Uncategorized

Reajuste de servidores volta à pauta da Alep

romanelli1

A Assembleia Legislativa retoma hoje (segunda-feira, 22) a votação do projeto de reajuste salarial do funcionalismo público, emperrada desde o início do mês por falta de consenso entre os deputados. A proposta chegou a ser aprovada em primeiro turno dois dias depois, mas acabou tendo a votação suspensa na semana passada, depois que a bancada de Oposição propôs emenda prevendo o pagamento imediato da reposição das perdas inflacionárias de, 8,17% para os servidores. As informações são do Bem Paraná.

O projeto do governo prevê reajuste de 3,45% a ser pago em outubro – relativo à inflação de maio a dezembro de 2014. Outros 8,5% referentes à estimativa de inflação para 2015 seriam pagos em janeiro de 2016. E em janeiro de 2017, além da reposição da inflação de 2016 medida pelo IPCA, eles teriam outros 1% de aumento – para recompor as perdas pelo parcelamento dos reajustes anteriores.

O governo alega que não tem como pagar a reposição da inflação de 8,17% imediatamente, como querem os servidores, em razão das dificuldades financeiras do Estado. A Oposição contesta, e diante da rejeição da emenda na CCJ, entrou na sexta-feira com um recurso. Caso o mesmo seja rejeitado pela CCJ, o bloco oposicionista ainda pode recorrer ao plenário. Nesse caso, seriam precisos os votos da maioria simples, ou 28 dos 54 deputados, para que a emenda viesse à plenário.

2 Comentários

  1. Gozado esse jogo de cena! Já existe uma lei que é aplicada desde 2006, indicando o IPCA de maio a abril do ano seguinte, reajuste este pago religiosamente até 2014. Em 2015 tenta-se a invenção da roda e o nosso “Mauro Levy” fica garganteando “recuperação fiscal” no ano (claro, não pagou o que é devido do reajuste). Assim até eu, Bartolomeu!

Comente