Uncategorized

Brecha legal pode liberar Pizzolato da prisão

Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil, condenado no processo do mensalão, pode ser solto na Itália antes mesmo do cumprimento da decisão de uma eventual extradição ao Brasil. No fim do mês passado, o governo italiano havia dado o sinal verde para que o brasileiro fosse transferido para cumprir pena no Brasil, mas, na semana passada, o Tribunal Administrativo de Roma acatou um recurso de Pizzolato e marcou uma audiência para o próximo dia três para julgar a liminar dos advogados do brasileiro.

O problema é que, no próprio decreto da Corte, os juízes apontam que a data final para que o Brasil organizasse a extradição é o dia 31 deste mês. Como a audiência ficou marcada apenas para o dia três de junho, tanto o Ministério da Justiça da Itália como autoridades brasileiras confirmam que Pizzolato pode ser solto no fim deste mês, aguardando, em liberdade, a audiência. Hoje, ele está preso em Módena. Brasília agora tenta impedir que os advogados de Pizzolato usem uma brecha legal para obter a soltura do cliente.

2 Comentários

  1. Ele está usando o jus esperneandi. Na medida em que nenhum político está na cadeia (o último a sair foi Jefferson), porque ele se conformaria em se entregar. Pode-se odiá-lo, mas, não censurá-lo.

  2. Esse crápula tem que ser extraditado e seja enviado às celas da Papuda urgentemente, para que cumpra a sentença proferida pelo STF. Todo ser humano que cometa algum crime deve ser punido
    com multa, prisão ou serviços sociais.

Comente