Uncategorized

Câmara começa a votar hoje novas regras para eleições

cunha

De O Globo

O plenário da Câmara começa a votar nesta terça-feira a reforma política. Ontem, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) definiu, junto com os líderes dos partidos, que a votação será em grupos, nesta ordem: sistema eleitoral, financiamento de campanha, manutenção ou não da reeleição, tempo dos mandatos, coincidência das eleições, cota para mulheres, fim das coligações proporcionais, cláusula de barreira, voto obrigatório e dia da posse do presidente da República.

A comissão especial que discute a reforma política foi enterrada na segunda-feira, sem a votação do relatório final produzido após 4 meses de discussões. O relator Marcelo Castro (PMDB-PI) foi destituído, e o presidente da comissão, Rodrigo Maia (DEM-RJ), indicado por Cunha para relatar a reforma direto no plenário.

Cunha e Maia têm posição comum a favor do distritão, segundo o qual os candidatos mais votados são eleitos sem que seja levado em conta os votos nos partidos. Cientistas políticos fizeram um abaixo-assinado contra distritão, defendido pelo presidente da Câmara. A pesada investida a favor do distritão como sistema eleitoral tem na linha de frente o vice-presidente Michel Temer, articulador político do governo, que desde o início do ano mobiliza deputados a favor do modelo.

Ressurgiu também outra possibilidade que havia sido sepultada há anos, o chamado distritão misto, no qual metade das vagas é escolhida pelo distritão, e a outra, por voto em lista partidária fechada. A apresentação do relatório está prevista para as 11h desta terça-feira.

A decisão de cancelar a reunião da comissão mista gerou protestos. A justificativa oficial foi de que a reunião havia sido cancelada por “acordo entre os líderes”. No entanto, a informação foi contestada pelo PT e pelo PSOL.

Cunha agilizou o andamento da reforma política em fevereiro, um dos seus primeiros atos para afrontar o PT, que segurava a votação do tema na CCJ. Ele aprovou a admissibilidade em plenário, criou a comissão especial e indicou o relator Marcelo Castro.

11 Comentários

  1. Esse Cunha não está contendo seu lado bandido. Enganou o País de Norte a Sul que elaboraram sugestões e, agora, sobra uma banana pa-ra todos cidadãos sérios que se dispuseram discutir a matéria. Desrespeito à Nação, é o que restou.

  2. Esta reforma política já devia ter acontecido há anos, a reeleição é pior câncer do executivo brasileiro, mas n é só isso. O voto deveria ser distrital, cada eleito representaria de fato suas comunidades. Outra coisa, os problemas de financiamento de campanha seriam amenizados, se a propaganda política fosse padronizada e com tempos iguais. O enfraquecimento dos partidos q os ” entendidos” de política afirmam acontecer é balela. Vai simplesmente acontecer acontecer o óbvio, as sigla q existem p negociatas terão a sua vida útil abreviada.

  3. Vamos ter mais um monstro, deputados e senadores nunca conseguem melhorar o que já está ruim. São especialistas em piorar o que já está péssimo.

  4. Não a reeleição
    5 anos para todos
    Basta de empresas dando dinheiro para depois sugar
    Políticos corruptos fora
    Basta de sacrificar o povo com pessoas que não sabem administrar
    VAMOS POR ESTE BRASIL EM PÉ NOVAMENTE SEM O SACRIFÍCIO DOS BRASILEIROS…
    POLÍTICOS TENHAM VERGONHA NA CARA…

  5. VLemainski - Cascavel Responder

    Tem me chamado a atenção a produtividade da câmara federal depois que o Cunha assumiu a presidência… Que continue assim… Desencalhar a reforma política é uma necessidade. Por analogia, embora a Lei de Murphy diz que nada é tão ruim que não possa piorar, acredito no contrário…ou seja, pior do que está não pode ficar…

  6. O q importa é enfrentar o PT . Esse canalha representa mais o atraso q a quadrilha do lula inteira. Mesmo assim há espaços como o seu acham normal um desequilibrado corrupto como esse estar onde está. O lado mais obscuro da política, com achaque, ameaças. O Brasil vai ficar muito pior proporcional ao tempo dele no poder. Pior que o PT.

  7. MANOEL BOCUDO. Responder

    VAMOS VER PARA QUEM VAI SER BOA A REFORMA, PARA O POVO ?????? OU PARA OS MAMADORES DAS TETAS GOVERNAMENTAIS ??????
    FORA REELEIÇÃO, GOVERNOU BEM, VOLTA NA PRÓXIMA, FEZ CAGADA,
    ESTÁ FORA DO JOGO. CHEGA DE PARLAMENTARES CARREGADOS POR OUTROS, TEM VOTO ENTRA, NÃO TEM, PENSE NA PRÓXIMA,

  8. E o voto facultativo, ninguém fala nada? Que democracia é essa em que o sujeito tem que votar na marra? Por que não o parlamentarismo? Com exceção dos EUA (lá o Congresso tem força de parlamento), qual é o país presidencialista que não é atrasado? Se o Brasil fosse parlamentarista não estaria nessa zorra econômica e política que se encontra! Bagunçou, cai o parlamento inteiro, inclusive o primeiro ministro; renova-se tudo, até alguém acertar. Por que não querem o parlamentarismo por aqui? Ainda continuo dizendo que o Brasil é uma democracia de interesses!

  9. Claudia Mondial Responder

    Reforma política ou lambança política. Com essa turma de deputados e senadores que se vendem por dinheiro não teremos boa coisa sendo votada. Listo o que deveria ser “A Reforma Política”: Eliminar o financiamento pelo governo aos partidos políticos (dinheiro do povo é para gastar com o povo); Eliminar a reeleição para todos os cargos políticos; Instituir no país a eleição seriada onde após ocupar um cargo não mais poderá se candidatar ao mesmo cargo; Fim da propaganda obrigatória e gratuita; Fim das mordomias de moradia, verba de gabinete, auxílio terno e etc; Eliminar o cartão coorporativo.

  10. SOCORRO não consigo pensar em nada bom que o Cunha possa pensar sem tirar a máxima vantagem em cima.. o Brasil ta perdido mesmo…

  11. A Minha única dúvida, é se esta reforma é para beneficiar o Povo e o País, ou é para benefício próprio dos políticos, que legislam em causa própria. Que vergonha !

Comente