Uncategorized

Em Brasília, Mirian pede investigação sobre venda do HSBC

unnamed

Durante audiência com o presidente do CADE – Conselho Administrativo de Defesa Econômica – Vinicius Marques de Carvalho, realizada, hoje, 30, a vice-prefeita de Curitiba e Secretária do Trabalho e Emprego, Mirian Gonçalves, acompanhada da bancada federal de deputados do Paraná e de dirigentes sindicais, recebeu a confirmação de que o conselho vai investigar a venda do banco HSBC no país. Mirian expôs ao presidente do órgão os impactos socioeconômicos para Curitiba decorrentes do processo de venda da instituição financeira e entregou uma carta do município, listando os principais prejuízos à população, às finanças de Curitiba e ao governo federal.

A sede do HSBC situa-se na capital paranaense e funciona em cinco centros administrativos do Xaxim, Kennedy, João Bettega, Hauer e Palácio Avenida. Ao todo, sete mil pessoas ocupam postos diretos de trabalho nas agências bancárias e nos centros administrativos.

Há a ameaça de demissão desses trabalhadores e ainda a estimativa de que um posto direto de trabalho implica três indiretos. Outra consequência se refere aos prejuízos ao comércio e serviços que se estabeleceram no entorno das instalações dos cinco centros administrativos do banco, onde circulam ao todo 5600 funcionários.

Outra grande preocupação se refere à queda na arrecadação de mais de R$ 80 milhões para o município, o que significa 1% do total do orçamento de Curitiba, caso o banco retire a sua sede administrativa da capital. Além disso, o governo federal também terá prejuízos com o seguro-desemprego. Somente em Curitiba, considerando o pagamento de quatro parcelas do benefício aos sete mil trabalhadores, os gastos estimados superam a R$ 38 milhões. Já em todo o país, os custos devem ser superiores a R$ 122 milhões, referentes ao pagamento de quatro parcelas do seguro-desemprego a cerca de 22 mil trabalhadores do banco HSBC.

Próxima agenda
Amanhã (01), às 09h30, está agendada reunião com o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, para tratar do processo de venda do banco HSBC. A vice-prefeita e Secretária do Trabalho e Emprego, Mirian Gonçalves, entregará a ele a carta de Curitiba com a lista dos principais impactos socioeconômicos.

5 Comentários

  1. Engraçado, a esquerda caviar vive de insultar os banqueiros e amaldiçoar os bancos.
    Agora vem de mi-mi-mi.

  2. Quem são vocês petistas corruptos para pedirem investigação sobre alguma coisa??? Fala sério….vocês são os protagonistas dos escândalos que assolam o país….brincadeira tem hora!

  3. O Estado do Paraná pelo Governador BR, sim, poderia levantar esta bandeira, foi o maior perdedor, desde a entrega de mão beijada do Bamerindus pelo então FHC + Malan e BC, banco este também de sua esposa Dna Rezadeira Fernanda. Poderia sim fazer uma pequena amostra da contribuição a época do Bamerindus com nosso Estado e depois com HSBC e nosso estado, seria por demais interessante essa comparação, certamente considerando os dados a sua época.

  4. antonio carlos Responder

    Ridícula a pretensão desta mulher, só faltava isto, impedir que o dono venda o seu negócio. Será que ela vai brigar com os seus sócios naquela universidade da qual ela também é dona, se eles quiserem vendê-la? Vai? Só podia ser coisa de pestista caviar. O que me espanta é esta preocupação com os funcionários destes ingleses de Hong Kong. E os metalúrgicos demitidos, as centenas de vigilantes e pessoal de limpeza até agora não vi ninguém se preocupar com eles? Estes podem ficar na pior? Perguntem no sindicato dos comerciários quantos foram mandados embora? Estes podem ficar na pior mas os empregados dos chineses não podem?

  5. Renato Britto Barros Responder

    Deveria a Vice prefeita aproveitar a sua estadia (por nossa conta é claro) em Brasilia e fazer uma consulta ao CADE se:
    Como pode a GAZETONA ser dona absoluta dos jornais de Curitiba e do Paraná ?
    GAZETONA, Tribuna do Paraná e Estado do Paraná. ela é absoluta e isso é IMORAL E ILEGAL .
    Faz essa consulta dona Vice Prefeita faz?

Comente