Uncategorized

Foragido da Lava Jato diz que há centenas na Suíça como ele

Apontado na operação Lava Jato como a pessoa que fazia pagamentos e operava as contas dos ex-diretores da Petrobras e da Odebrecht, Bernardo Freiburghaus aposta em sua permanência na Suíça, local onde mora pelo fato de ter nacionalidade do país europeu, para evitar – ou retardar – sua prisão e extradição. “Como eu, existem centenas aqui na Suíça. Se forem me prender, vão ter de prender muita gente aqui na Suíça”, disse o operador suíço-brasileiro ao jornal “O Estado de S. Paulo“.

Considerado foragido pelas autoridades brasileiras, ele está na lista vermelha da Interpol. Se sair da Suíça, Bernardo Freiburghaus será detido e extraditado para o Brasil. Para cumprir um mandado de captura da polícia internacional, os suíços teriam de abrir um processo local – o que até hoje não foi realizado.

1 Comentário

  1. -Este escapou e planejou sua fuga com muito cuidado….a Justiça Brasileira não conseguirá prendê-lo, muito menos a Interpol.

Comente