Uncategorized

O cansaço da greve

greve22 - foto

Passados mais de 60 dias da greve dos professores, sob a orientação e a batuta petista, a comunidade paranaense, a maior prejudicada, apesar de haver manifestado simpatia no início, demonstra sinais claros de cansaço com o movimento.

Apesar de a Secretaria da Educação informar que 352 das 2.158 escolas estaduais no Paraná estão totalmente fechadas pela greve da APP-Sindicato, os sintomas de desagrado com o movimento pipocam em todo o Estado.

Primeiro, porque o governo concordou com todas as reivindicações apresentadas pela APP-Sindicato nas reuniões bilaterais entre sindicalistas e representantes da administração estadual. Mesmo assim, a direção da greve apresentou novas reivindicações a serem negociadas com o governo.

A principal delas, tentando envolver outras categorias de trabalhadores, foi o reajuste salarial para todos os servidores estaduais, ignorando a proposta feita pelo governo de reajuste de 5%, que é um dos maiores do país.

Fica claro que é apenas um pretexto: se houver o reajuste salarial de 8,17%, que foi solicitado pelos grevistas, eles arrumarão outro motivo.

Os professores fingem desconhecer as dificuldades financeiras enfrentadas pelo governo, simulam ignorar os ganhos obtidos nos últimos quatro anos (quando receberam aumentos de 62% contra uma inflação de 26%) e exigem um reajuste de 8,17%, quando o governo oferece o que pode dar: 5%.

A diferença de salário, para um professor que ganha o piso, entre os 8,17% exigidos e os 5% oferecidos, é de R$ 96. Para o governo, a conta é mais salgada: são R$ 45 milhões mensais ou R$ 585 milhões anuais a mais.

Há prejuízos imensos para os alunos por causa de R$ 96.

E os alunos, pais e os professores que querem trabalhar continuarão prejudicados pela irresponsabilidade política de um grupo?

Os exemplos do cansaço em relação à intolerância se repetem.

Em Campo Mourão, um grupo de pais reclamou ao Ministério Público, em petição que exige que os direitos dos alunos sejam garantidos.

Em outras cidades, como em Rio Negro ou em Paranavaí, alunos que serão vestibulandos ou participarão do Enem reclamam que não terão tempo suficiente para se preparar para os exames.

Em Almirante Tamandaré, no último dia 22, o diretor da Escola Professora Rosa Frederica Johnson, Alci Fonseca Romero, registrou boletim de ocorrência na Polícia Militar reclamando do tumulto causado por grevistas da APP-Sindicato. Segundo o diretor, os grevistas entraram na escola sem autorização, com megafone, aos gritos, atrapalhando o início das aulas, por volta das 7h30.

Os próprios professores estão preocupados, e não os sindicalistas, com seus salários porque a Secretaria de Educação manteve a decisão de descontar os dias parados dos grevistas.

No próximo pagamento, haverá atraso não só para os professores, mas para todos os servidores, pois a invasão de grevistas na Secretaria da Fazenda e no prédio da Parana Previdência atrapalhou a preparação das folhas salariais.

Há mobilizações da APP-Sindicato em frente aos núcleos regionais de educação e nas secretarias das escolas, impedindo a entrada de funcionários e o andamento dos trabalhos com relatórios de faltas dos professores a serem enviados à Secretaria de Educação.

Em Curitiba, aos cartazes dos grevistas estimulando motoristas a buzinarem contra reajustes no IPVA, tentando ganhar a simpatia para seu movimento, motivou comentários de um funcionário da Assembleia Legislativa: “será que eles desconhecem que é a arrecadação estadual, inclusive com o dinheiro do IPVA, que paga seus salários? E que o IPVA representa 50% do orçamento da grande maioria dos municípios paranaenses?”.

Outro comentário foi ouvido em um restaurante em Londrina: “esses caras inventam um motivo por dia. Já receberam um monte de coisas, já receberam aumento de salário, o que será que eles pretendem com esta greve?”.

As respostas para essas indagações cada vez mais comuns na comunidade paranaense estão no núcleo da greve, em sua motivação político/partidária.

Resta saber por quanto tempo o Paraná suportará esta irresponsabilidade.

22 Comentários

  1. Mais de 30 dias parado caracteriza-se abandono de emprego! Então o que deve ser feito! Contratem PSS resolve o problema e deixa esse bando de baderneiros em greve até quando puderem, e sem salários é claro. Os alunos é que não podem ser prejudicados

  2. Foda-se o governo e o desgovernador, não fomos nós que quebramos o estado. Os professores querem somente o que é justo além dos 8,17% de correção data base, quer que revogue esse PL que acabará com o Paraná previdência . Até 5 de outubro o Brasil e o Paraná era um mar de progresso e estabilidade; cambada de mentirosos. Fora Dilma fora Beto Hitler

  3. valdinei souza Responder

    Sou professor e não sou manipulado por partido político nenhum, sei e tenho consciência da motivação primaz da luta. olha tenho autonomia própria de pensamento, e não recebo nada por isso, o que eu recebo salarialmente é fruto do meu conhecimento que repasso todos os dias para que gerações futuras sejam melhores das que já se foram…não manipulo infomações a meu extremo prazer, conhecimento deve ser exalada em sua primaz essência…..mas vejo que o fruto da renda de alguns é a manipulação das informações…bodes de cabresto em troca do sustento…..vaquinhas de presépio coisa que muitos professores não são…muito menos meninos mimados que sempre viveram às custas do Estado…

  4. Li seu post várias vezes. Não acreditei na argumentação:

    1) O problema são apenas R$ 96,00? Não, você sabe que o problema é bem maior. Isso é apenas garantia de direitos. Por que o governo não faz essas contas contas quando resolve aumentar seus salários e dos secretários? Ou criar uma série de cargos de confiança que apenas acomodam parasitas políticos? E não adianta fazer jogo de cena de “congelar” o salário! Se a crise é tão grande, por que não cortar o salário do governador de R$ 33.000,00 para R$ 10.000,00?

    2) Não sei quais as suas fontes … tendenciosas e obtusas, sem dúvida, pois o movimento está cada vez mais fortalecido, e com apoio da comunidade, embora haja um ataque cibertucano aqui e acolá. Haja vista a posição dos deputados da situação, que não aceitam votar um reajuste menor que os 8.17%.

    Vamos ver os fatos como eles realmente são …

  5. Será que estes grevistas já perguntaram aos pais e alunos se eles que fazer reposição de aulas até fevereiro do próximo ano?
    Acho que isto sim precisa ser explorado pela população.
    Os alunos estão sendo manipulados por um bando de PT e não enxergam. Muito triste isto

  6. Sr. crdl. Já no início de seu comentário, nota-se seu excelente preparo para ministrar aulas a jovens e adolescentes. Parabéns pela sua educação. Também sou funcionário público e igualmente afetado pela incompetência do PT, que acabou criando inúmeras dificuldades para todos os Estados do Brasil, não somente para o Paraná. Mas, há momentos, em que devemos refletir e cada um ceder um pouco de cada lado. O que não está acontecendo com os Professores, que tem seu Sindicato comandado por Petistas e infiltrados pelo MST e outros movimentos, que só querem fazer baderna e desestabilizar os que estão no poder, como vingança pelo resultado das últimas eleições no Paraná, onde PT e PMDB, levaram a maior lavada eleitoral. Agora estão de olho na Prefeitura de Curitiba, com apoio da RPC e Gazeta do Povo, que recebem verbas imensas do Governo Federal para denegrir a imagem de todos que não são Petistas. Jornalismo totalmente tendencioso ao PT. Isto sim é uma vergonha !

  7. A lei estadual 15512/207 estabeleceu a DATA BASE de revisão anual de salários do funcionalismo público do Paraná – 1º de Maio – SOMENTE!!
    A Constituição Estadual (art. 27 – X) e a Constituição Federal (art 37 – X) asseguram a revisão anual e limitam-se a estabelecer que não haja distinção de índice – SOMENTE!!
    A Lei de Responsabilidade Fiscal impõe um série de restrições que facultam ao Administrador Público aplicar o índice menor que a inflação.
    Tramita no STF o Recurso Extraordinário nº 565089 , desde 2007, que criaria a jurisprudência necessária para se EXIGIR o índice da inflação nestas revisões (ou reajustes) salariais. O placar está em 4 x 3 contrários a aplicação da inflação.
    Não existe – AINDA – base legal para se exigir o índice da inflação.
    A Greve é puramente uma medição de força política, onde todos perdem, principalmente os alunos e a população,
    Professores.., sejam inteligentes e sensíveis ao seu principal motivo de mobilização: SEUS ALUNOS ..(ou será que não são !?!???)
    VOLTEM ÀS AULAS !!! e depois negociem. Os deputados já estão com vocês quanto ao índice.
    Esqueçam esse Sindicato PTRALHA.

  8. crdl, bela educação a sua! Você ensina palavrões também para seus fihos? O que você sabe sobre Hitler para comparar ao gov. Carlos Alberto Richa? Eu não sou simpatizante do Governador e nem o defendo, mas a classe que você defende está ganhando demais face as demonstrações de ignorância que tem oferecido em todos os sentidos!
    Não é estranho que os alunos do ensino público estejam cada vez mais mal educados e semialfabetizados e com raríssimas exceções, a maioria termina os estudos de 1º ou 2º grau analfabetos funcionais e ignorantes, que só cursam ensino superior nessas faculdades fajutas estimuladas, caça níqueis estimuladas pelo PT.

  9. O governo tem que convencer não só os professores e funcionários mas também os deputados estaduais que não concordam com os 5%. Tanto que não envia o projeto de lei para assembleia porque sabe que receberá emendas concedendo os 8,17% conforme a lei da data base.

  10. Campana, se o Beto tivesse do seu lado um tonto como eu, ele não teria a metade dos problemas que arrumou dando entrevistas cito:
    1º – Os caras roubaram em londrina! problema deles
    eram meus amigos chegados, mas eu não posso responder por eles
    trairam minha confiança:
    2º – Fotografo estuprador! o cara era da minha convivencia, trabalhava no meu governo, mas fez besteira, problema dele, vai ter que pagar eu não tenho nada com a vida particular do cara.
    3º – Chamaria antes para uma conversa a APP e os funcionários publicos e diria, estamos quebrados, preciso desse dinheiro da previdencia para pagar dividas, mas quero o aval de voces, afinal o dinheiro é de voces, prometo pagar os avanços e direitos de reposição que voces tem com o estado. aí sim vou falar com minha base na assembleia pra votar, porque o dinheiro é de voces e não dos deputados.
    4º – Quando a policia meteu o cassete nos professores, qual a primeira coisa a fazer; não mandei bater em trabalhador, demitiria no mesmo dia o secretario de segurança e o comandante geral.
    5º – outra furada, dizer que filha de dono de banco não sabe o que é auditor fiscal? essas pessoas sabem tudo de tributação e melhor conhecem a politica financeira do globo melhor que qualquer economista por aí..
    6º – A democracia e diplomacia não funciona nem na sua casa quando seus filhos são menores.
    Executivo tem que ser meio ditador, assumir responsabilidades e ser durão mesmo quando não tenha razão é como jogador, tem que correr riscos. (na politica se voce não almoçar o adversário com certeza será jantado por ele).

  11. O sujeito não tem jeito mesmo, continua mentiroso, hipócrita, safado e sem vergonha. Será que ele fez especialização em calote em alguma faculdade? Talvez no Paraguai! Nem que tenha que votar no Lula, mas candidato do PSDB NUNCA MAIS. Vai para o inferno beto richa, o vadio !

  12. Se somente 352 escolas estão paralisadas, como indica a SEED-PR, o problema não é tão catastrófico como o governo e setores da mídia estão pregando. Me parece que falta disposição do governo em dialogar. Uma hora se diz que se paga muito bem aos professores, mas peraí…a diferença que os mestres reivindicam representa somente R$96 entre o que o governo propõem, então eles estão ganhando muito mal no Paraná e o governo deve atende-los urgentemente, até mesmo porque deram o seu quinhão de contribuição a crise financeira do estado ao colocar em risco o futuro das suas aposentadorias…seria no mínimo uma forma de compensar a questão da previdência e as bombas que receberam.

  13. MANOEL BOCUDO. Responder

    JÁ ENCHEU O SACO, NOSSOS FILHOS SEM AULA COMO FICAM PROFESSORES ??? A APP ESTÁ USANDO NOSSOS MESTRES.

  14. VLemainski - Cascavel Responder

    Se a greve foi julgada ilegal, não cabe pagamento pelos dias parados. O STF julgou recurso dos professores paulistas negando o pagamento dos dias parados. Sinto piedade de alguns professores amigos meus que serão prejudicados em salários e histórico profissional. Quero ver se a APP pagará as prestações do carro, apartamento, cartão de crédito, etc… Há males que vêm pro bem…

  15. Vai faltar pessoal para fazer PAD – Processo Administrativo Disciplinar por abandono de serviço.

  16. Tenho visto toda imprensa, ao lado dos professores, mas esquecerem
    de falar dos verdadeiros “massacrados” que sao os alunos das redes
    estaduais, sao jovens, que nao tem ninguem para os defenderem,
    eles tem direitos as aulas a CONSTITUIÇAO NACIONAL, lhes garan
    tem isso, eles nao tem SINDICATOS PODEROSOS, a MIDIA, nem
    o MINISTERIO PUBLICO para lhe defenderem, e nem conciencia dos
    seus direitos, a maioria dos filhos dos professores estudam em redes
    privadas, os pais dos alunos da redes publicas sao operarios e ganham salario minimo. sao um milhao de de alunos, JOVENS SAIAM AS RUAS LUTEM POR SEUS DIREITOS, voces estao sozinhos , nao perceberam ?

Comente