Uncategorized

Centrais sindicais condenam ajuste fiscal Dilma/Levy

O mar de Dilma Rousseff não está para peixe. Agora ela tem a oposição de antigos aliados, como os líderes do PMDB, Eduardo Cunha e Renan Calheiros, de partidos e facções de esquerda, como o PSTU, e para culminar, das centrais sindicais que a ajudaram a se eleger, Ou seja, a base de sustentação da presidente foi para o espaço. Leia a nota conjunta das centrais para avaliar o desastre.

NOTA CONJUNTA DA CUT, FORÇA, UGT, CTB, NCST e CSB

“As centrais sindicais brasileiras – CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central e CSB – vêm a público manifestar posição contrária à política econômica do governo, caracterizada pela elevação da taxa básica de juros e o aperto fiscal.

A taxa Selic atual já atinge 13,75% ao ano, que significa, confirmada a previsão de inflação dos próximos 12 meses, segundo o Banco Central de 6,10%, uma taxa básica de juros reais de alarmantes 7,2% ao ano. Enquanto isso, a taxa de juros nos EUA e no Japão é negativa e, na Europa, levemente positiva.

Essa política derruba a atividade econômica, deteriora o mercado de trabalho e a renda, aumenta o desemprego e diminui a capacidade de consumo das famílias e, mais, reduz a confiança e os investimentos dos empresários, o que compromete a capacidade de crescimento econômico futuro.

A indústria encontra-se, em termos de produção física, abaixo da média do ano de 2008. O comércio apresenta uma inflexão negativa consolidada após anos de crescimento. Os serviços já se encontram em trajetória de desaceleração e os investimentos, não só permanecem em trajetória de queda, como a piora sobre a percepção futura limita qualquer expectativa de recuperação no curto prazo. Nesse contexto adverso somente os bancos estão ganhando. Depois de acumularem lucros muito maiores em 2014 (o do Itaú foi 30% maior e o do Bradesco, 25%) a despeito da estagnação econômica geral, os balanços do primeiro trimestre de 2015 atestaram novos aumentos dos respectivos lucros.

Para as centrais sindicais abaixo assinadas, o aumento da taxa de juros tem sido ineficaz no combate a inflação, encarece o crédito para consumo e para investimentos, causa mais desemprego, queda de renda, piora o cenário de recessão da economia e ainda contribui para diminuir a arrecadação do governo. E mais, concentra cada vez mais renda nas mãos de banqueiros e especuladores financeiros.

Nós, representantes das principais centrais sindicais brasileiras, defendemos a imediata redução da taxa de juros e a implementação de uma política que priorize a retomada do investimento, o crescimento da economia, a geração de emprego, a redução da desigualdade social, o combate à pobreza e a distribuição de renda.”

São Paulo, 27 de julho de 2015.

CUT – Central Única dos Trabalhadores
FS – Força Sindical
UGT – União Geral dos/as Trabalhadores/as
CTB – Central dos/as Trabalhadores/as Brasileiros
NCST – Nova Central Sindical dos/as Trabalhadores/as
CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros”

6 Comentários

  1. MANOEL BOCUDO. Responder

    ESSES PELEGOS TEM QUE ESCOLHER UM LADO, DAS TETAS DO GOVERNO OU DOS TRABALHADORES. NÃO ESTARÃO NO DESFILE A FAVOR DA DILMA, COM BUMBO E TROMPETES, PARA ANUNCIAR ESTE GRANDE GOVERNO QUE TEMOS. OS ASSALARIADOS VÃO COMEMORAR MUITO O SUCESSO
    DOS AJUSTES FISCAIS QUE FERROU O PAI DE FAMÍLIA.

  2. O ajuste fiscal da Dilma/Levy é para pagar o hotel luxuoso de Nova York no qual a madame ficou hospedada.Mais de 600 milhões em gasto de cartão corporativo.Depois vem o Levy aumentar imposto para os trabalhadores pagarem…
    40 % de carga tributária sem termos saúde,educação,nem segurança.

  3. Aqui no Brasil não se pode baixar salario, alterar regras trabalhistas e é impossível evoluir com uma redução de impostos, pois o governo gasta muito e gasta mal.

    O que diz o mercado: tudo bem! nós fingimos que essas “conquistas constitucionais e políticas” são reais e contra atacamos com a inflação.

    Aumentando os preços, o bolsa família diminui, o salário diminui, as despesas com pessoal do governo diminuem …. É o recado da iniciativa privada, que infelizmente é bem visto pelo governo, pois pode aumentar a arrecadação e resolver problemas se deixar escancarado que o culpado foi o governo. Falarão que o culpado foi o mercado….

    Num país que pouco se entende de economia e política, o povo merece ser enganado. Que venha a inflação! Somos um dos poucos países que ainda trabalhamos com essa metodologia. Cortar gastos, ministérios, comissionados, incentivar emprego, reduzir impostos… Isso não ! É coisa do pessoal da direita! Vamos nos enganar e manter tudo como está, só que com a inflação e o desemprego que vem do falso vilão: o mercado!

  4. Do Interior.... Responder

    O ajuste fiscal do PSDB proposto pela dilma seria para endireitar o Brasil, se não fosse o partido corrupto que é o PT.

    Agora, LuLLa mandou queimar DiLLma para reelegê-lo em 2018.
    LuLLarápio só não ganha se morrer ou se for preso.

    O povo é burro porque só pensa no bolsa esmola.

  5. CUT? A CUT é uma central sindical chapa branca, e as demais, bom as demais, ora estão de uma lado ora estão de outro. É bom lembrar que durante a eleição de 2014 a dona Dilma recebeu apoio de quase todas centrais sindicais,inclusive teve uma central que apoiou a Dilma pra presidente que é do PT e no Paraná apoiou o Beto Richa, do PSDB, para governador. Samba do crioulo doido. Central Sindical não foi feita para apoiar governo algum, o papel dela é defender os interesses e direitos dos trabalhadores.

Comente