Uncategorized

Maria Victoria assume PP de Curitiba e é lançada à prefeita

unnamed

A deputada Maria Victoria, que por dois anos e meio esteve à frente da Juventude Progressista do Paraná, assumiu nesta segunda-feira (28) a presidência do PP em Curitiba com a missão de liderar o partido para as eleições municipais do próximo ano. A nova presidente disse que aceita o desafio para a disputa à prefeitura. “A minha missão é servir e representar cada um de vocês. Precisamos renovar a política e é por isso que o partido me lança como pré-candidata a prefeita de Curitiba. Precisamos trabalhar para garantir mais segurança, saúde e atenção à primeira infância”, disse.

Maria Victoria lembrou que, aos 15 anos, fez uma missão humanitária na África, experiência que mudou a sua vida. Ela comparou a pobreza que viu naquele continente com a que encontrou nos bairros da periferia de Curitiba. “Durante a campanha para deputada estadual percorri bairros de Curitiba, como a Fazendinha, a Caximba, Tatuquara, a Vila Pantanal e a Vila Torres. A mesma pobreza que vi na África, vi aqui em Curitiba”, disse. “Curitiba precisa de alguém que tenha um olhar de carinho, de cuidado à mulher, às crianças e à família. Por isso que peço o apoio de vocês, é importante que alguém com visão de mundo, uma visão diferente tenha a possibilidade de executar mudanças no quadro que temos hoje”, completou.

A presidente do PP-Curitiba ressaltou que a capital paranaense precisa se renovar para voltar ao topo das melhores cidades do país e, com isso, ser referência de administração e modelo para o mundo. “Graças aos ideais e à visão dos meus pais pude estudar fora do país e a vontade é trazer essas novas ideias, essas inovações que vi lá fora para o dia-a-dia do município de Curitiba. Não esquecendo a questão do lixo, a integração do transporte metropolitano, e o mais importante, recolocar Curitiba como referência em urbanismo, assim como foi na época do ex-prefeito Jaime Lerner”, disse Maria Victoria citando recente premiação da revista Exame que colocou a cidade de Maringá como primeiro lugar em planejamento urbano.

Presentes
Prestigiaram a posse a vice-governadora Cida Borghetti, o deputado federal Ricardo Barros, o presidente estadual do Solidariedade, Fernando Francischini, além dos presidentes municipais do PMN, vereador Chico do Uberaba, do PSC, Borges dos Reis e do PCdoB, Elza Campos, e os presidentes da Juventude do PMDB de Curitiba, Wellington Silveira Filho e da Juventude do PSDB e assessor para Assuntos da Juventude do Governo do Paraná, Edson Lau Filho. Também estiveram presentes o prefeito de Coronel Domingos Soares, Valdir Vaz, os ex-prefeitos Pasi, de Campo Magro, Gil Lorusso de Piraquara, os vereadores Cabrini, de Araucária, Demétrio de Pinhais, Marcos Ribas de Fazenda Rio Grande, o secretário de Estado do Meio Ambiente, Ricardo Soavinski, o assessor do governador Beto Richa, Luiz Malucelli Neto, o diretor da Sanepar, Antonio Carlos Belinati Filho e o presidente da Femoclam, Nilson Pereira.

22 Comentários

  1. Acho empolgante sonhar, mas creio que não se pode ir com muita sede ao pote. A deputada Maria Victoria precisa ganhar mais experiência para depois pensar em ser prefeita de uma capital como Curitiba, experiência para que de fato governe e não apenas figure como tal.

  2. Cajucy Cajuman Responder

    Eu vou considerar como um gravíssimo erro! ** Sim, ela é muito jovem, sua primeira experiência como deputada estreante, tem muito chão pela frente e lançar candidatura tão prematuramente dá a plena demonstração de puro oportunismo, marcação de território e coisas comuns em políticos carreiristas. ** Ela, pelo meu ângulo de visão seria uma renovação política consciente, paulatina galgando os degraus da política naturalmente e não pela lei da conveniência do momento. Errou e em vez de agregar simpatias, vai perder. O tempo dirá! ** Ela tem que firmar o seu nome pela competência e não pelo oportunismo. O oportunismo é para os profissionais da política. Os mesmos de sempre e de resultados pífios.

  3. jose carlos andrade Responder

    Vejo ali, francisquini que mandou descer o porrete nos professores e no fundo aquele ex vereador que brigou lá em joinville, começou mal a moça… em péssima companhia

  4. Verde, muito verde ainda, seu Campana.
    a herdeira do hábil Ricardo Barros e de Cida Borghetti ainda tem que comer muito mingau de farinha láctea política para chegar ao nível dos pais e dos demais postulantes ao cargo de alcaide.

  5. Chico do Uberaba, aquele que dizia ser pouco o salário de vereador, vai trair o PMN ? E O NOSSA SENHORA DA LUZ DOS PINHAIS, COMO FICA ?

    e o Francischinni também pula fora da Disputa ?

    estranho…muito estranho.

  6. antonio carlos Responder

    Mas esta “bela” não era moradora da Cidade Canção? Tem muita gente querendo aparecer se metendo a prefeito de Curitiba.

  7. Sergio Silvestre Responder

    Então,a menina seria uma ótima parideira,poderia ter belos filhos e um marido trabalhador.

  8. Senhorita, você precisa saber que os eleitores de Maringá e região não votam para a Prefeitura de Curitiba.

  9. É piada né?
    Que o pai deu o partido pra ela, sim… mas, prefeita?
    Aí é subestimar o eleitor…
    um pouco até vai, mas, daí eleger essa moça…
    um pouco pois é deputada…
    cada povo tem o político que merece.

  10. trsite ver que sobrenome e diheiro são pré-requsitos para alguem virar “represetante do povo” do dia para a noite

  11. Tudo pelo poder Responder

    Piada mesmo… Deve tar sobrando dinheiro pro seu Ricardo Barros para lançar sua querida filinha de candidata a prefeitura… Trabalhando de vice-lider no governo dos corruPTos fica fácil conseguir dinheiro pra campanha, não é verdade ?
    Mas se seu objetivo é colocar sua mulher de Governadora, e sua filha de Prefeita, vai preparando bem o caixa, porque nem assim você vai conseguir!
    Poder a qualquer custo… O povo paranaense não é burro e não vai aceitar!

  12. A sede de poder desta família é qualquer coisa digna de um psicólogo.
    Qual o programa de governo que esta menina pode oferecer a Curitiba que não esteja nos planos de seus pais. As vezes eles esquecem que Curitiba não é Maringá…

  13. O PAI DELA PODIA LANÇÁ-LA CANDIDATA LÁ EM MARINGÁ QUE É A CIDADE DELE. Esse ricardo barros, ACHA QUE O ELEITOR CURITIBANO É BURRO. ( se bem que aqui tem uma fatia pequena que vota no pt, estes de fato são). A MOÇA SAIU DAS FRALDAS ONTEM.

  14. Pelo visto a filhinha de papai e mamãe está querendo brincar com um novo brinquedinho, agora a menina sonha em ser Prefeita de uma capital, já que como deputada só fez marrom e colocou a Previdência Estadual em risco de falência.

    E olhem que são seus COMPANHEIROS, Francischini que desceu a lenha nos professores e o Borghetti que ferro com o CAP na guerra campal em Joinville.

    E não esquecendo, se eu fosse morador das regiões de Curitiba que ela citou e comparou com Angola, Moçambique e outros países africanos, eu não VOTAVA NÃO.

    Aliás a mocinha deixou bem claro que foi conhecer o que é pobreza extrema, pena que não ficou em um acampamento e sim bem provavelmente em um confortável hotel. Está história de “missão humanitário” é só para otários.

    E espero que os curitibanos não sejam otários de a eleger, aí sim nós iremos precisar de ajuda humanitária em Curitiba, porque os serviços públicos com certeza estarão na lona.

  15. Uma troca aceitável, o Cabeça de Porundo do Fruet, pela Maria Victoria, a candidata é belíssima, e ser melhor que o Fruet não é nada difícil, qualquer um o é

  16. Aquele fazendo sinal de positivo não é o tio dela que se envolveu na briga de torcidas em Joinville???? Lamentável…!!!!

  17. Precisamos trabalhar para garantir mais segurança, saúde e atenção à primeira infância”, disse.
    APRENDEU DIREITINHO COM OS PAIS O QUAL PARABENISO
    PELO BELO ENSINAMENTO ,PENA QUE TODO O POLITICO
    DESDE VERADOR A PRESIDENTE TEM AS MESMAS METAS
    E SEMPRE FATA SEGURANÇA ,SAUDE E ESQUECEU DA EDUCAÇÃO.PARABENS AOS PAIS ELA APRENDEU DIREITINHO .MUITO APLICADA ALUNA.

  18. O próprio Juca e tem gente que irá votar na mocinha pelo visto. Mas como dizem os mais velho “beleza não faz a mesa” e espero que os curitibanos não passem mais um atestado de alienados. Está aí não tem o meu voto nem para Miss Brasil, quanto mais para Prefeita de Curitiba.

Comente