Uncategorized

No esforço para acabar com a greve, secretária de Educação promete não descontar faltas

A greve dos professores pode acabar na próxima terça-feira (9), durante assembleia da categoria que deve acontecer em Curitiba. Para tanto, a APP-Sindicato quer um acordo com o governo para que as faltas de abril, que já foram computadas, sejam retiradas. Com relação a maio e junho, a secretária da Educação, Ana Seres Comin, afirmou que não haverá descontos.

“A proposta do governo é o retorno imediatado. Faltas de maio e junho não serão descontadas. O calendário será de acordo com cada escola, porque há instituições que retornaram às aulas. Falta de abril foi lançada, mas pode ser aberto o dialogo sobre o desconto”, disse a secretária em entrevista à RPC TV.

14 Comentários

  1. Então vamos ter uma nova pré candidata a se eternizar na cadeira de secretária, abonar as faltas.. kkkkkkk. tudo resolvido e os alunos como ficam????

  2. Edson Stelle Teixeira Reply

    O que acontece com empregado de uma empresa que falta ao trabalho por mais de trinta dias??? É demitido por justa causa.
    Então não entendo porque não descontar as faltas dos professores, que prejudicaram muita gente.
    E os professores que não aderiram a greve, como fica?
    Em uma próxima, terão todo direito de também fazer greve, pois na atual serão considerados “palhaços”. Lamentável a frouxidão do governo!!!!

  3. SECRETÁRIA,

    Se isso vier acontecer, com essa greve “segundo a Justiça” é ilegal,
    seria um a fronto as outras classe de trabalhadores que prestam serviço ao Estado.

  4. antonio carlos Reply

    É mais do que lógico, o dinheiro não é dela mesmo. Duvido que ela fosse assim “tão generosa” se fosse dona de escola, a professorada iria pensar duas vezes antes de ficar sem salário. Mas como a grana é nossa e não dela, pode ser generosa o quanto quiser.

  5. Este país não tem mais jeito. Descumprem uma ordem judicial, que na pior das hipóteses seria passível de cadeia para qualquer mortal, causam transtornos a todos os alunos da rede estadual, tumultuam a cidade, provocam a polícia causando uma pancadaria sem precedentes no país, e ainda por cima querem o abono das faltas?

    Pô este governo já está uma porcaria, e ainda concorda com esta sem-vergonhice sem precedentes? Qual a moral (já não tem muita) que este governo vai ter daqui por diante? Eu mesmo respondo, a meu ver nenhuma.

  6. Se esta informação for verdade, vai dar M….Pois significa que, trabalhando ou não, o direito dos vencimentos esta resguardado. Significa que Sindicatos e outros grupelhos podem chantagear o poder publico e fica por isso mesmo. Se esta secretaria falou isso, sem a tutela do governador, tem que ser desmentida e talvez exonerada. Se for por ordem do governador, tenho pena dos próximos dias do que resta de mandato. Esta se ajoelhando a criminosos que se dizem membros de uma categoria, a um jornalismo picareta, a uma demagogia salafrária. Se fizer mesmo isso, perderá o respeito de todos que o elegeram, e ficará impossibilitado de ser o representante do nosso executivo. Um lider nao pode nunca ceder as chantagens, as mazelas, pois abre precedente. Abre o olho governador. Inclusive, em minha opinião, não morro de amores pelo PT, nem seus asseclas, porem se esta greve fosse federal, ou em algum estado/município dominado pela trupe, eu tambem defenderia o chefe do Executivo. As Leis tem que ser seguidas, grupelhos organizados, birrentos e chantagistas não podem estar acima das Leis.

  7. VLemainski - Cascavel Reply

    Pagar os dias parados de uma greve julgada ilegal será uma desmoralização ao Beto Richa… Afinal, a greve não foi política?… O risco que corre o pau, corre o machado… Está na hora de parar com essa brincadeira… Greve deveria ser coisa séria…

  8. Não descontar faltas? Depois de tudo, ainda reclamam de greves ilegais?
    Paguem as faltas e preparem-se para a próxima temporada de greves.
    Governo cretino e leniente como esse é difícil de encontrar, até por que os prejuízos inflingidos à sociedade já estão consolidados, já não importando mais quando o ano letivo vai acabar, se neste ou no próximo ano, ou seja lá quando.
    Caramba, ou a greve é legal ou é ilegal. Se ilegal, como dizem os doutores, qual a razão de pagar aos faltosos. Pensei que o governador ia virar “A dama de ferro do Paraná”, triste ilusão!
    PS.: Para quem não sabe, a Dama de Ferro acabou com a festa dos sindicatos dos mineiros da Inglaterra, colocando fim a uma era de prejuízos injustificáveis aos ingleses.

  9. Como assim, não descontar as faltas? Então devolve a minha parte do imposto que pago todo mês. Se é para ser covarde, sejam covardes com o dinheiro do 6.

  10. votar nunca mais Reply

    Antes de afirmar que não descontara os dias parados, a Senhora deve ao menos raciocinar que o dinheiro do estado não e seu, e sim dos contribuintes, por isso, quem não trabalhou não tem nada a receber. Agora, caso a Senhora queira pagar com o seu dinheiro, nada temos a nos opor.

  11. Bem, dizem que não se faz omelete sem quebrar os ovos. Os professores entraram em greve, um direito legítimo, deixaram os alunos 60 dias sem aulas, muitos perderam o ano e a chance do vestibular e agora os professores não querem ser descontados!!!!??? Querem impunidade. Tudo bem que a greve é um direito e a garantia de emprego deve ser mantida mas, 2 meses parados sem desconto?!!!!

  12. Larry de Camargo Vianna Nascim Reply

    Acho um absurdo não descontar. Quem fez greve com decisão judicial
    de ilegalidade que assuma o risco e resultado. Se eles, professores grevistas repuserem realmente o conteúdo perdido (repor com qualidade) aí sim o governo poderá pensar em rever as punições aplicadas(desconto,anotação das faltas,etc).

  13. paulo luis freitas Reply

    se não houver desconto, esses professores vão se acostumar ainda mais em ficar sem trabalhar. eles só tem direitos, deveres nenhum. Vcs acham que os professores vão repor ? quem acredita em papai noel, coelhinho da páscoa…?.
    Desconta Já !!!!!!!!

  14. Valdecir Trindade Reply

    Acho um absurdo não descontar as faltas dos grevistas. Só concordaria se essa bondade onerasse o bolso da secretária e do governador apenas. Mas não, sabemos que quem arcará com essa “generosidade” é o contribuinte do Estado, que não recebeu os serviços a que tinha direito. Vamos aguardar e examinar a possibilidade de ingressão com ação popular contra a Secretaria e o Governador. Afinal o Estado deverá ser ressarcido pelo dano.

Comente