Uncategorized

Richa recebe
prefeito do PT

O governador Beto Richa assinou nesta segunda-feira (28), no Palácio Iguaçu, contratos para construção de 500 moradias em Apucarana, no Norte do Paraná. Participaram da solenidade: o presidente da Cohapar Abelardo Lupion, o secretário: Chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra,        prefeito de Apucarana, Carlos Alberto Preto e os deputados: Pedro Lupion e Nelson Justus.Curitiba, 28-09-15.Foto: Arnaldo Alves / ANPr.
O governador Beto Richa assinou nesta segunda-feira (28), no Palácio Iguaçu, contratos para construção de 500 moradias em Apucarana, no Norte do Paraná. Participaram da solenidade: o presidente da Cohapar Abelardo Lupion, o secretário: Chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra, prefeito de Apucarana, Carlos Alberto Preto e os deputados: Pedro Lupion e Nelson Justus.Curitiba, 28-09-15.Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

A cidade de Apucarana terá mais 500 moradias para famílias com renda mensal de até R$ 1,6 mil. O convênio para a construção das casas foi assinado pelo governador Beto Richa (PSDB), o prefeito Beto Preto (PT) e o presidente da Cohapar, Abelardo Lupion, nesta segunda-feira (28) no Palácio Iguaçu. O investimento de R$ 32,5 milhões será feito em parceria com o governo do Paraná, Banco do Brasil e prefeitura de Apucarana.

Richa ressaltou o atendimento que desde de 2011, 100 mil famílias foram atendidas pela Cohapar tanto na construção de casas populares como também na regularização fundiária e titulação de imóveis. “Fizemos uma grande parceria com as prefeituras e com o governo federal, sobretudo coma Caixa Econômica Federal”, afirmou.

“Aguardávamos há anos a formalização desse convênio para conseguirmos recursos e iniciar a obra. A construção dessas moradias irá beneficiar mais de duas mil pessoas no nosso município, que agora terão mais renda e qualidade de vida”, disse o prefeito Beto Preto.

2 Comentários

  1. Direito Humano Responder

    A MORADIA É UM DIREITO HUMANO PREVISTO NA DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS. RECONHECIDA EM TODO O MUNDO; MENOS EM UM CONJUNTO NO PILARZINHO PRÓXIMO AO PARQUE TINGUÍ.
    A maior dificuldade é a regularização, reurbanização, revitalização e o JUSTO TÍTULO DE PROPRIEDADE aos moradores que há mais de 4 décadas residem no Conjunto Residencial construído em 1962 com mão de obra dos primeiros beneficiados, em ampla área destinada a moradias populares para uma classe, sendod que mantém a habitabilidade de suas moradias com recursos próprios.
    A inércia na concessão do Título de Propriedade aos beneficiados no passado, documento importante que garante a segurança jurídica das famílias. LIVRES DE DESPEJOS FORÇADOS.
    A esperança dos moradores, será o Novo PLANO DIRETOR DE CURITIBA que será sancionado em outubro e que determina que a propriedade cumpra a Função Social prevista na C.F.
    Os moradores foram avisados que o Conjunto será regularizado e esperam apoio quando da regularização do conjunto, o Registro de Propriedade seja concedido e garantido aos MORADORES, pois, durante anos os beneficiados no passado com o Magnífico PROJETO SOCIAL, ATUALMENTE idosos mantém a habitabilidade de suas casas com recursos próprios.

  2. Apesar de todos saberem que o Parque Linear do Rio Barigui vai demorar a chegar no Pilarzinho, diversas moradias populares foram demolidas dando lugar a sobrados em beneficio classe de maior poder aquisitivo.
    Povo com MEDO de perder o direito a moradia no primeiro Conjunto Residencial construído em 1962, quando ainda não existia o Parque Tingui foram despejados sem o oferecimento de uma nova moradia digna no mesmo bairro onde residem há mais de 40 anos.
    Amplas áreas outrora destinadas a Moradia Popular, ociosas aguardando a chegada do Parque Linear do Rio Barigui ao Pilarzinho, para assim iniciar a construção de condomínios fechados para classes com maior poder aquisitivo.
    Só o Novo Plano Diretor de Curitiba para resolver tal situação e acabar com a injustiças.

Comente