Uncategorized

CPI dos Caixas Eletrônicos ouve diretor de Inteligência da Sesp

felipe francischini - 26.05.15

O presidente da comissão, deputado Felipe Francischini, deve organizar uma visita ao presidente do TJ nas próximas semanas.

A CPI dos Caixas Eletrônicos da Assembleia Legislativa do Paraná, presidida pelo deputado Felipe Francischini (SD), recebeu na tarde desta segunda-feira (25), o diretor do Departamento de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), o delegado da Polícia Civil, Fábio Amaro.

Em cerca de uma hora, Amaro mostrou aos deputados as ações da força-tarefa da Sesp criada para combater os ataques aos caixas eletrônicos. “Desde o começo deste ano iniciamos um trabalho muito forte focado na inteligência. Entre janeiro e abril deste ano tivemos uma redução de 64% no total de explosões a caixas em todo o Paraná”, disse Amaro.

O delegado defendeu, no entanto, maior colaboração do sistema bancário. Amaro sugeriu aos deputados a criação de uma legislação específica que obrigue os bancos a instalar equipamentos de segurança. “Os bancos mais visados pelas quadrilhas são justamente aqueles que não contam com equipamentos de segurança, como, por exemplo, o jato de tinta que mancha as células em caso de explosão.”

Amaro lembrou que os ataques não representam prejuízo somente aos bancos. “Há risco para as pessoas comuns que podem estar passando por ali e para os policiais, já que enquanto alguns criminosos explodem os caixas, outra parte faz uma vigia no local, de posse de armas de grosso calibre.”

Vara especializada
Para o presidente da CPI, deputado Felipe Francischini (SD), a reunião foi positiva, porque foram apresentados dados concretos e recentes sobre os crimes contra os caixas eletrônicos.

“Tivemos a apresentação de dados reveladores. Com esses dados em mãos, nós deputados, membros da CPI, vamos poder traçar um panorama de todo o problema em relação a este tema no estado e apresentar propostas de mudanças não só em termos legislativos, mas também para os demais poderes”, concluiu.

O deputado também comentou outra sugestão de Amaro, a criação de uma vara especializada em crimes de corrupção. “Esse foi um projeto que apresentei na minha primeira semana, solicitando ao nosso Tribunal de Justiça (TJ) a instalação de uma vara específica para o combate ao crime organizado. O pedido do delegado Amaro reforça a importância da criação dessa Vara, onde tramitaria todos os casos relacionados ao crime organizado”, disse Francischini. Segundo ele, uma visita dos membros da CPI ao presidente do TJ deve ser marcada nas próximas semanas.

Também participaram da reunião os deputados Missionário Ricardo Arruda (PSC), Rasca Rodrigues (PV), Professor Lemos (PT), Artagão Júnior (PMDB) e Guto Silva (PSC), que é relator da CPI.

Comente