; e ao latim. Tínhamos ainda artes manuais; educação física; educação moral e cívica, além das matérias inerentes aos cursos frequentados.
    Hoje só se vê ali, proselitismo criminoso ao comunopetistmo; professores que mais parecem marginais pelo palavreado, pela indumentária, pelo corte do cabelo e pelas tatuagens.
    Sei disso porque meu filho mais novo acaba de terminar o ensino fundamental ali. Uma pena. Não sabe quase nada. Está reciclando tudo, do pouco que aprendeu, para enfrentar as agruras futuras.
    O Estadual é apenas mais uma vítima do comunopetismo.

  9. O que se ouve pelo comércio, na igreja ou na rua é que esses tais professores gritam para quem quiser ouvir: ” os alunos que se danem,os alunos não tão nem aí para escola, e nós temos uma causa que é ferrar o governador” . Não é uma gracinha ?

  10. Bando de vagabundos, a justiça devia mandar exonerar esses baderneiros e contratar novos.

  11. Esses sindicalistas patrocinados pelo PT, se valem de meios questionáveis para justificar falhas. Mas, o que esperar de um partido sem princípios morais, vergonha, escrúpulos e decência.

Comente