Uncategorized

Youssef depõe sobre caso Copel/Olvepar

youssef 22

O caso teria desviado mais de R$ 84 milhões de dinheiro público estadual em 2002.

da Gazeta do Povo:

O doleiro Alberto Youssef, um dos principais delatores da Operação Lava Jato, está prestando depoimentos, em regime de delação premiada, ao Ministério Público do Paraná (MP-PR) sobre o caso Copel/Olvepar – que teria desviado mais de R$ 84 milhões de dinheiro público estadual em 2002.

A informação foi confirmada pelo advogado do doleiro, Antonio Figueiredo Basto, que ressaltou que a colaboração faz parte do primeiro acordo de delação assinado por Youssef, ainda em 2004. Segundo Basto, a demora de julgamento do caso pela Justiça estadual fez com que os depoimentos tenham que ser tomados agora.

“Estamos fazendo de tudo para colaborar, inclusive tivemos que fazer um trabalho de recuperação de documentos, porque muitos deles foram extraviados. É inexplicável essa demora para o julgamento do caso”, declarou.

Leia aqui a reportagem completa sobre o caso.

4 Comentários

  1. credito tributário é devio, o Estado que nao tem honrado com os creditos de exportações das empresas.

    tem grandes empresas na justiça e com resultados favoráveis.

  2. Joao sem teto Reply

    Já existe uma sentença declarando que a operação foi correta e que a Copel saiu lucrando com o desagio, assim, todos os envolvidos já foram declarados inocentes no caso.

    Olha o que o Celso Nascimento publicou no dia 14/06/2015 na Gazeta do Povo:

    “Reintegra 1
    A diretoria da Copel se reúne nesta terça-feira (16) e pode tomar polêmica decisão sobre um dos itens da pauta: a reintegração do ex-empregado Antonio Cezar Bordin aos quadros da estatal, demitido por justa causa em 2003, acusado de facilitar a compra fraudulenta de créditos tributários da massa falida da Olvepar. O negócio deu prejuízo de R$ 39 milhões à companhia. Já muito atuante no ramo, o doleiro Alberto Youssef estava metido no negócio.”

    E, olha o que o Celso Nascimento publicou no dia 18/06/2015

    “Reintegra
    A diretoria da Copel se reúne hoje para decidir sobre a reintegração do ex-funcionário Cesar Bordin, demitido em 2003 sob acusação de ter participação numa operação que teria dado prejuízo de R$ 39 milhões à estatal. Após recorrer a várias instâncias judiciais, Bordin, foi inocentado de todas as acusações, obteve ganho de causa em maio passado. Diante do resultado, a Copel lhe propôs acordo que permite a Bordin voltar aos quadros da empresa e em seguida aposentar-se, embora com valores indenizatórios menores do que os calculados inicialmente.”

    PORTANTO, CASO ENCERRADO!

Comente