Uncategorized

Richa libera R$ 26 mi
para ampliação do aeroporto de Londrina

unnamed2

O Paraná reforçou o apoio para a ampliação do aeroporto José Richa em Londrina. O Estado vai financiar R$ 26,2 milhões para o pagamento da desapropriação de imóveis ao redor da face norte da pista do aeroporto. O contrato foi assinado nesta segunda-feira, 29, pelo governador Beto Richa (PSDB), o prefeito Alexandre Kirreff (PSD) e o o presidente da Fomento Paraná, Juraci Barbosa Sobrinho.

“O aeroporto regional de Londrina é muito limitado pelas condições de segurança, em especial o clima, e pela capacidade de transporte de cargas e de passageiros. Há muitos anos isso tem sido um fator limitador para o desenvolvimento da economia da região”, disse Beto Richa. “Agora estamos dando um novo passo, em parceria com a prefeitura de Londrina e a Infraero, para melhorar a infraestrutura do aeroporto regional e dar mais segurança aos passageiros.”

Entre 2012 e 2013, o Estado repassou, a fundo perdido, R$ 15,9 milhões para a desapropriação de 51 imóveis, localizados na face sul da pista, permitindo as obras de ampliação da pista e do terminal de passageiros.

O aeroporto regional de Londrina foi construído na década de 1950 e atende cerca de 100 municípios do Norte do Paraná e do Sul de São Paulo, numa área que soma mais de dois milhões de habitantes em um raio de 100 quilômetros — 40% da movimentação é originada na própria cidade. Entre 2009 e 2014, o número de passageiros que transitaram pelo aeroporto praticamente dobrou, passando de 575.589 para 1.146.137.

Além do aeroporto de Londrina, outros aeroportos regionais paranaenses gerenciados pela Infraero já receberam recursos do Governo do Paraná para ampliação, como é o caso dos terminais de Curitiba, Foz do Iguaçu e de Cascavel. Em quatro anos, o governo Beto Richa investiu mais de 25 milhões em melhorias nos aeroportos regionais.

4 Comentários

  1. Sergio Silvestre Responder

    Esses imoveis faz tempo que foram demolidos e nada de dinheiro,
    Eu preferia que esse aeroporto se chamasse REX,em louvor a um pastor alemão que batalhou muito na policia daqui de Londrina,mas.

  2. paraná que resiste! Responder

    obrigado governador, por continuar a investir em obras necessárias, agora quem acha ruim isso, é pq quer ver o estado na lama p poder chegar ao poder qnt antes! força Paraná! continue a investir em obras para o bem da população em geral, e não uma minoria que só quer ver o estado de mal a pior!

  3. Parana que resiste saiba disto pois quem paga somos nos
    veja com;Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) anunciou que pediu uma “revisão extraordinária” das tarifas de água e esgoto ao Instituto das Águas do Paraná (Ipaguas), que regula o serviço no estado.

    O percentual solicitado não foi divulgado, mas este será o terceiro aumento na conta de água e esgoto paga pelos paranaenses neste ano. Os reajustes anteriores foram em maio (6,5%) e junho (6%) e o novo reajuste deve ser aplicado em setembro.

    A justificativa do governo é de que o aumento da tarifa de luz pela Copel [de 51% só neste mês] pressiona a tarifa de água, mas o próprio secretário da Fazenda do governador Beto Richa (PSDB), Mauro Ricardo, já revelou em entrevista concedida em maio, ao Jornal Valor Econômico, que “a ordem é que as estatais (Copel e Sanepar) cortem despesas e gerem o maior dividendo possível para os acionistas”.

    A estratégia é gerar lucro para “os amigos do rei” e também caixa para o governo do estado, que ainda é o principal acionista das companhias paranaenses.

    Além da água e da energia, o governador Beto Richa também avançou no bolso dos paranaenses aumentado o IPVA em 40%, além ICMS de centenas de produtos, muitos deles da cesta básica.

    Depois de quebrar o estado em seu primeiro mandato, Richa está “tirando o couro” dos trabalhadores sem dó para viabilizar seus planos, pois, segundo o tucano, “o melhor está por vir”.

Comente