Uncategorized

Impeachment de Dilma volta à baila

Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo:

A prisão do empreiteiro Marcelo Odebrecht e as más notícias na área econômica deram impulso às conversas sobre um eventual impeachment da presidente Dilma Rousseff, ou de alternativas que no mínimo diminuam seu poder. Antes restritas à oposição, e adormecidas nos dois últimos meses, elas agora correm soltas entre parlamentares, ministros e lideranças do PMDB.

Você amanhã
A prisão de Odebrecht, financiador de campanhas de praticamente todos os partidos e amigo pessoal de diversos políticos, seria um sinal de que Dilma perdeu de vez o que peemedebistas chamam de “controle” da situação: se o empreiteiro foi preso, com argumentos considerados “frágeis”, qualquer um no país pode ser detido também, e a qualquer momento. Boa parte dos líderes do partido está sob investigação.

Alta costura
A casa de Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, virou um dos centros de reunião dos que passaram a defender, depois da prisão de Odebrecht, uma “saída” para a situação, que definem como “grave”. As ideias discutidas, no entanto, são consideradas complexas e de difícil viabilização.

Ranking
O impeachment, por exemplo, não agrada ao presidente do Senado. Ele está em rota de colisão com o vice-presidente Michel Temer, que substituiria Dilma. Outra alternativa ventilada seria a implantação do parlamentarismo no país, sem que Dilma perdesse o mandato, mas, sim, o poder. E uma terceira, a saída da presidente e do vice, com a convocação de eleições, é considerada a mais traumática de todas.

3 Comentários

  1. Sergio Silvestre Responder

    O impeachment da Dilma é a mesma mentira do HC preventivo do Lula.
    Petistas não são cagões não,se precisar ir para a cadeia não vão se borrar,já certos pedófilos tem que tomar cuidado que os presos comem.

  2. O Sérgio já está aceitando a prisão dos seus comparsas como coisa normal. Para ele agora é na base do ” sim roubei, vou preso, pois sou do PT, com muito orgulho”.É como diz Fernando Francischini: bandido bom é bandido morto e petista bom é petista preso.

  3. antonio carlos Responder

    Para que se salvem todos vamos sacrificar a mais fraca, no momento é a camarada presidanta. O Brahma da Silva vai tirar o dele da reta e por o da camarada presidanta que, segundo o Número 1, ela não vem fazendo nada para impedir que ele venha à Curitiba a convite do juiz Sérgio Moro. E é bem possível que a camarada presidanta pague com o cargo a salvação do Brahma da Silva.

Comente