Uncategorized

Com projeto da data-base na Alep, professores devem pressionar deputados nesta semana

app 2- divulgaçao

da Banda B:

A discussão do projeto da data-base dos servidores do Estado deve acontecer nesta semana na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). Em greve há quase 40 dias, o professores pretender se reunir, a partir das 10h desta segunda-feira (1), na região do Centro Cívico, com a intenção de pressionar os deputados para a não aprovação da proposta enviada pelo Governo do Paraná.

A nova proposta de reajuste aos servidores públicos do Paraná foi formalizada após reunião entre o governador Beto Richa (PSDB) e o secretariado na última quarta-feira (27). Segundo o projeto, a ideia é conceder 3,45% de reposição ainda neste ano, parcelado em três vezes – nos meses de setembro, outubro e novembro. Em uma nova data-base, em janeiro do ano que vem, o reajuste da inflação de todo o ano de 2015 seria assegurada pelo índice aproximado de 8,5%

Desde que a proposta foi anunciada, a APP-Sindicato, que representa os professores, afirmou que não havia qualquer possibilidade da proposta ser aceita. Pela rede social Facebook, a última mensagem da APP foi a seguinte:

Amanhã nossa luta continua. O projeto da data-base está na Alep. Lá é nosso lugar nesta segunda. Você de Curitiba, organize os(as) colegas e vá para o centro cívico. A partir das 10h é o nosso encontro! No interior, diversos atos estão sendo organizados, entre em contato com seu núcleo sindical. #‎eutonaluta‬

A intenção dos servidores é que emendas sejam feitas ao projeto de lei, visando garantir mais direitos aos servidores. Enquanto isso, não há qualquer previsão de quando a greve chegará ao fim.

Processos e descontos

O governo do estado confirmou na última sexta-feira (29) que lançará faltas dos professores grevistas a partir da próxima segunda-feira (1°). Em reunião realizada entre a secretária da Educação, Ana Seres, e os chefes de Núcleos Regionais de Educação, ficou decidido que a partir de segunda-feira (1) os diretores que não enviaram os relatórios com as faltas, trancaram as escolas ou impediram a entrada de alunos e professores serão convocados para apresentar esses dados aos Núcleos. Diversos processos administrativos já foram abertos em casos de “insubordinação grave”.

2 Comentários

  1. SE OFERECER TUDO ATÉ OURO
    ELES AINDA VÃO ENCONTRAR OUTRO MOTIVO PARA NÃO IREM TRABALHAR E DESGASTAR O GOVERNADOR BETO RICHA.ELES ATÉ SUSPEITO QUE ESTÃO GANHANDO ALGUNS BONUS DO SINDICATO OU DOS CUMPLICES DA GREVE DO GOVERNO FEDERAL.SÓ ACHO.

  2. O governo deveria pegar essa esmola e dar pro Secretário da fazenda pros servidores da justiça, para os servidores do TCE e Deputados, esses sim trabalham para o governador, merecem auxilio moradia de R$10.000, tão passando fome cambada de sangue sugas.

Comente