Uncategorized

Chega ao fim a absurda
e violenta greve de professores no Paraná. Quem saiu perdendo?
Os paranaenses!

Reinaldo Azevedo

Chegou ao fim, depois de 44 dias, uma das greves mais absurdas de que se teve notícia nos últimos tempos: a de parte dos professores do Paraná. Não só absurda: também abusiva, violenta e politicamente orientada. O detonador do movimento foi a decisão do governo de proceder a alterações técnicas no pagamento de um grupo de professores aposentados, o que não acarretaria prejuízo a ninguém. A pauta propriamente salarial só veio depois.

A greve foi conduzida pela APP-Sindicato (Associação dos Professores do Paraná), mera franja da CUT e do PT. O partido resolveu se opor ao ajuste fiscal conduzido no estado pelo governador tucano Beto Richa — como se sabe, Dilma, quando corta despesas, é uma poeta; se um tucano faz a mesma coisa, é um criminoso. Não tenho mais paciência para essas práticas moralmente dolosas do petismo. A palavra de ordem do partido no Estado é inviabilizar as medidas de contenção de despesas.

A greve ganhou repercussão nacional no dia 29 de abril, quando, apelando ao vandalismo, supostos professores — nego-me a crer que fossem, embora, infelizmente, tudo indique que sim — tentaram invadir a Assembleia Legislativa, o que já haviam feito antes. Não estavam armados de canetas. Não estavam armados de livros. Não estavam armados de bom senso. A coisa era mesmo no pau, na pedra e na porrada. A Justiça tinha determinado que a Polícia Militar protegesse o prédio do Legislativo de uma nova invasão.

O confronto entre manifestantes e polícia foi feio. Houve dezenas de feridos — incluindo alguns policiais. Era tudo o que queriam alguns trogloditas, para que pudessem, então, posar de vítimas, expondo suas chagas a cinegrafistas e fotógrafos. Fascistoides violentos, que pretendem impedir o funcionamento do Parlamento estadual no muque, na mancada, foram retratados como vítimas de uma polícia perversa.

A imprensa nacional está em Curitiba por causa da Operação Lava Jato. Muitos veículos viram a chance de provar para o PT que não alimentam preconceito nenhum em relação ao partido. Tentaram transformar o tucano Richa em vilão, como se o governo do Paraná estivesse à beira do colapso. As televisões — muito especialmente as emissoras locais — fartavam em mostrar os policiais em ação (e isso nunca é bonito), mas omitiram a violência a que recorreram os ditos manifestantes.

O caso é especialmente absurdo porque o Paraná paga um dos melhores salários do país para os professores. Aliás, o governo tomou uma providência correta em nome da transparência: publicou na Internet os ganhos de todos eles. Se você clicar aqui, poderá ter acesso aos dados.

O sindicato não gostou na inciativa, claro! Preferia que prosperasse a falácia de que a categoria vive na penúria. Atenção: o piso para 40 horas no Estado para um professor iniciante é de R$ 3.194,71. Quem recebe abaixo disso não cumpre 40 horas. Ah, sim: dessas 40, 14 são hora-atividade — 35% Se não for a maior proporção, é uma das maiores.
Desdobramentos
A governo do Paraná ofereceu 1% de ganho real aos servidores em 2017 e se comprometeu a cobrir a inflação de 2015 e 2016. Os dias parados não serão descontados.

Hermes Leão, presidente do sindicato, comemora e afirma que a greve foi “amplamente vitoriosa”. E não teme o ridículo: “Foi um orgulho, uma inspiração para o mundo em termos de resistência. E, ao primeiro sinal de descompromisso do governo, entraremos em greve novamente”.

Pelo visto, Leão e seu sindicato ganham quando o povo do Paraná perde. Quem recebe por dias que não trabalhou merece outro nome, que não trabalhador ou professor. Nesse caso, a profissão é outra. Noto que o rapaz não dá muita bola para aqueles que foram realmente prejudicados com isso tudo: os alunos — na sua maioria, pobres.

O dinheiro que paga os salários do funcionalismo não pertence ao governo, não pertence ao governador, não pertence a um partido político. É dinheiro do povo. É espantoso que essa gente se sinta à vontade e feliz por, vênia máxima, bater a carteira de pobre.

Os petistas do sindicato do Paraná deveriam ouvir o que já disse seu líder espiritual, Luiz Inácio Lula da Silva: greve com pagamento de salário é o mesmo que férias. Nos tempos em que Lula liderava paralisações no ABC paulista, fazia-se um fundo de greve, em vez de avançar no bolso do povo.

A campanha eleitoral no Paraná começou cedo. E a turma não vai parar. O governo que se prepare para dizer quem é quem e para evidenciar as armações políticas. E a imprensa, especialmente a local (com raras exceções), tenha mais compostura.

29 Comentários

  1. Doutor Prolegômeno Responder

    O lulopetismo quer passo de ganso, braços estendidos em saudação ao líder e sieg-heil.

  2. A tal Marlei e o talzinho do Herminho perderam mucho mais: tá assim de fessôr que nunca mais contribui $ pro sindicato nem participa de outra greve.

  3. Esta confusão armada pelo PT/CUT/APP não pode ser classificada como greve, mas baderna. Iniciaram a paralisação sem pauta, instauraram a confusão e ficaram com o pires na mão. Está na hora da maioria silenciosa dos professores dar um basta a essa vergonhosa exploração polítoco-partidária da educação.

  4. Agora tudo volta ao normal: os professores que estavam pescando e as professoras que fizeram suas compras no shopping retornam à “árdua” atividade.
    Eles não poderão repor aulas em janeiro porque tem férias obrigatórias naquele mês (o período entre 23/12 e ano novo não conta), e os alunos continuarão recebendo o mesmo: um ensino péssimo, ninguém será reprovado e o problema será transferido para quando eles entrarem na universidade (se entrarem).
    De todos, quem perdeu mais foram as mães que não puderam trabalhar nesse período porque não tinham com quem deixar os filhos.
    Parabéns à APP que ganhou mais essa. Uma vaia ao Governo que abonou todas as punições e faltas.

  5. A partir de agora, o governo vai tratar dos marajás das universidades, que não trabalham, ensinam mal e tem todos os direitos possíveis.
    Que tal começarmos a divulgar os ganhos e as funções comissionadas nas universidades estaduais. Aí a população paranaense vai entender porque cada aluno paranaense custa mais de 20 mil por ano…

  6. Geraldo Martins Responder

    Essa raça petista acabaram com o Brasil e quer acabar com o Paraná também… por fim aceitaram aquilo que o Richa deu e se fuderam que adiantou?

  7. Parabéns Azevedo. Quando se ganha salário tem q ter a contra partida que é ” O TRABALHO”.

  8. Matéria encomendada, não foi só os professores prejudicados, alterações me poupe meter a mão no dinheiro dos funcionários para pagar pela incompetência desse desgoverno que não cumpre a lei,duvido também que ira cumprir a promessa de pagar em janeiro 16,pois que prometeu até assinou compromisso em cartório que iria cumprir o mandato pra prefeito de Curitiba E o xoque de gestam, onde foi parar. Cadê o dinheiro dos impostos e da previdência dos funcionários.

  9. Tinha que ser descontado os dias parados dos profissionais que serviram de capachos ao sindicato petista. Não é justo para aqueles que permaneceram nas salas de aula. Esses merecem todo respeito.

  10. Fernanda Olveira Responder

    Todos os professores e funcionários públicos deveria ser punidos mesmo. Todos temos visto como o Estado investe alto em infraestrutura, educação, saúde, transporte e segurança. Investe alto na formação profissional de seus servidores, em material para as escolas, hospitais e regionais de saúde. Temos visto todos os dias como o funcionalismo público é respeitado (apesar de ninguém trabalhar) quem carrega nas costas a responsabilidade são os comissionados que além de ganhar pouco não possuem vínculo… Nosso Excelentíssimo Governador deveria ser mesmo mais enérgico, mas o que fazer ele tem o coração mole, é um menino de bem… Que sempre atende às expectativas de seus eleitores, paga em dia todos os fornecedores, trabalha muito, é extremamente responsável e sempre cumpre com suas promessas de campanha. É que na verdade :”O melhor ainda está por vir!”

  11. Fernanda você já viu o Senhor Governador Beto Richa divulgar número de comissionados no Estado e seus respectivos vencimentos, bem como o ponto eletrônico dos mesmos, assim como fez com os professores?

  12. Arruaceiros badeneiros preguiçosos e incompetentes

    Agora vem de novo a Lava jato

  13. Novamente a razão vence. Uma greve sem fundamento , orquestrada por políticos conhecidos, para tirar o foco dos escândalos do governo federal.E os únicos prejudicados foram os alunos do sistema público de ensino. Resta ao governo erguer a cabeça e dar continuidade ao trabalho que vem sendo montado e concluir o governo com extrema excelência.abs

  14. Fernanda Olveira Responder

    Russo, é claro que NÃO, coitadinhos dos comissionados, eles são o povo bonzinho, que além de trabalhar mais, sofrem com perseguição dos concursados e ainda tem que puxar a sardinha pro lado dos seus contatantes (políticos) mesmo que não gostem deles…

  15. Mírian Waleska Responder

    russo, e você já viu o número de ministérios da quadrilheira no governo federal? Prá bater contra Dilma/PT cadê o macho???

  16. Mírian Waleska Responder

    Fernanda Olveira, sabe o que é o pior disso tudo que você disse? É que é verdade, o governador na realidade é tudo isso que você mencionou lá em cima, e vocês sabem disso, vocês só não admitem porque estão a serviço da APP do Lula, vocês nunca se importaram em honrar os seus diplomas, pelo contrário, vocês mancharam seus diplomas para todo o sempre no dia em que resolveram, como professores, se deixar usar por esta quadrilha mal intencionada que é o PT. Aqui na minha cidade está se iniciando um movimento entre os pais, eles não querem estes grevistas irresponsáveis dando aulas para seus filhos, não sei dizer o que o NRE vai fazer, mas já corre na cidade um abaixo assinado pedindo que referidos nomes saiam das salas de aulas, principalmente a loca do vídeo que, comprovadamente precisa de internamento sem sanatório ou afastamento do convívio com humanos.

  17. Juscelino Kubtichek Responder

    A política partidária do Brasil é amoral,independente de partidos,tudo em proveito próprio e pessoal!Por isso não so,os um grande potência mundial,pois essa classe política,com raras exceções e perniciosa à Nação!

  18. Meu Deus! Quando a pessoa tem seu favoritismo politico se nega a enxergar a verdade ou ser pelo menos imparcial… Isso me dá nojo… Vc concorda com o que aconteceu no 29/04? Se concorda, esquece! Sou leitor do blog errado. E mais, vc acha que os mais de 100.000 educadores em greve carregavam partidarismo em sua luta? NÂO! Só não concordamos em estarmos pagando a conta pela má administração do Estado que gasta mais do que arrecada!

  19. Aumento no IPVA, ICMS, Taxas do DETRAN, Luz, Agua… Se vc acha que o professor fez errado, faça sua parte e reverta essa situação… ou vc vê seu dinheiro indo pro ralo e ta dando risada?

  20. DIREITA VOLVER Responder

    Chega dessa história de salário para funcionário publico repondo a inflação . Chega dessa história de que dinheiro de previdência ser dos funcionários. Chega de demagogia. Uma guinada a direita e uma freiada de arrumação acerta as coisas . É hora de por o trem no trilho. Em frente Paraná e Beto Richa

  21. Fernanda Oliveira Responder

    Cara Mírian Waleska… Graças a Deus não sou professora, nem PT (Deus me livre) nem partido político nenhum. Até hoje nenhum desses políticos ou suas siglas infames pagaram minhas contas, nem deram alimento aos meus filhos. Só acho que todos os profissionais deveriam ser respeitados menos você porque é uma patricinha mimada criada com a vovó igual a esse governo que você tanto defende. Pelo jeito você também tem um carguinho comissionado né?

  22. Fernanda Oliveira Responder

    Quer saber, pega uns carrinhos e vai lá no gabinete do Excelentíssimo brincar…

  23. SÉRGIO FERNANDES STACHESKI Responder

    ERRATA:
    Ao ler “a quebra de braços” – LEIAM:

    “A QUEDA DE BRAÇOS FOI VENCIDA PELO GOVERNO!”

  24. PORQUE ABSURDA??????é dever do gestor cumprir a lei,haja visto que todos os gestores paranaenses pagaram os indice 8,l7 por cento,LEIA-SE FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS ESTADUAIS DO PODER JUDICIARIO,PODER LEGISLATIVO. E O SALARIO REGIONAL TAMBEM TEVE O MESMO REAJUSTE E ALEM DO MAIS DE ACORDO COM A LEI DE RESPONSSABILIDADE FISCAL O PARANA PODE E PODERIA TER CONCEDIDO O QUE É DE DIREIRO A TODOS FUNCIONÁRIOS DO ESTADO,PERGUNTO SÓ OS DO PODER ADMINISTRATIVO NAO PUDERAM RECEBEREM O QUE É DE DIREITO.?

  25. Joao Pedro Silotti Responder

    Tá na hora de alguém criar coragem e mandar os maus professores pra rua. Com o que sobra da pra colocar todas as crianças em escola particular pagando a mensalidade que no fim das contas será muito mais barato e produtivo para toda a população. O funcionalismo público brasileiro é uma vergonha e um desrespeito com os trabalhadores comuns.

  26. Reinaldo Azevedo não passa de um vendido à direita(PSDB) e pra ele tudo que eles fazem é correto, mesmo que a Lei diga o contrário, e evidentemente tudo que há de errado no mundo é culpa do PT. É muita calhordice prá uma pessoa só, e pior que tem quem leve “isso” a sério como se jornalista fosse.

Comente