Uncategorized

Energia elétrica deve subir 50,9% neste ano, estima Banco Central

De Alexandro Martello, do G1, em Brasília:

Preparem os bolsos. O preço da energia elétrica deve registrar um forte crescimento de 50,9% neste ano, segundo estimativa divulgada pelo Banco Central nesta quinta-feira (6). A previsão consta da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) – realizada na semana passada, que elevou a taxa básica de juros para 14,25% ao ano, o maior nível em nove anos.

Em junho deste ano, a previsão do Banco Central era de uma alta um pouco menor no preço da energia elétrica para o ano de 2015 fechado. Na ocasião, o BC estimava um aumento de 41%. A estimativa de alta no preço da energia elétrica em 2015 reflete do repasse às tarifas do custo de operações de financiamento, contratadas em 2014, da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

O governo anunciou, no início deste ano, que não pretende mais fazer repasses à CDE – um fundo do setor por meio do qual são realizadas ações públicas – em 2015, antes estimados em R$ 9 bilhões. Com a decisão do governo, as contas de luz dos brasileiros podem sofrer em 2015, ao todo, aumentos ainda superiores aos registrados no ano passado.

O custo de produção de eletricidade no país vem aumentando principalmente desde do final de 2012, com a queda acentuada no armazenamento de água nos reservatórios das principais hidrelétricas do país.

Para poupar água dessas represas, o país vem desde aquela época usando mais termelétricas, que funcionam por meio da queima de combustíveis e, por isso, geram energia mais cara. Isso encarece as contas de luz. Entretanto, também contribui para o aumento de custos no setor elétrico o plano anunciado pelo governo ao final de 2012 e que levou à redução das contas de luz em 20%.

Para chegar a esse resultado, o governo antecipou a renovação das concessões de geradoras (usinas hidrelétricas) e transmissoras de energia que, por conta disso, precisaram receber indenização por investimentos feitos e que não haviam sido totalmente pagos até então. Essas indenizações ainda estão sendo pagas, justamente via CDE.

Gasolina, gás de cozinha e telefonia

Para a gasolina, o Banco Central estimou um aumento de 9,2% em 2015 – patamar um pouco superior ao apontado em junho deste ano, na reunião anterior do Copom. Na época, o BC projetava uma alta de 9,1% para a gasolina em todo este ano.

No começo deste ano, o governo anunciou aumento da tributação sobre a gasolina, por meio da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), do PIS e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins). Essa alta foi repassada para os preços.

O Banco Central estimou ainda, na ata do Copom divulgada na manhã desta quinta-feira, que o preço do gás de cozinha deve ter um aumento de 4,6% neste ano (contra a previsão anterior, feita em junho, de um aumento de 3%), enquanto que a telefonia fixa deve ter queda de 3% em 2015 (em junho, o BC estimava uma queda maior, de 4,4%).

Com a alta da tributação sobre gasolina e fim de repasses para a conta de luz, o Banco Central informou que prevê, para o conjunto de preços administrados (como telefonia, água, energia, combustíveis e tarifas de ônibus, entre outros), um aumento de 14,8% neste ano. Em junho, a estimativa era de uma alta de 12,7% em 2015.

6 Comentários

  1. Mais um regalo de esgoto gerado pela indi-gestão da guerrilheirA do kPTª que à sociedade brasileira terá que pagar.

  2. É NISSO QUE SE TRANSFORMOU OS 18% DE DESCONTO QUE ESSA VADIA DEU EM 2014 PRA ENGANAR IDIOTAS E LEVAR ELA DE VOLTA AO TRONO.

  3. Este governo é mesmo um enganador, um escamoteador de informações. Quando instituíram as tais bandeiras, que o nome deveria ser “bandalheiras”, diziam que a vermelha indicaria a necessidade de reajuste na conta da energia elétrica, sendo um dos motivos a seca. Para contrabalançara a tal seca, se utilizava de termo elétricas, onde se polui mais o meio ambiente e o bolso do consumidor, pois o custo da geração das termo é alto.
    Muito bem, ontem a notícia é de que vão fechar ou desligar várias termos porque não há necessidade delas estarem operando, uma vez que a geração pelas hidroelétricas já teria se estabilizado.
    Assim se espera que o valor da conta baixe. Qual não foi a surpresa quando perguntado isso ao ministro de Minas e Energia, um daqueles Braga lá do Acre, o mesmo disse…. “Bem é um caso a ser estudado…”
    Cara de pau, , é claro que não vai baixar a conta, é a mesma coisa já vista, aquele famoso caso do… “pedágio , ou abaixa ou acaba….”.
    O Governo já incorporou esses valores cobrados pela energia no seu orçamento, quer nas diretas, como nas indiretas, por meio da tarifa ou dos impostos resultantes desse valores.
    Então é mais uma das “mutretagem” que cai no colo da população que paga todas as contas.

  4. Está na hora da sociedade inteira perguntar para a Dilma e curriola onde
    foi parar as promessas pré eleitorais. A subida estratosférica da tarifa de luz
    é apenas a ponta do iceberg. O pepino é bem maior ainda. Junto com o
    aumento da tarifa da luz chegou tambem o combustível e o efeito cascata
    dos demais. Pergunte para a Dilma de onde ela tirou todos estes TARIFAÇOS !?

Comente