Uncategorized

Governo pede penhora
da Arena da Baixada e
do CAT do Atlético-Pr

do Bem Paraná:

O Fundo de Desenvolvimento Econômico do Estado do Paraná (FDE), representado por sua gestora Fomento do Paraná, moveu ação de execução contra a CAP S/A, sociedade de propósito específico criada pelo Atlético para a construção da nova Arena da Baixada. Na ação, o FDE exige do clube pagamento da dívida de R$ 226 milhões em três dias. O motivo é o atraso no pagamento dos financiamentos do estádio.

A ação está na 4ª Vara da Fazenda Pública e está acessível para consulta.

Segundo o processo, a CAP S/A pagou apenas três parcelas do primeiro financiamento (feito em 2012) e duas parcelas do segundo financiamento.

Na ação, caso o clube não pague a dívida, o FDE pede a penhora do CAT do Caju, da Arena da Baixada, dos títulos de potencial construtivo e receitas de faturamento do estádio.

O CAP S/A ainda terá direito a ampla defesa no caso e é pouco provável que uma decisão judicial ocorra nas próximas semanas. Tudo indica que a situação só será definida daqui a meses.

9 Comentários

  1. Etá presidente caloteiro. Um clube do tamanho do atlético não merece passar por esta vergonha.O que mais intriga é que a Caixa Economica Federal, coloque sua marca na camisa de um clube com tantas dívidas. E não é só o Furacão, muitos times tidos como grandes estão até o pescoço de dívidas mas ainda assim recebem patrocínio federal. Eta governinho sem vergonha este.

  2. Toma bando de canalhas, dinheiro público não é para financiar estádio ou time de futebol, sim para aplicar em segurança, saúde, educação e afins que atenda a necessidade da população. Por isso que o País está quebrado por desmando dos maus agentes PÚBLICOS.

  3. É os tempos são outros. Alguns áulicos do Petralha diziam, durante a tomada dos empréstimos que não precisaria pagá-los. Vamos ver o que eles dizem agora…O dinheiro é do contribuinte e deverá ser devolvido até o último centavo.

  4. Eu sabia!

    Só estava esperando o dia que isso seria manchete, agora uma longa discussão jurídica que vai aumentar os custos da dívida (que eram uma vergonha) até o dia que sair uma ordem de penhor das receitas reais do CAP, mensalidade dos sócios, cotas de tv e patrocínios, aí quero ver pagar os custos de manutenção da arena e salários dos jogadores.
    Séria candidata a se tornar o mais novo elefante branco da copa.
    O MCP acha que ainda vivemos no tempo que o Anibal Khoury assinava decretos dando dinheiro pro clube, agora quem tem caneta e tem c…. tem medo, Sergio Moro, mora ao lado!

  5. Coxasegundonaeusabia Responder

    Eita coxarada invejosa, o time já está na segundona e vem palpitar o que não sabem. Só para esclarecer, a situação é dividia em três e até onde se tem notícia falta o Governo e o Município cumprirem com a parte deles, alias o contrato deixa claro que é sobre o montante da divida e não sobre os 184 milhões, e como a divida é de 334 milhões aproximadamente divido está conta por três fica em aproximadamente R$ 111 milhões. Dai que este valor não tem nada a haver, será engavetado e ainda terão que pagar a parte deles no negócio. Porque se não leram o contrato e problemas deles e não do CAP. E se o Beto Coxa quebrou o estado também não problema do CAP.

  6. Esses são os fatos.

    Agora dou minha opinião. A proposta de execução fará bem ao Estado do Paraná, como a ação pela desapropriação fez bem ao Munícipio, que estão pressionados pelo Tribunal de Contas. E fará melhor ao Atlético, porque era preciso que os seus parceiros (Município e o Estado), o provocassem para ele demonstrar que quer pagar, mas quer pagar o que é justo. E justo é somar tudo o que foi gasto e dividir por três, isso depois de compensar que o Atlético já pagou (e que não foi pouco), inclusive o direito à indenização por perdas e danos por ficar 4 anos sem um estádio.

    Não se trata de especular com tese. Já escrevi que todos os gastos com a construção da Baixada foram impostos pela Fifa, que os governos Municipal e Estadual aceitaram. O limite em 180 milhões foi superado com a concordância dos agentes públicos na medida em que liberaram verbas, nomearam representantes diários para fiscalizar a execução da obra e não ofereceram nenhum tipo de oposição.

  7. bando de bigaristas, vamos fazer a copa, com o dinheiro do povo e agora não paga, pela minha formação, ensinamentos dos meus pais, não me permite soltar palavrões, contra essa trupe.

  8. Joaquim Américo Responder

    Teria algum dinheiro federal,pois seria tão bom ver o Juiz Dr.Sérgio
    Moro,julgando a má utilização desse dinheiro publico ,num bem particular
    e ver as condenações!

Comente